Accessibility / Report Error

Aspectos neuropsicológicos do transtorno afetivo bipolar

Neuropsychological aspects of bipolar disorder

CARTAS AOS EDITORES

Aspectos neuropsicológicos do transtorno afetivo bipolar

Neuropsychological aspects of bipolar disorder

Sr. Editor,

Lemos com interesse o artigo de Schneider et al.1, no qual os autores caracterizam as dificuldades cognitivas de indivíduos brasileiros com transtorno afetivo bipolar (TAB). A relevância do artigo é notória em vários aspectos, seja pela necessidade de conhecer as alterações cognitivas do TAB, suas variações de acordo com o estado de humor, ou pela escassez de estudos desse tipo no cenário brasileiro. Como os autores ressaltam, as características cognitivas no TAB, além de freqüentes e persistentes, estão diretamente relacionadas aos prejuízos cotidianos apresentados por estes pacientes no que diz respeito, por exemplo, à adaptação social.

No estudo, os autores comparam pacientes eutímicos, deprimidos e controles normais nos diferentes componentes da Escala Wechsler de Inteligência para Adultos (WAIS-III). Os pacientes bipolares, independentemente do estado de humor (eutímico ou deprimido) apresentaram desempenho inferior ao dos controles normais. Tal resultado indica a persistência dos déficits cognitivos em pacientes bipolares mesmo fora dos quadros de alteração do humor, o que reforça a necessidade de se considerar tais prejuízos na elaboração de condutas terapêuticas na clínica do TAB.

Como os autores destacam, além de características de humor, outros aspectos do TAB parecem estar relacionados com o prejuízo cognitivo apresentado por estes pacientes, como duração da doença, número de episódios e tentativas de suicídio. Uma questão relevante e que necessita de esforços de pesquisa neste sentido é se (e quais) características clínicas do TAB alteram de forma global a cognição de pacientes bipolares ou de forma específica.

Em um estudo realizado no Ambulatório de Transtorno Bipolar do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais e no Ambulatório de Transtorno Afetivo Bipolar do Hospital IPSEMG (aprovação no Comitê de Ética do Hospital IPSEMG - CONEP-7430/ CEP - 076/03), avaliamos em pacientes com TAB tipo I a relação entre tentativas de suicídio e o desempenho em diferentes medidas neuropsicológicas de inteligência geral, visuoconstrução, memória e funções executivas2. Assim como Schneider et al., verificamos prejuízos neuropsicológicos no grupo de pacientes com TAB, a despeito do atual quadro de humor. Comparando o desempenho dos sujeitos do grupo de bipolares de acordo com a história de tentativas de suicídio, verificamos prejuízos proeminentes no processo de tomada de decisões medidos pela versão brasileira do Iowa Gambling Test3 naqueles indivíduos com histórico de tentativas (Figura 1).


As tentativas de suicídio têm sido relacionadas ao fenótipo impulsivo2,4. Do mesmo modo, as tarefas de tomada de decisão estão relacionadas a um tipo específico de impulsividade associado ao planejamento de ações levando em consideração a análise de custo/benefício das conseqüências positivas e negativas em curto, médio e longo prazos5. A associação entre a impulsividade relacionada ao processo de tomada de decisões e as tentativas de suicídio em pacientes com TAB também foi verificada por Jollant et al.4.

O TAB é um transtorno cujas manifestações clínicas são altamente heterogêneas e, desse modo, o agrupamento de pacientes por características comuns pode ser crucial para a compreensão da fisiopatologia do transtorno. Neste sentido, a avaliação neuropsicológica é um importante e promissor instrumento para potencializar a compreensão das manifestações clínicas do TAB em subgrupos específicos do transtorno, identificando, por exemplo, possíveis endofenótipos.

Leandro F. Malloy-Diniz

Departamento de Psicologia, Faculdade de Filosofia e

Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG),

Belo Horizonte (MG), Brasil

Fernando Neves, Humberto Corrêa

Departamento de Saúde Mental, Faculdade de Medicina,

Universidade Federal de Minas Gerais (UF MG),

Belo Horizonte (MG), Brasil

Clique para ampliar

  • 1. Schneider JJ, Candiago RH, Rosa AR, Ceresér KM, Kapczinski F. Cognitive impairment in a Brazilian sample of patients with bipolar disorder. Rev Bras Psiquiatr. 2008;30(3):209-14.
  • 2. Malloy-Diniz LF, Neves FS, Abrantes SS., Fuentes D, Corrêa H. Suicide behavior and neuropsychological assessment of type I bipolar patients. J Affect Disord 2009;112(1-3):231-6.
  • 3. Malloy-Diniz LF, Leite WB, de Moraes PH, Correa H, Bechara A, Fuentes D Brazilian Portuguese version of the Iowa Gambling Task: transcultural adaptation and discriminant validity. Rev Bras Psiquiatr. 2008;30(2):144-8.
  • 4. Jollant F, Bellivier F, Leboyer M, Astruc B, Torres S, Verdier R, Castelnau D, Malafosse A, Courtet P. Impaired decision making in suicide attempters. Am J Psychiatry 2005;162(2):304-10.
  • 5. Malloy-Diniz LF, Fuentes D, Leite WB, Corrêa H, Bechara A. Impulsive behavior in adults with attention deficit/ hyperactivity disorder: characterization of attentional, motor and cognitive impulsiveness. J Int Neuropsychol Soc. 2007;13(4):693-8.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    25 Jun 2009
  • Data do Fascículo
    Jun 2009
Associação Brasileira de Psiquiatria Rua Pedro de Toledo, 967 - casa 1, 04039-032 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5081-6799, Fax: +55 11 3384-6799, Fax: +55 11 5579-6210 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: editorial@abp.org.br