Accessibility / Report Error
Brazilian Journal of Psychiatry, Volume: 24 Supplement 1, Published: 2002
  • Apresentação

    Almeida, Osvaldo P.
  • O Brasil está envelhecendo: boas e más notícias por uma perspectiva epidemiológica

    Garrido, Regiane; Menezes, Paulo R

    Abstract in Portuguese:

    O envelhecimento mundial é um fenômeno que tem sido muito discutido na última década. O rápido processo de envelhecimento observado nos países em desenvolvimento, como o Brasil, ainda não tem sido suficientemente estudado para fornecer os elementos necessários ao desenvolvimento de políticas adequadas para essa parcela da população. O objetivo deste artigo é atualizar os leitores sobre o atual perfil do idoso no Brasil, dando destaque aos problemas de esfera da saúde mental. Além disto, pretende, pelos dados apresentados, discutir como os profissionais envolvidos no atendimento do paciente idoso podem ampliar e melhorar sua atuação.

    Abstract in English:

    The world's population is under an aging process, and this demographic revolution is now affecting developing countries such as Brazil. The dramatic increase in the number of older adults observed in the last few years has had significant implications in health planning and delivery of health services, including mental health. This study reviews the current demographic profile of elderly population and its consequences for the practice of psychiatry and organization of mental health services in Brazil.
  • Como diagnosticar as quatro causas mais freqüentes de demência?

    Caramelli, Paulo; Barbosa, Maira Tonidandel

    Abstract in Portuguese:

    Doença de Alzheimer, demência vascular, demência com corpos de Lewy e demência frontotemporal são as quatro causas mais freqüentes de demência na prática clínica. O diagnóstico diferencial dessas condições se baseia na busca de perfis clínicos característicos por anamnese adequada, exame neurológico e avaliação neuropsicológica, além de investigação complementar pertinente, que consiste em exames laboratoriais e de neuroimagem. O presente artigo apresenta breve revisão das características principais de cada uma dessas formas de demência, com ênfase em aspectos relativos ao diagnóstico.

    Abstract in English:

    Alzheimer's disease, vascular dementia, dementia with Lewy bodies and frontotemporal dementia are the four most frequent causes of dementia in the clinical practice. The differential diagnosis of these conditions is based on specific clinical profiles defined through an adequate medical history, neurological examination, related laboratory tests and neuroimaging studies. A brief review of the different forms of dementia emphasizing diagnostic-related aspects is presented.
  • Efficacy of pharmacological treatment of dementia

    Flicker, Leon

    Abstract in Portuguese:

    Durante os últimos 25 anos, um número crescente de ensaios clínicos vem sendo conduzido com objetivo de avaliar a eficácia terapêutica de drogas para o tratamento de indivíduos com demência. Embora várias medicações tenham sido testadas, até o momento há pouca evidência de que essas drogas possam prevenir a síndrome demencial ou interferir em sua progressão, qualquer que seja a etiologia. Há alguma evidência de que intervenções específicas podem reduzir o risco de acidente vascular cerebral em indivíduos com alto risco e, assim, prevenir o desenvolvimento de demência vascular – embora isto seja uma extrapolação feita a partir dos dados disponíveis. Há evidência relativamente robusta de que os inibidores da colinesterase são eficazes para o tratamento dos sintomas cognitivos de pessoas com doença de Alzheimer (DA) de gravidade leve à moderada, e há alguma evidência de que esses medicamentos também podem melhorar outros sintomas comportamentais e funcionais freqüentemente associados à DA. Os inibidores da colinesterase atualmente disponíveis no mercado parecem ter efeito terapêutico semelhante, e, portanto, a escolha da droga é freqüentemente determinada pela incidência de efeitos colaterais. Esses medicamentos têm efeito clínico modesto e podem ser indicados com cautela para o tratamento de pacientes com DA de gravidade leve à moderada.

    Abstract in English:

    Over the last 25 years an increasing number of studies have been performed to evaluate therapeutic agents for people with dementia. Although numerous agents have been trialed at this stage there little evidence that therapeutic agents can prevent dementia or ameliorate the progression of dementia of any type. There is some evidence that specific medical management in high risk individuals can prevent strokes, and thus probably prevent vascular dementia, although this is extrapolating from the available evidence. There is considerable evidence that cholinesterase inhibitor are effective for cognitive symptoms in people with mild to moderate AD, and there is some evidence that they are also effective for other behavioural and functional symptoms. The currently available cholinesterase inhibitors seem to have approximately the same sized effect and thus the choice of agent may be largely determined by the incidence of side-effects. These agents have modest effects and a cautious therapeutic trial is indicated for those subjects with mild to moderate AD.
  • Treatment of behavioral disorders in dementia patients

    Tamai, Sérgio

    Abstract in Portuguese:

    No curso da demência, transtornos não-cognitivos comportamentais são altamente prevalentes. Esses sintomas psicológicos e comportamentais da demência (SPCD) são mais importantes no dia-a-dia do que os déficits cognitivos, tanto para o paciente quanto para o cuidador, em termos de angústia e incapacitação causadas. Os SPCD freqüentemente levam à institucionalização. O raciocínio para o uso de drogas psicotrópicas está parcialmente baseado nas semelhanças fenomenológicas entre alguns comportamentos observados em pacientes idosos dementados e sinais e sintomas de transtornos psiquiátricos, como os transtornos depressivos, psicóticos ou ansiosos, em pacientes não-dementados. Na realidade, os SPCD são, com freqüência, qualitativamente diferentes daqueles que caracterizam os transtornos psicóticos, depressivos ou ansiosos. Os estudos de seguimento de tratamento sugerem que as drogas antipsicóticas são menos eficazes em pacientes com doença de Alzheimer ou demência de lobo frontal do que em pacientes com transtornos psiquiátricos. Abordagens não-farmacológicas são a primeira escolha no tratamento dos SPCD. Os inibidores da colinesterase no tratamento dos SPCD na doença de Alzheimer e na demência cortical difusa por corpos de Lewi representam uma abordagem terapêutica promissora.

    Abstract in English:

    In the course of dementia non-cognitive behavioral disorders are highly prevalent. Behavioral and psychological signs and symptoms of dementia (BPSD) are more important on a daily basis than cognitive deficits both to the patient and caregiver given the resulting distress and disability. BPSD often lead to institution placement. The rationale for the use of psychotropic drugs is partially based on phenomenological similarities of some behaviors observed in elderly demented patients to signs and symptoms of psychiatric disorders such as depressive illnesses, anxiety or psychotic disorders in non-demented patients. In fact, BPSD are often qualitatively different from those that characterize psychotic, depressive, or anxious disorders. Treatment follow-up studies suggest that the psychotropic drugs are less effective in patients with Alzheimer's disease or frontal lobe dementia than in patients with psychiatric disorders. Non-pharmacological approaches are the first choice in the treatment of BPSD. Cholinesterase inhibitors for treating BPSD in Alzheimer's disease and Lewi body dementia represent a promising therapeutical approach.
  • Is it possible to prevent dementia?

    Lautenschlager, Nicola T

    Abstract in Portuguese:

    A população mundial está envelhecendo. A proporção de idosos cresce de forma constante quando comparada a outras faixas etárias, particularmente para o grupo com 85 ou mais anos de idade. Um dos problemas de saúde mais freqüentes em fases tardias da vida é a demência, uma das principais causas de perda da capacidade funcional em idosos que, com freqüência, requer assistência com cuidados básicos em longo prazo. Como conseqüência, várias pesquisas têm procurado estabelecer os fatores que aumentam o risco de demência. Do ponto de vista terapêutico, é importante ser capaz de identificar de forma confiável indivíduos com alto risco de desenvolver demência, já que esses pacientes seriam o principal alvo de intervenções clínicas desenhadas com o objetivo de preveni-la. Este artigo tem o objetivo de rever os principais achados clínicos e biológicos das pesquisas que tiveram como objetivo identificar "pré-demência" em pessoas com "comprometimento cognitivo leve". O artigo oferece uma visão panorâmica do conhecimento atual nessa área e discute estratégias que podem ser capazes de retardar o início do processo demencial.

    Abstract in English:

    It is a robust trend that the World's population is growing older. The proportion of elderly compared to other age groups and especially the number of oldest old, above age 85 years, is steadily increasing. One of the most common disorders in later life is dementia, the major cause of functional disability and the need for long-term care. This has prompted intensive research towards identifying risk factors associated with dementia. For current therapeutic intervention of incipient dementia and future prevention trials it is important to identify subjects at high risk of developing dementia. This article reviews clinical and biological findings of the quest to identify pre-dementia in subjects with mild cognitive impairment. It gives an overview of the present knowledge in this area and discusses strategies that may be useful in delaying the onset of dementia.
  • Delirium: moving beyond the clinical diagnosis

    Coulson, Brett S; Almeida, Osvaldo P

    Abstract in Portuguese:

    Delirium é um transtorno mental comum que tem sido associado a permanência hospitalar prolongada, aumento nos custos com cuidados médicos e maior morbidade e mortalidade entre idosos. De forma geral, o manejo de pacientes tem se limitado ao tratamento das complicações advindas do episódio agudo e dos distúrbios comportamentais e psicológicos associados ao delirium, embora isto pareça ter um impacto desprezível sobre o curso da doença e o prognóstico dos pacientes no longo prazo. Este artigo revisa o desenvolvimento de estratégias desenhadas com o objetivo de reduzir a incidência e as complicações clínicas do delirium e propõe que um tratamento efetivo de pacientes com delirium deve sempre incluir medidas básicas de prevenção primária, secundária e terciária.

    Abstract in English:

    Delirium is a common mental disorder that has been associated with increased length of hospital stay and health costs, as well as higher morbidity and mortality rates in later life. To date, psychiatric interventions have mostly been limited to the clinical diagnosis of delirium and treatment of the behavioural and psychological complications of the acute episode, although this seems to have a negligible impact on the course and long-term outcome of patients. This paper reviews the development of recent strategies designed to reduce the incidence and complications of delirium, and proposes that an effective management plan must always include the basic components of primary, secondary and tertiary prevention.
  • Alcohol, drugs and much more in later life

    Hulse, Gary K

    Abstract in Portuguese:

    Idosos são os maiores consumidores de prescrições e medicamentos vendidos sem receita médica, de forma que a polifarmácia, incluindo o uso concomitante de álcool, é comum nessa faixa etária. As mudanças fisiológicas que acompanham o processo de envelhecimento influenciam as concentrações de medicamentos e seu metabolismo, de forma que a polifarmácia e a interação de outras drogas com álcool podem influenciar negativamente a capacidade funcional, bem como a habilidade psicomotora e cognitiva (incluindo atenção e memória) dos idosos - o que aumenta o risco de acidentes, ferimentos, isolamento e, finalmente, institucionalização. Este artigo argumenta que a definição do DSM-IV de "abuso" e "dependência" tem valor limitado para a maioria dos idosos que consumem álcool ou drogas de modo "problemático". Nesse sentido, a CID-10 é capaz de identificar de forma mais adequada indivíduos "em risco" ou com sinais "iniciais" de comprometimento. Discutem-se as dificuldades que os psiquiatras e outros clínicos podem enfrentar para identificar o consumo problemático de álcool e outras drogas entre idosos, bem como o uso de instrumentos de avaliação e intervenções terapêuticas. O potencial para reduzir a incidência e gravidade das complicações físicas e psicossociais associadas a uma redução ou abandono do uso de álcool e drogas entre idosos sugere que a avaliação e o tratamento desses pacientes devem ser uma das prioridades no manejo clínico desse grupo vulnerável, e freqüentemente desprovido de direitos, da população.

    Abstract in English:

    Elderly adults are greater consumers of prescription and 'over the counter' medications than any other age group and polypharmacy, including the co-use of alcohol, is common in this group. Age related physiological changes which influence drug concentrations, metabolism, polypharmacy and interaction of other drugs with alcohol can negatively influence functional capacity, psychomotor ability, and cognition, including attention and memory, placing the older person at greater risk of accident, injury, isolation and ultimately institutionalisation. It is argued that DSM-IV criteria used to define "abuse" or "dependence" are of limited value to the majority of elderly 'problem' alcohol or drug users, with ICD-10 criteria that identify those who are experiencing 'a risk' of or where use "is actually" causing "early" harm, more appropriate. Impediments to psychiatrists and other medical practitioners identifying 'problem' alcohol and other drug use, and appropriate assessment and intervention procedures are briefly discussed. The potential for decreasing the incidence and severity of physical and psycho/social events following a reduction or cessation in problem alcohol or other drug use means that assessment and intervention should be one cornerstone of management practice for this often disenfranchised and vulnerable group.
  • How high is the prevalence of depression in old age?

    Snowdon, John

    Abstract in Portuguese:

    Sintomas depressivos são altamente prevalentes em fases tardias da vida - no Brasil e no mundo todo. Alguns "experts" argumentam que a depressão é menos comum na terceira idade e citam estudos que mostram prevalência menor de depressão maior entre idosos. Os resultados de estudos que avaliam diferentes grupos etários são inconsistentes no que se refere à faixa etária que apresenta a taxa de pico e em relação à própria freqüência da depressão. A maioria dos estudos de prevalência de transtornos depressivos entre idosos (não limitados à depressão maior) que requerem intervenção clínica indica que mais de 10% dos idosos apresentam quadros depressivos. Doença física é um dos fatores de risco mais significativos, embora essa associação possa impedir os clínicos de reconhecerem a depressão. Intervenções clínicas para depressão na velhice valem a pena, e se recomenda a alocação de recursos adequados para treinar profissionais na avaliação e no manejo desses pacientes, desenvolver iniciativas ambientais dirigidas aos sentimentos de desalento e baixa auto-estima dessa população e promover a pesquisa.

    Abstract in English:

    Depressive symptoms are highly prevalent in late life - in Brazil and around the world. Some experts have argued that depression is less common in old age, quoting studies that show a lower prevalence of major depression in late life. Results from cross-age studies have been remarkably inconsistent, both regarding which age-group has the peak rate and regarding actual rates. A majority of surveys of the prevalence of depressive conditions in old age (not just major depression), warranting clinical interventions, report it to be over 10%. Physical ill-health is the most significant associated factor, but it may distract doctors from recognising depression. Clinical interventions for late life depression are worthwhile. It is recommended that funding be allocated to training in assessment and management, environmental initiatives to counter feelings of helplessness and lowered self-esteem, and research.
  • Occurrence and treatment of depression by sex hormones

    Soares, Cláudio N; Prouty, Jennifer; Poitras, Jennifer

    Abstract in Portuguese:

    O processo de envelhecimento promove alterações significativas na produção e no equilíbrio dos níveis circulantes de diversos hormônios sexuais em homens e mulheres. Acredita-se que esses hormônios (estrógenos, progestógenos, testosterona, dehidroepiandrosterona [DHEA]) exercem papel modulador sobre diversas funções psíquicas, particularmente sobre o humor e a cognição. Alterações nesse papel modulador causadas por variações abruptas dos hormônios sexuais circulantes -- como as que ocorrem, por exemplo, durante a transição menopausal -- favorecem o surgimento de queixas depressivas. No entanto, a utilização terapêutica de hormônios sexuais pode promover alívio ou mesmo remissão de sintomas depressivos, como já foi caracterizado com o uso de estradiol em mulheres em perimenopausa e com a administração de testosterona após a menopausa. Este artigo aborda, por revisão da literatura, os diversos papéis atribuídos aos hormônios sexuais no desenvolvimento e tratamento das queixas depressivas. Estudos sobre a eficácia terapêutica de estrógenos, testosterona e DHEA nos quadros depressivos são discutidos de forma crítica. Em essência, existem resultados preliminares bastante promissores, particularmente quanto ao uso de estradiol e testosterona em subpopulações específicas para alívio de sintomas depressivos. Futuras investigações devem melhor definir a utilização de hormônios como agente depressivo monoterápico ou adjuntivo, bem como delinear os riscos e as contra-indicações associados a seu uso.

    Abstract in English:

    It has been demonstrated that aging has a significant impact on sex hormones production. It is now accepted that these hormones (including estrogens, progestogens, testosterone, and dehydroepiandrosterone [DHEA]) may play a pivotal role in the modulation of brain functioning, especially on mood and cognition. Changes in these modulatory effects due to abrupt sex hormonal fluctuations-as seen in the menopausal transition-contribute to the occurrence of mood disturbances. Hormonal interventions seem to improve depressive symptoms, as already demonstrated in studies of perimenopausal women treated with estradiol, and postmenopausal women treated with testosterone. This article reviews the potential role of sex hormones in the occurrence and treatment of depressive symptoms. Clinical studies on the antidepressant benefit of estrogens, testosterone, and DHEA are critically discussed. In essence, there are preliminary but promising data on the use of estradiol and testosterone for the treatment of depression in some specific sub-populations. Further studies would help to better delineate their therapeutic use (as monotherapy or adjunctive treatment), and to identify their limitations due to clinical contra-indications or risk of serious adverse events.
  • Depression treatment of elderly patients using tricyclics, MAOI, SSRI, and other antidepressants

    Scalco, Mônica Z

    Abstract in Portuguese:

    Antidepressivos são eficazes no tratamento da depressão em idosos. O sucesso do tratamento depende do tipo e da gravidade da depressão; das comorbidades com outras doenças psiquiátricas ou clínicas; da escolha adequada de antidepressivos, de sua eficácia e perfil de efeitos adversos; da orientação do paciente e de sua aderência ao tratamento. O manejo dos efeitos adversos em pacientes idosos, que usam muito mais medicações e apresentam mais doenças, é o ponto forte na escolha de antidepressivos. Em geral, os inibidores seletivos da recaptação de serotonina têm sido preferidos por apresentar menos riscos de complicações por efeitos adversos. Porém, diferentes antidepressivos podem ser preferíveis para diferentes pacientes. É indispensável que o médico conheça o paciente que irá tratar e o perfil de efeitos adversos e de possíveis interações medicamentosas dos antidepressivos para poder escolher o mais adequado para cada paciente. Neste artigo, são abordados os diferentes grupos de antidepressivos no tratamento agudo da depressão em idosos e o tratamento em populações especiais de idosos (idosos debilitados e idosos com demência).

    Abstract in English:

    Antidepressants are effective in treating depression in the elderly. Treatment response depends on the type and severity of depression, comorbidities, efficacy and tolerability of antidepressants, patient education and treatment compliance. The aging process leads to physiological changes that, in association with concomitant diseases and use of several medications, render the elderly person more vulnerable to the adverse effects of antidepressants and an increased risk of drug interactions. It is very important that psychiatrists treating elderly patients be aware of possible adverse effects and drug interactions of different antidepressants. This paper reviews data on the efficacy and safety of antidepressant agents currently available for the treatment of the elderly, and includes information about the treatment of specific populations such as physically frail patients and dementia adults.
  • Review of the efficacy of psychotherapy vs. pharmacotherapy for depression treatment in old age

    Scazufca, Marcia; Matsuda, Cintia MCB

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: Depressão é uma das doenças mentais mais prevalentes entre pessoas idosas. Embora os tratamentos farmacológicos já estejam validados, a recorrência de depressão é comum. Este artigo revisa ensaios clínicos que examinaram a eficácia da psicoterapia versus os tratamentos farmacológicos, sozinhos ou combinados, para pessoas idosas com depressão. MÉTODOS: Foi realizada busca na internet, em dois bancos de dados (Medline e PsychINFO), por ensaios clínicos randomizados e controlados publicados entre 1984 e 2001 que examinaram a eficácia de psicoterapias versus farmacoterapia para depressão em indivíduos com 60 anos ou mais, com diagnóstico de distimia, depressão menor ou maior. RESULTADOS: Foram incluídos quatro estudos. Três compararam a eficácia da psicoterapia versus a farmacoterapia durante a fase aguda e de continuação do tratamento para depressão, e um examinou a eficácia desses tratamentos durante a fase de manutenção. Tratamentos com psicoterapia (sozinha ou combinada com medicação) foram superiores à farmacoterapia em três estudos com sujeitos com depressão maior. Psicoterapia não foi superior a placebo ou antidepressivos em um estudo com sujeitos com distimia ou depressão menor. CONCLUSÃO: As evidências empíricas sobre a eficácia da psicoterapia versus a farmacoterapia para pacientes idosos com depressão são escassas e não conclusivas, sugerindo a necessidade de novos ensaios clínicos que investiguem a eficácia da psicoterapia para o tratamento de depressão em idosos.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Depression is one of the most prevalent mental disorders in old age. Although pharmacological treatments have proven efficacy, recurrence of depression is common. This paper reviews the existing clinical trials on the efficacy of psychotherapy versus pharmacological treatments, alone or combined, for depression treatment in elderly people. METHODS: Internet search of two databases (Medline and PsychINFO) were performed to find out randomized-controlled trials, published between 1984 and 2001, examining the efficacy of psychotherapies versus pharmacotherapy for depression in individuals aged 60 or over with diagnosis of dysthymia, minor or major depression. RESULTS: Four studies were included, three of them compared the efficacy of psychotherapy versus pharmacotherapy during the acute and continuation phase for depression treatment, and one assessed the efficacy of these treatments during the maintenance phase. Treatments that comprised psychotherapy (alone or combined with medication) showed to be more efficacious than pharmacotherapy in the three studies of major depression subjects. Psychotherapy was not more efficacious than placebo or antidepressants in the study of dysthymia or minor depression subjects. CONCLUSION: Empirical evidence on the efficacy of psychotherapy versus pharmacotherapy for depression treatment in elderly people is scant and inconclusive, suggesting a great need of further clinical trials investigating the efficacy of psychotherapy for depression treatment in later life.
  • How long should older people take antidepressants to prevent relapse?

    Spear, Jon

    Abstract in Portuguese:

    Pacientes com transtorno depressivo apresentam alto risco de recorrência e recaída. É possível prevenir a recaída ou a recorrência do episódio depressivo ou retardá-lo em fases tardias da vida? Este artigo revisa ensaios clínicos aleatorizados e não-aleatorizados com o objetivo de estabelecer se o tratamento antidepressivo de manutenção reduz o risco de recaída e recorrência de depressão em idosos. O artigo também examina a evidência atualmente disponível sobre a eficácia das intervenções psicossociais e psicoterapêuticas. O artigo conclui com recomendações para a prática clínica e pesquisas futuras.

    Abstract in English:

    Patients with depressive disorder have a high risk of relapse after recovery from a depressive episode. Can the relapse of depressive disorder be prevented or delayed for older adults? This paper reviews the evidence from randomised clinical trials and open label trials of the effectiveness of maintenance antidepressant therapy for older adults with depressive disorder. It also examines the evidence for the effectiveness of psychosocial and psychotherapeutic interventions. The paper concludes with recommendations for clinical practice and future research.
  • What happens to anxiety disorders in later life?

    Byrne, Gerard JA

    Abstract in Portuguese:

    A prevalência dos transtornos da ansiedade diminui com o envelhecimento, mas ainda assim é mais comum que os transtornos depressivos. Com freqüência, os transtornos de ansiedade têm início tardio e estão associados a transtornos depressivos e doença física. Embora seja provável que os transtornos da ansiedade dos idosos respondam de forma adequada às mesmas intervenções não-farmacológicas que comprovadamente funcionam para o tratamento de pacientes jovens, há pouca evidência empírica disponível nessa área. Há também alguma evidência de que o tratamento ansiolítico com buspirona seja eficaz, mas ainda são necessários ensaios clínicos utilizando populações idosas e critérios rigorosos para o diagnóstico de transtornos da ansiedade. É necessária uma escala de ansiedade que seja comprovadamente confiável e válida para uso entre idosos a fim de auxiliar no processo de identificação de casos e medir a mudança na gravidade dos sintomas entre idosos que recebem tratamento para transtornos da ansiedade.

    Abstract in English:

    Anxiety disorders decline in prevalence with advancing age but remain more common than depressive disorders. They are often of late-onset and there is frequent comorbidity with depressive disorders and physical illness. While anxiety disorders in older people are likely to respond to the same non-pharmacological interventions that have been shown to work in younger people, there is currently little formal evidence of this. Although there is some evidence that the non-benzodiazepine anxiolytic medication, buspirone, is effective against late life anxiety symptoms, clinical trials in older people with rigorously diagnosed anxiety disorders are needed. An anxiety scale with demonstrated reliability and validity in older people is needed for screening for pathological anxiety and for measuring change in older patients undergoing treatment for anxiety disorders.
  • Schizophrenia and delusional disorders with onset in later life

    Hassett, Anne

    Abstract in Portuguese:

    Transtornos mentais do espectro da esquizofrenia são comumente associados a início na primeira fase da vida adulta. Quando sintomas psicóticos não-afetivos emergem pela primeira vez em fases tardias da vida, a apresentação clínica tem semelhanças e diferenças em relação às síndromes de início precoce. Essa situação resultou em debate contínuo sobre o status nosológico da psicose de início tardio e sobre se há fatores de risco associados a esse pico de incidência na terceira idade. Embora déficits cognitivos precoces sejam freqüentemente identificados entre esses pacientes, ainda não foi possível estabelecer se problemas cognitivos estão associados a um quadro demencial dos idosos. Comprometimento sensorial, isolamento social e história familiar de esquizofrenia têm sido associados à psicose de início tardio, mas esses fatores de risco parecem exercer um papel não-específico sobre a vulnerabilidade. Ainda que as questões sobre o diagnóstico mais adequado para esses quadros clínicos permaneçam não resolvidas, os psiquiatras precisam formular estratégias de tratamento que levem em consideração a complexa constelação de sintomas da apresentação clínica de pacientes idosos psicóticos.

    Abstract in English:

    Schizophrenia-spectrum illness is most commonly associated with an onset in early adulthood. When non-affective psychotic symptoms emerge for the first time in later life, the clinical presentation has both similarities and differences with earlier-onset syndromes. This situation has resulted in continuing debate about the nosological status of late-onset psychosis, and whether there are particular risk factors associated with this late-life peak in incidence. Although early cognitive decline is frequently identified in these patients, studies, to date, have not established if there is a relationship with the dementing illnesses of old age. Sensory impairment, social isolation, and a family history of schizophrenia have been associated with late-onset psychosis, but appear to exert a nonspecific influence on vulnerability. While diagnostic issues remain unresolved, clinicians need to formulate treatment strategies that most appropriately address the constellation of symptoms in the clinical presentation of their psychotic elderly patients.
Associação Brasileira de Psiquiatria Rua Pedro de Toledo, 967 - casa 1, 04039-032 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5081-6799, Fax: +55 11 3384-6799, Fax: +55 11 5579-6210 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: editorial@abp.org.br