Ângulo-q na dor patelofemoral: relação com valgo dinâmico de joelho, torque abdutor do quadril, dor e função Trabalho desenvolvido no Laboratório de Investigação Fisioterapêutica Clínica e Eletromiografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Gabriel Peixoto Leão Almeida Ana Paula de Moura Campos Carvalho e Silva Fábio Jorge Renovato França Maurício Oliveira Magalhães Thomaz Nogueira Burke Amélia Pasqual Marques Sobre os autores

OBJETIVO:

Investigar a relação entre o ângulo-q e intensidade da dor anterior no joelho, capacidade funcional, valgo dinâmico de joelho e torque abdutor do quadril em mulheres com síndrome da dor patelofemoral (SDPF).

MÉTODOS:

Participaram do estudo 22 mulheres com SDPF. O ângulo-q foi avaliado pela goniometria, as participantes foram posicionadas em decúbito dorsal com joelho e quadril estendido e quadril e pé em rotação neutra. A intensidade da dor anterior do joelho foi avaliada pela escala visual analógica de dor e a capacidade funcional com a escala de dor anterior no joelho. O valgo dinâmico foi avaliado pelo ângulo de projeção no plano frontal do joelho (APPF), registrado com câmera digital durante step down, e o pico de torque dos abdutores do quadril com dinamômetro manual.

RESULTADOS:

O ângulo-q não apresentou correlação significativa com a intensidade da dor no joelho (r = -0,29; p = 0,19), capacidade funcional (r = -0,08; p = 0,72), ângulo de projeção no plano frontal do joelho (r = -0,28; p = 0,19) e pico de torque isométrico dos músculos abdutores (r = -0,21; p = 0,35).

CONCLUSÃO:

O ângulo-q não apresentou relação com a intensidade da dor, capacidade funcional, ângulo de projeção no plano frontal do joelho e pico de torque dos abdutores do quadril em pacientes com SDPF.

Joelho; Síndrome da dor patelofemoral; Dinamômetro de força manual


Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Al. Lorena, 427 14º andar, 01424-000 São Paulo - SP - Brasil, Tel.: 55 11 2137-5400 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbo@sbot.org.br