Diferença de concentrações de ozônio, nox e hidrocarbonetos não metano durante período da semana e finais de semana, na região metropolitana de São Paulo

O ozônio e o material particulado inalável são os mais importantes poluentes do ar na região metropolitana de São Paulo (RMSP). Esta região possui em torno de 19 milhões de habitantes e aproximadamente 7 milhões de veículos registrados. O efeito final de semana sobre a concentração de ozônio, caracterizado por concentrações ozônio mais elevadas no fim de semana quando comparadas aos dias de semana, pode está relacionado às concentrações relativamente baixas dos precursores do ozônio tais como o óxido de nitrogênio (NOx) e os Hidrocarbonetos Não Metano (NMHC) nos finais de semana. As diferenças existentes entre as concentrações de ozônio nos períodos de fim de semana e dias da semana, foram obtidas a partir de analises médias dos dados horários da CETESB para o ano de 2004, foram estudados os precursores para a formação do ozônio troposférico, as variáveis meteorológicas e o perfil horário do trafego veicular para a RMSP. Devido a proximidade com as fontes de emissão a estação de Pinheiros apresentou maiores concentrações de NO e NO² e maiores variações na concentração na comparação feita aos períodos. Com menos veículos circulando durante o período de final de semana e conseqüentemente menos emissão de poluentes, tem-se uma atmosfera mais limpa e menos concentração de NO e NO², configurando uma situação mais favorável para a formação de ozônio troposférico, apesar da menor concentração de NO². A proximidade da fonte de emissão de poluentes, auxiliados pela maior disponibilidade de radiação solar e a presença dos precursores da formação de ozônio, foram fatores condicionantes para a ocorrência do efeito final de semana.

Formação do Ozônio; Efeito final de semana


Sociedade Brasileira de Meteorologia Av. dos Astronautas, 1758 - Jardim Granja, 12227-010 - São José dos Campos - SP - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbmet@rbmet.org.br