• Revista Brasileira de Psiquiatria é avaliada para o Medline Nota dos Editores

  • Implantação e implementação de serviços de saúde mental comunitários para crianças e adolescentes Editorial

    Fleitlich, Bacy W.; Goodman, Robert
  • Saúde mental e direitos humanos Editorial

    Lescher, Auro Danny
  • Crianças e adolescentes em situações de risco no Brasil Comentário

    Abreu, Susane Rocha de
  • The effect of gender on the clinical features and therapeutic response in obsessive-compulsive disorder Original Articles

    Fontenelle, Leonardo; Marques, Carla; Versiani, Marcio

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Investigar a existência de diferentes características clínicas e terapêuticas entre pacientes com transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) de gêneros distintos, na tentativa de determinar possíveis subtipos. MÉTODOS: Pacientes masculinos (n=32) e femininos (n=37), com o diagnóstico de TOC, foram comparados quanto a idade e modo de início, tempo e curso da doença, número de obsessões e compulsões e subtipo do TOC segundo o Código Internacional de Doenças, 10ª edição. Os grupos também foram comparados quanto aos escores na escala de Yale-Brown para avaliação dos sintomas obsessivo-compulsivos, na Impressão Clínica Global, no Inventário de Depressão de Beck e na Avaliação Global do Funcionamento, antes e após o tratamento medicamentoso por dez semanas. O teste do qui-quadrado com correção de Yates ou o teste exato de Fisher foram utilizados para comparação de variáveis categoriais, e o teste t de Student ou o teste de Mann-Whitney foram utilizados para comparar variáveis contínuas. O nível de significado estatístico escolhido foi 5%. RESULTADOS: Pacientes do gênero masculino se caracterizaram por idade de início do TOC mais precoce e por maior gravidade global. Também foi encontrada uma tendência, não estatisticamente significativa, de maior número de diferentes obsessões e compulsões e de pior funcionamento global dentre pacientes masculinos e de maior gravidade de sintomas depressivos dentre pacientes femininos. Não foi observada diferença significativa entre os grupos em relação à resposta terapêutica. CONCLUSÕES: Os achados são compatíveis com a possível existência de subtipos de TOC baseados no gênero.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: To investigate the existence of clinical and therapeutic differences that could possibly characterize specific subgroups of patients with obsessive-compulsive disorder (OCD) based on their gender. METHODS: Male (n=32) and female patients with OCD (n=37) were compared with regard to age and mode of onset, duration and course of the illness, number of obsessions and compulsions, and subtype of OCD according to the International Classification of Diseases, 10th edition. The groups were also compared with regard to scores on the Yale-Brown Obsessive-Compulsive Scale, Clinical Global Impression, Beck Depression Inventory and Global Assessment of Functioning, before and after drug treatment for 10 weeks. Chi-square test with Yates correction or Fisher's exact test were employed for comparisons between categorical variables and Student's t or Mann-Whitney tests were used to compare continuous variables. The adopted level of significance was 5%. RESULTS: Male patients with OCD were characterized by an earlier age of onset and greater global severity. Furthermore, a trend to display greater number of obsessions and compulsions and worse global functioning was found among male patients, whereas a trend to more severe depressive symptoms was observed in female patients. No significant differences between the groups were found with regard to treatment response. CONCLUSIONS: Our findings suggest that there may be OCD subtypes based on gender.
  • Brazilian version of the Burden Interview scale for the assessment of burden of care in carers of people with mental illnesses Original Articles

    Scazufca, Marcia

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Sobrecarga em cuidadores informais de pessoas com transtornos mentais ou com doenças físicas tem sido estudada há muito tempo. Diversos instrumentos padronizados para avaliação da sobrecarga em cuidadores já foram desenvolvidos. A Burden Interview é um dos instrumentos utilizados mais freqüentemente. O objetivo deste estudo é avaliar a consistência interna e a validade da versão brasileira da escala Burden Interview para avaliação de sobrecarga em cuidadores de indivíduos com doenças mentais. MÉTODOS: Cuidadores de pacientes com diagnóstico de depressão com 60 anos ou mais foram avaliados para sobrecarga (Burden Interview), desconforto emocional (SRQ-20) e para as percepções sobre problemas no comportamento e humor dos pacientes (Behavioural and Mood Disturbance Scale - BMD). Informações sociodemográficas dos pacientes e cuidadores foram obtidas com um questionário padronizado. A confiabilidade da Burden Interview foi avaliada por meio da sua consistência interna. A validade de construção foi avaliada pelo exame da associação da sobrecarga dos cuidadores com suas percepções sobre a perturbação do humor e do comportamento dos pacientes, e da sobrecarga com a avaliação dos sintomas psiquiátricos comuns dos cuidadores. RESULTADOS: Foram incluídos 82 cuidadores de pacientes idosos com depressão foram incluídos, sendo que 48 cuidadores eram mulheres (58,5%). A consistência interna foi boa, com um alpha de Cronbach igual a 0,87. As associações dos escores totais da Burden Interview aos escores totais do SRQ-20 (r=0,37, p=0,001) e aos escores totais da BMD (r=0,54, p=0,001) foram fortes e similares às associações encontradas em outros estudos, indicando uma boa validade de construção da versão Brasileira da Burden Interview. DISCUSSÃO: A versão brasileira da Burden Interview é um instrumento padronizado e válido, que pode ser utilizado no estudo do impacto de doenças mentais e físicas nos cuidadores informais.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Burden on informal carers of people with mental or physical illnesses has been studied for a long time. Several standardized instruments for the assessment of carer's burden have been developed. The Burden Interview is one of the most frequently used instruments. The aim of the present study is to examine the internal consistency and validity of the Brazilian version of the Burden Interview, designed to examine the burden in carers of individuals with mental illnesses. METHODS: Carers of patients with a diagnosis of depression, aged 60 or over, were assessed for burden (Burden Interview), emotional distress (SRQ-20) and their perception of patients' behavioral and mood disturbances (Behavioral and Mood Disturbance Scale - BMD). Socio-demographic information of patients and carers was collected with a standardized form. The reliability of the Burden Interview was assessed through its internal consistency. Construct validity was assessed through the exam of the associations of carers' burden with their perception of patients' behavioral and mood disturbances, and the carers' burden with carers' distress. RESULTS: Eighty-two carers of elderly patients with depression were included, being forty-eight (58,5%) women. The internal consistency was good, with a Cronbach's alpha of 0.87. The associations between total scores of the Burden Interview and total scores of the SRQ-20 (r=0.37, p=0.001), and between total scores of the Burden Interview with total scores of BMD (r=0.54, p=0.001) were strong, and similar to other studies that examined those associations, indicating a good construct validity of the Brazilian version of the Burden Interview. DISCUSSION: The Brazilian version of the Burden Interview is a standardized and valid instrument that can be used in the study of the impact of mental and physical illnesses on informal carers.
  • Characterization of depressive syndrome in schizophrenic outpatients Original Articles

    Araújo, Flávio Soares de; Petribú, Kátia; Bastos, Othon

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Os autores realizaram estudo de corte transversal com o objetivo de caracterizar e descrever quadros depressivos em pacientes esquizofrênicos atendidos no ambulatório de psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE). Os doentes tiveram o diagnóstico de esquizofrenia do DSM-IV. MÉTODOS: Foram selecionados pacientes que se encontravam no período de estabilidade do quadro clínico, definido de acordo com os seguintes critérios: o último episódio psicótico ter ocorrido há no mínimo dois meses e durante esse período as alterações nas doses dos antipsicóticos tenham sido inferiores a 5 mg de haloperidol ou doses equivalentes de outros neurolépticos. Participaram do estudo 104 pacientes. Após a identificação dos sintomas depressivos pela utilização da versão em português da Escala Calgary de Depressão para Esquizofrenia, 31 doentes (29,8%) preencheram os critérios diagnósticos para quadros depressivos. Desses, 22,1% preencheram os critérios para episódio depressivo maior pelo DSM-IV e 7,7% para episódio depressivo menor. Foram constituídos dois grupos: A (pacientes esquizofrênicos com depressão -- DSM-IV) e B (sem síndrome depressiva). Avaliaram-se as distribuições dos sintomas e dos escores da ECDE em ambos os grupos, as variáveis sociodemográficas, clínicas e terapêuticas em relação à freqüência da síndrome depressiva e a evolução clínica dos pacientes. Foram empregados os seguintes instrumentos: estressores psicossociais contido no eixo IV do DSM-IV e a Escala de Avaliação Global do Funcionamento (AGF - Eixo V- DSM-IV). CONCLUSÕES: Os resultados obtidos permitiram aos autores elaborarem as seguintes conclusões: todos os itens que compõem a versão brasileira da ECDE foram estatisticamente significantes na caracterização da síndrome depressiva; as variáveis sociodemográficas e terapêuticas não obtiveram diferenças estatisticamente significantes quando comparadas entre os dois grupos, assim como a maioria das características clínicas; entre os doentes deprimidos, diferenças, com significância estatística, foram assinaladas em relação a maior freqüência de eventos vitais (estressores psicossociais) no desencadeamento do primeiro surto esquizofrênico e a maior incidência de antecedentes familiares de portadores de transtornos do humor (primeiro e segundo graus). O tempo médio de duração da síndrome depressiva durante o período de acompanhamento dos pacientes foi de cinco meses e dez dias; os doentes que tiveram recidivas do episódio psicótico apresentaram quadros clínicos delirante-alucinatórios. Esse estudo busca contribuir para a inclusão do transtorno depressivo pós-psicótico da esquizofrenia no grupo dos transtornos esquizofrênicos.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: The authors carried out a cross-sectional study with the aim of characterizing and describing depressive pictures in schizophrenic patients seen at the Psychiatry Outpatient Clinic of the Federal University of Pernambuco (HC-UFPE). The patients had the diagnosis of schizophrenia confirmed on the basis of the operating criteria of the DSM-IV. METHODS: Those who where in the period of stabilization of the clinical picture were selected for the study defined according the following criteria:the last psychotic episode must be happened two months before at least, and during this period the alterations of the antipsychotics doses had been lower than 5 mg of haloperidol or equivalent doses of others neuroleptics. A total of one hundred and four patients took part. Following the identification of the depressive symptoms using the Calgary Depression Scale for Schizophrenia (CDSS), thirty-one patients (29.8%) fulfilled the diagnostic criteria described in the DSM-IV. Of these, 22.1% had the diagnosis of major depression and 7.7% of minor depression according the DSM-IV. Two groups were constituted: Group A, schizophrenics with a depressive syndrome, and Group B, schizophrenics without such a syndrome. An assessment was made of the distribution of the symptoms of the CDSS scores in both groups, the sociodemographic, clinical and therapeutic variables in relation to the frequency of the depressive syndrome, and the patients clinical course. For the investigation of certain clinical features, the following tools were used: problem list (psychosocial stressors) contained in axis IV of the DSM-IV intended to detect the presence of factors triggering the initial episode of schizophrenia and the Global Assessment of Functioning (GAF -- Axis V -- DSM-IV) to characterize the current functioning of the patients. CONCLUSIONS: The results obtained allowed the authors to draw the following conclusions: all the items that comprise the Brazilian version of the CDSS were statistically significant in characterizing the depressive syndrome; a comparison of the sociodemographic and therapeutic variables revealed no statistically significant differences between the two groups, and this was also the case with the majority of the clinical features. Statistically significant differences, however, were found in relation to the greater frequency of life events (psychosocial stressors) in triggering the first episode of schizophrenia and the higher incidence of affective disorders antecedents in family members (first and second degree) among the depressed patients. The mean duration of the depressive syndrome during follow-up of the patients was 5.30 months. The patients in whom there was a recurrence of the psychotic episode presented a delusional-hallucinatory clinical picture. This study seeks to contribute to the inclusion of the Postpsychotic Depressive Disorder (PSD) of Schizophrenia (DSM-IV), in the group of Schizophrenic Disorders.
  • Estudo retrospectivo da associação entre transtorno de pânico em adultos e transtorno de ansiedade na infância Comunicação Breve

    Manfro, Gisele Gus; Isolan, Luciano; Blaya, Carolina; Santos, Lissandra; Silva, Maura

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: A etiologia do transtorno do pânico (TP) é provavelmente multifatorial, incluindo fatores genéticos, biológicos, cognitivo-comportamentais e psicossociais que contribuem para o aparecimento de sintomas de ansiedade, muitas vezes durante a infância. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação entre história de transtornos de ansiedade na infância e transtorno do pânico na vida adulta. MÉTODOS: Foram avaliados retrospectivamente 84 pacientes adultos com transtorno do pânico quanto à presença de história de transtornos de ansiedade na infância, por meio de uma entrevista estruturada (K-SADS-E e DICA-P). A presença de comorbidades com outros transtornos de ansiedade e de humor foi avaliada por uma revisão de registros médicos. RESULTADOS: Observou-se que 59,5% dos pacientes adultos com TP apresentavam história de ansiedade na infância. Encontrou-se uma associação significativa entre a presença de história de transtorno de ansiedade generalizada na infância e a presença de comorbidades com o TP na vida adulta, como agorafobia (p=0,05) e depressão (p=0,03). CONCLUSÕES: Este estudo sugere que a história de transtorno de ansiedade na infância pode ser considerada um preditor de maior gravidade para o transtorno do pânico na vida adulta.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: The etiology of panic disorder is probably multifactorial, involving genetic, biological, cognitive-behavioral and psychosocial factors that may contribute to the onset of anxiety symptoms in childhood. The aim of this study is to analyze the relationship between past history of anxiety disorder in childhood and panic disorder in adult life. METHODS: Using a structured interview (K-SADS-E and DICA-P), 84 panic disorder adult patients were interviewed and childhood anxiety disorder was retrospectively investigated. A review of medical registers was performed to assess comorbidities with other anxiety and mood disorders. RESULTS: Of the patients studied, 59,5% had past history of childhood anxiety disorders. There was a significant association between generalized anxiety disorder history during childhood and panic disorder in adult life and its comorbidities such as agoraphobia (p=0,05) and depression (p=0,03). CONCLUSION: This study suggests that childhood anxiety disorder may be a predictor of the severity of panic disorder in adult life.
  • Surto psicótico pela possível interação medicamentosa de sibutramina com finasterida Relato de Caso

    Sucar, Douglas Dogol; Sougey, Everton Botelho; Brandão Neto, José

    Abstract in Portuguese:

    É descrito um caso de interação medicamentosa em um paciente de 30 anos, que fazia com sucesso um tratamento antiobesidade com sibutramina. Esse medicamento é um saciogênico que inibe a recaptação da serotonina e da noradrenalina. Logo após a introdução da finasterida para tratamento da alopécia androgênica, o paciente passou a apresentar surto psicótico. Esse medicamento é um potente inibidor da 5-alfa-redutase do tipo II. A interação medicamentosa demonstra-se por meio de um rigoroso acompanhamento clínico e de uma aplicação do algoritmo de Naranjo. Também descrevem-se as condições clínicas gerais do paciente e sua evolução. Discutem-se os mecanismos prováveis que levaram à interação medicamentosa, com a conclusão de que a finasterida inibiu o metabolismo hepático da sibutramina. Esta deslocou a finasterida de seus pontos de ligações com as proteínas, aumentando sua fração livre plasmática e inibindo ainda mais o metabolismo da sibutramina. Com aumento de serotonina, noradrenalina e dopamina na fenda sináptica, desencadeia-se o surto psicótico.

    Abstract in English:

    A case of drug interaction is here described in a 30-year patient undergoing a successful anti-obesity treatment with sibutramine. Sibutramine is a drug that inhibits serotonine and noradrenaline reuptake. Soon after the introduction of finasteride to treat his alopecia, a paranoid-psychotic behavior developed. Finasteride is a powerful 5-alpha-reductase type 2 inhibitor. Drug interaction is shown through a careful clinical follow-up and the application of Naranjo algorithm. The patient's general condition and clinical progression are also described. In addition, the most likely mechanisms of drug interaction are discussed. It seems that finasteride inhibited the hepatic metabolism of sibutramine that, by its turn, displaced finasteride from its plasma protein binding. This phenomenon resulted in higher plasma levels of finasteride and lower metabolism of sibutramine, which probably increased the levels of serotonine, noradrenaline and dopamine in the synaptic gap, triggering the psychotic manifestation.
  • O papel dos antipsicóticos atípicos no tratamento do transtorno bipolar: revisão da literatura Revisão

    Lacerda, Acioly LT; Soares, Jair C; Tohen, Mauricio

    Abstract in Portuguese:

    Estudos recentes têm demonstrado que a eficácia do lítio é significativamente inferior à descrita pelos primeiros trabalhos, embora ainda seja a medicação de referência no tratamento do transtorno afetivo bipolar. Apesar de um perfil de segurança desfavorável, os antipsicóticos clássicos sempre apresentaram um papel importante no tratamento desse transtorno psiquiátrico, especialmente como coadjuvante em sua fase maníaca aguda. Os autores, utilizando informação obtida no Medline, fizeram uma revisão acerca do papel dos antipsicóticos atípicos no tratamento dos pacientes bipolares. Baseado nos dados da literatura, a olanzapina mostrou-se bastante eficaz no manejo da mania aguda, quando uma média de 63,5% dos pacientes apresentaram melhora significativa em estudos duplo-cego controlados, apresentando ganho de peso como único efeito colateral relevante. A clozapina e, mais ainda, a risperidona apresentaram dados menos consistentes, grande parte em função de deficiências metodológicas dos poucos estudos conduzidos até o presente estudo. Os dados preliminares relativos à eficácia desse grupo farmacológico nos quadros refratários e nos sintomas depressivos são promissores, mas ainda não definitivos. Em relação a seus efeitos potenciais como estabilizadores do humor, não existem evidências conclusivas oriundas de estudos controlados, mas há interesse considerável para realização de investigações em pacientes bipolares tratados com antipsicóticos atípicos por períodos de tempo mais prolongados. Pesquisas futuras poderão tornar mais claras essas possíveis características terapêuticas.

    Abstract in English:

    Even though lithium is still the choice drug in the treatment of bipolar disorder, recent studies have shown that it has a significant lower efficacy than previously described in earlier studies. Despite its adverse side effects, typical antipsychotic agents have often had a prominent role in the treatment of this psychiatric disorder, especially in the acute manic phase. Recently new alternatives have become available with the development of newer atypical antipsychotic agents. A comprehensive Medline search was conducted, and all available literature concerning the role of atypical antipsychotics in the treatment of bipolar patients was retrieved. Olanzapine showed to be quite effective in the treatment of acute mania, and it was found that an average of 63.5% of the patients had a significant improvement in double blind controlled studies, with weight gain as the major side effect. Data was less robust for clozapine and risperidone, mainly due to methodological limitations of the few available studies. It was also found a considerable interest in future investigating the efficacy of these pharmacological agents in refractory cases and in the treatment of the disorder's depressive phase. Additionally, there has been extensive interest in evaluating their potential action as mood stabilizers, for which there will be a need of longer-term longitudinal studies.
  • Diagnosis, phenomenology and treatment of poststroke depression Review

    Starkstein, Sergio E; Lischinsky, Alicia

    Abstract in Portuguese:

    O diagnóstico de depressão em pacientes pós-acidente vascular cerebral (AVC) representa um desafio para a neuropsiquiatria visto que os sintomas de depressão podem se sobrepor aos sinais de déficit neurológico. A melhor abordagem é avaliar a presença de sintomas depressivos fazendo uso de entrevistas psiquiátricas estruturadas ou semi-estruturadas, como a Entrevista Psiquiátrica Polivalente Padronizada (Present State Exam), a Entrevista Clínica Estruturada para DSM-IV (Structured Clinical Interview for DSM-IV) ou os Quadros para Avaliação Clínica em Neuropsiquiatria (Schedules for Clinical Assessment in Neuropsychiatry). O diagnóstico de uma síndrome depressiva deve ser feito segundo os critérios diagnósticos padronizados para transtornos do humor devido a doença neurológica como no DSM-IV ou ICD-10. As escalas de classificação da depressão, como a Escala de Avaliação da Depressão de Hamilton (Hamilton Depression Scale) e Centro de Escalas Epidemiológicas para Depressão (Center for Epidemiologic Scales for Depression), podem ser usadas para classificar a gravidade da depressão e monitorar a evolução do tratamento antidepressivo. Na maioria dos estudos, relata-se a eficácia do tratamento medicamentoso em pacientes com depressão pós-AVC. Existem evidências preliminares de que o grau de comprometimento das atividades diárias pode também ser reduzido.

    Abstract in English:

    Diagnosing depression in stroke patients is a challenge in neuropsychiatry since depression symptoms may overlap neurological deficit signs. The best approach is to assess the presence of depressive symptoms using semi-structured or structured psychiatric interviews, such as the Present State Exam, the Structured Clinical Interview for DSM-IV or the Schedules for Clinical Assessment in Neuropsychiatry. The diagnosis of a depressive syndrome should be made according to standardized diagnostic criteria for mood disorders due to neurological disease such as in the DSM-IV or ICD-10. Depression rating scales such as the Hamilton Depression Scale and the Center for Epidemiologic Scales for Depression may be used to rate the depression severity and monitor the progression of antidepressant treatment. Most studies have reported the effectiveness of pharmacological treatment in patients with post-stroke depression, and there is preliminary evidence that the degree of impairment in activities of daily living (ADL) may improve as well.
  • O papel do sistema dopaminérgico na fobia social Atualização

    Kauer-SantAnna, Márcia; Lavinsky, Michelle; Aguiar, Rogério Wolf de; Kapczinski, Flávio

    Abstract in Portuguese:

    Os autores descrevem o papel do sistema dopaminérgico na fobia social. Evidências que indicam disfunção dopaminérgica são descritas, e o papel da dopamina como um regulador da atividade social é discutido.

    Abstract in English:

    The role of the dopaminergic system on social phobia is described. Evidence indicating dopaminergic dysfunction and the role of dopamine as a regulator of social activity are discussed.
  • Recent advances in funtional neuroimaging techniques

    Rosa, Moacyr Alexandro
  • The new invasive brain stimulation techniques in psychiatry

    Jeong-Ho, Chae; Xingbao, Li; Nahas, Ziad; Kozel, F. Andrew; George, Mark S.
  • Experiência de Doença e Narrativa Livro

    Nakamura, Eunice
Associação Brasileira de Psiquiatria Rua Pedro de Toledo, 967 - casa 1, 04039-032 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5081-6799, Fax: +55 11 3384-6799, Fax: +55 11 5579-6210 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: editorial@abp.org.br