Revisão da eficácia do placebo nos ensaios clínicos que comparam antipsicóticos típicos e atípicos

OBJETIVO: Revisar a eficácia do placebo em comparação com a dos antipsicóticos atípicos e típicos no tratamento da esquizofrenia e do transtorno esquizoafetivo, bem como avaliar a pertinência do uso do placebo nos ensaios clínicos com antipsicóticos. MÉTODO: Foram incluídos estudos nos quais os antipsicóticos atípicos foram comparados com antipsicóticos típicos e placebo simultaneamente. A pesquisa bibliográfica incluiu os termos "amisulprida", "aripiprazol", "clozapina", "olanzapina", "quetiapina", "risperidona", "sertindol", "ziprasidona" e "zotepina". Os principais parâmetros de eficácia foram a proporção de "eventos" (definidos como deterioração ou falta de melhora de pelo menos 20% na Positive and Negative Syndrome Scale ou Brief Psychiatric Rating Scale) e os riscos relativos combinados (efeitos randômicos), com seus respectivos intervalos de confiança de 95%. Foram também estimados os tamanhos de amostras nos estudos em que a droga pesquisada fosse comparada com um antipsicótico típico ou com placebo. RESULTADOS: As taxas de eficácia combinada foram de 40,8%, 34,9% e 21,3%, respectivamente, para os antipsicóticos atípicos, antipsicóticos típicos e placebo. Cento e sessenta e seis pacientes teriam de ser incluídos quando a nova droga fosse comparada com placebo se os cálculos fossem baseados na diferença de 20% encontrada entre o antipsicótico atípico e placebo, ao passo que 2.054 teriam de ser incluídos se a diferença procurada fosse aquela encontrada entre o antipsicótico atípico e o antipsicótico típico, isto é, 6%. Os insucessos terapêuticos estimados seriam de 115 entre os 166 pacientes quando a droga em estudo fosse comparada com placebo, e de 1.274 entre os 2.054 pacientes quando fosse comparada com um antipsicótico típico. CONCLUSÕES: Os estudos controlados por placebo podem reduzir o número de indivíduos expostos aos efeitos prejudiciais de drogas ineficazes.

Agentes antipsicóticos; Metanálise; Efeito placebo; Transtorno esquizoafetivo; Esquizofrenia


Associação Brasileira de Psiquiatria Rua Pedro de Toledo, 967 - casa 1, 04039-032 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5081-6799, Fax: +55 11 3384-6799, Fax: +55 11 5579-6210 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: editorial@abp.org.br