Estudo epidemiológico das rupturas tendinosas do mecanismo extensor do joelho em um hospital de nível I

OBJETIVOS: O propósito do presente estudo é revisar aspectos epidemiológicos das rupturas tendinosas do aparelho extensor do joelho em hospital de nível I. MÉTODOS: Analisamos, retrospectivamente, 76 lesões do mecanismo extensor do joelho, tratadas cirurgicamente no Hospital Municipal Miguel Couto, no período de março de 2004 a março de 2011. Levamos em consideração idade, sexo, mecanismo de trauma, classificação anatômica da lesão, lado acometido, comorbidades e lesões associadas. RESULTADOS: Dos pacientes estudados, 68 eram do sexo masculino, com idade média de 36 anos. Quanto ao mecanismo de trauma, 62 foram por trauma direto, 21 casos foram do lado direito, oito apresentavam comorbidades e quatro tiveram lesões associadas. CONCLUSÕES: A maioria dos pacientes foi do sexo masculino, na faixa etária economicamente ativa (jovens), e vítima de trauma direto, sendo as rupturas do ligamento patelar as lesões mais comuns. Lesões associadas são raras, e as comorbidades foram pouco frequentes em nossa casuística.

Epidemiologia; Joelho; Ruptura


Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Al. Lorena, 427 14º andar, 01424-000 São Paulo - SP - Brasil, Tel.: 55 11 2137-5400 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbo@sbot.org.br