Accessibility / Report Error

Dor muscular e atividade de creatina quinase após ações excêntricas: uma análise de cluster

Muscle soreness and creatine kinase activity after eccentric actions: a cluster analysis

Dolor muscular y actividad de creatina kinasa tras acciones excéntricas: un análisis de cluster

INTRODUÇÃO:

O exercício excêntrico máximo promove queda da capacidade de geração de força, aumento de dor muscular de início tardio (DMIT) e extravasamento de creatina quinase (CK) no sangue. No entanto, essas respostas ao exercício excêntrico demonstram alta variabilidade interindivíduos.

OBJETIVOS:

Classificar e analisar essas respostas segundo a vulnerabilidade individual, por meio da magnitude da redução dos níveis de força após exercício excêntrico.

MÉTODOS:

Dezoito sujeitos (11 homens e sete mulheres com idade entre 18 e 71 anos) saudáveis realizaram cinco séries de seis ações excêntricas máximas para flexores do cotovelo em dinamômetro isocinético (90°s- 11. Nogueira FR, Libardi CA, Nosaka K, Vechin FC, Cavaglieri CR, Chacon-Mikahil MP. Comparison in responses to maximal eccentric exercise between elbow flexors and knee extensors of older adults. J Sci Med Sport. 2014;17(1):91-5., amplitude de movimento de 80 a 20°). Foram analisadas contração voluntária muscular concêntrica máxima (CVM), DMIT e CK pré, pós (exceto CK), 24 h, 48 h, 72 h e 96 h após o protocolo. Os indivíduos foram classificados como "baixos" (BR) e "altos" respondedores (AR) ao pico de queda de CVM pós-exercício seguindo-se uma análise de cluster e comparação entre grupos para CVM, DMIT e CK com teste-t independente.

RESULTADOS:

A comparação entre BR e AR indicou maiores valores de queda de CVM para o grupo AR (AR: -30,7 ± 3,3%; BR: -14,1 ± 2,2%, p < 0,001) e maior DMIT também para o grupo AR (AR: 33,0 ± 8,6 mm; BR: 10,2 ± 2,5 mm, p = 0,033); no entanto, os valores de pico de atividade de CK não diferiram entre os grupos (AR: 232,1 ± 54,8 UI.L- 11. Nogueira FR, Libardi CA, Nosaka K, Vechin FC, Cavaglieri CR, Chacon-Mikahil MP. Comparison in responses to maximal eccentric exercise between elbow flexors and knee extensors of older adults. J Sci Med Sport. 2014;17(1):91-5.; BR: 306,1 ± 82,3 UI.L- 11. Nogueira FR, Libardi CA, Nosaka K, Vechin FC, Cavaglieri CR, Chacon-Mikahil MP. Comparison in responses to maximal eccentric exercise between elbow flexors and knee extensors of older adults. J Sci Med Sport. 2014;17(1):91-5., p = 0,490).

CONCLUSÃO:

A classificação dos indivíduos em grupos de baixos e altos respondedores foi importante para demonstrar que o grupo mais responsivo à queda de força após exercício excêntrico também evidencia maiores níveis de DMIT; contudo, para a CK essa relação não pôde ser estabelecida.

exercício; força muscular; músculo esquelético; treinamento de resistência


Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Av. Brigadeiro Luís Antônio, 278, 6º and., 01318-901 São Paulo SP, Tel.: +55 11 3106-7544, Fax: +55 11 3106-8611 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: atharbme@uol.com.br