Accessibility / Report Error

Lupus miliaris disseminatus faciei: quando uma rara dermatose acomete a pálpebra

RESUMO

Os autores apresentam um caso de lupus miliaris disseminatus faciei , uma dermatose rara, de etiologia desconhecida, que pode deixar cicatrizes não estéticas, pela dificuldade de tratamento. O exame histopatológico de granulomas compostos por células epitelioides, com necrose caseosa, e as características clínicas, são importantes para o diagnóstico e tratamento precoce, com melhores resultados. Apesar do tratamento difícil e insatisfatório, há estudos em andamento sobre terapias para melhorar o comprometimento estético e social. Este relato de caso descreve um diagnóstico inicial errôneo, que atrasou o tratamento adequado, e destaca o valor do exame físico e raciocínio clínico para solicitar outro exame anatomopatológico, quando necessário, de forma a obter melhores desfechos com o tratamento, na prática diária.

Descritores:
Lúpus vulgar; Dermatopatias; Pálpebras; Granuloma; Cicatriz

Sociedade Brasileira de Oftalmologia Rua São Salvador, 107 , 22231-170 Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel.: (55 21) 3235-9220, Fax: (55 21) 2205-2240 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: rbo@sboportal.org.br