Luxação esternoclavicular: relato de caso e técnica cirúrgica Trabalho feito no Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória, Vitória, ES, Brasil.

Bernardo Barcellos Terra Leandro Marano Rodrigues David Victoria Hoffmann Pádua Marcelo Giovanini Martins João Carlos de Medeiros Teixeira Anderson De Nadai Sobre os autores

RESUMO

As luxações esternoclaviculares representam menos de 5% de todas as luxações da cintura escapular. A maioria dos casos de luxação anterior da articulação esternoclavicular não apresenta sintomas. Entretanto, alguns pacientes podem desenvolver instabilidade anterior crônica e permanecer sintomáticos. Nesses casos é indicado o tratamento cirúrgico. A literatura é escassa em relação à reconstrução com uso do tendão palmar longo nos casos de instabilidade anterior traumática. Embora raras, essas lesões merecem diagnóstico rápido e tratamento eficaz para evitar complicações futuras. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de um atleta de motocross que evoluiu com instabilidade anterior traumática crônica da articulação esternoclavicular e foi submetido a reconstrução cirúrgica com o uso do tendão palmar longo autógeno. Paciente masculino, 33 anos, com história de luxação anterior da articulação esternoclavicular após queda durante manobra em um campeonato de motocross. Inicialmente foi empregado o tratamento conservador, com uso de tipoia funcional por três semanas, e sintomático, além da reabilitação com fisioterapia por três meses. Optamos por usar uma modificação da técnica do "oito", baseados nos estudos de Spencer e Kuhn. A incisão longitudinal de aproximadamente 10 cm foi feita no nível da articulação esternoclavicular. O enxerto do tendão palmar longo ipsilateral foi passado pelos orifícios em forma de "oito" modificado e suas extremidades foram suturadas conjuntamente. O paciente foi imobilizado com tipoia americana por quatro semanas. No fim de seis meses de seguimento não apresentava dor ou instabilidade quando solicitada a articulação esternoclavicular. Um discreto desconforto e ligeira saliência da articulação esternoclavicular permaneceu, mas não afetaram suas atividades, o que permitiu ao paciente voltar às pistas de corrida com seis meses de pós-operatório. Nosso estudo apresentou um caso de luxação anterior crônica da articulação esternoclavicular tratado com sucesso com o uso de uma modificação da técnica de reconstrução em "oito". Essa técnica mostrou ser segura e eficaz e permitiu um retorno total às atividades esportivas do paciente.

Palavras-chave:
Luxação; Transferência de tendão; Ombro

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Al. Lorena, 427 14º andar, 01424-000 São Paulo - SP - Brasil, Tel.: 55 11 2137-5400 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbo@sbot.org.br