Estudo da prevalência das uveítes em hospital oftalmológico terciário em Teresina, Piauí, Brasil

Leonardo Pinheiro Teixeira Mayara Martins Abrahão Eduardo Ribeiro Coutinho Dália Luana Miranda Campos João Jorge Nassaralla Junior Vitor Cortizo Da Fonseca Sobre os autores

RESUMO

Objetivo:

analisar a prevalência das uveítes em pacientes atendidos em um serviço oftalmológico terciário em Teresina, Piauí.

Métodos:

estudo retrospectivo baseado em prontuários de pacientes atendidos nesse serviço. Foram descritos: gênero, faixa etária, procedência, doença de base, diagnóstico anatômico, aspecto clínico e tempo de evolução.

Resultados:

foram incluídos 403 prontuários constatando-se que a cada 1000 pacientes atendidos neste serviço, 3,2 tinham uveíte.A idade média dos pacientes foi de 42 anos, tanto o gênero feminino (50,6%) quanto o gênero masculino (49,4%) foram acometidos similarmente, com 61,5% dos pacientes provenientes da capital. A doença de base mais frequente foi a toxoplasmose, seguida das uveítes idiopáticas apenas com manifestações oculares. Quanto à classificação anatômica, 49,6% foram posteriores e 3,5% foram intermediárias. Em relação ao aspecto clínico, 64% foram granulomatosas, 24,8% não-granulomatosas e 11,2% não foram classificáveis. Segundo a evolução clínica, 41,4% foram agudas, seguidas de 30,8% crônicas, 14,4% recorrentes e em 13,4% os pacientes não foi feito o acompanhamento.

Conclusão:

pudemos constatar que para cada 1000 pacientes atendidos neste serviço 3,2 tinham uveíte, apresentando-se a toxoplasmose como importante fonte de uveíte neste serviço.

Descritores:
Toxoplasmose ocular; Uveíte idiopática; Uveíte/classificação

Sociedade Brasileira de Oftalmologia Rua São Salvador, 107 , 22231-170 Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel.: (55 21) 3235-9220, Fax: (55 21) 2205-2240 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: rbo@sboportal.org.br