Representações de gestantes sobre o uso de plantas medicinais

Representations of pregnant women on the use of medicinal plants

Esta pesquisa insere-se no campo da etnofarmacologia e utiliza, como fonte de dados, informações de gestantes usuárias, ou não, de fitoterápicos. O objetivo foi o de analisar representações formadas sobre o uso de plantas medicinais por gestantes em tratamento ambulatorial. Na perspectiva metodológica, assinala-se a natureza qualitativa do estudo e o emprego da análise de conteúdo, na perspectiva bardiniana. O levantamento de dados foi feito com um grupo de gestantes que usava e um grupo que não usava fitoterápicos. As análises permitiram identificar as categorias da concepção e dos motivos do uso, ou não, das plantas, verificando-se, com o grupo de usuárias, que o seu conhecimento vem sendo transmitido de geração a geração, principalmente através da informação verbal. Pôde-se, então, observar que esse conhecimento, embora aceito, pode levar ao uso inadequado ou ineficaz. No grupo que não usava fitoterápicos, pôde-se perceber desconhecimento da fitoterapia, ou a compreensão das plantas como perigosas, prejudiciais ao feto. Nas conclusões, verificaram-se dificuldades de identificação e administração segura das plantas e um certo grau de mistificação, além do uso de substâncias ineficazes e potencialmente tóxicas, destacando-se, então, o valor do diálogo entre médico e pacientes, com atenção ao possível uso medicinal de plantas.

gravidez; etnofarmacologia; representações sociais; plantas medicinais


Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais CPQBA - UNICAMP, Divisão de Agrotecnologia - CPQBA, 13148-218 Paulínia- SP-Brasil, Tel. (55 19) 2139-2891, Fax: (55 19) 2139-2852 - Botucatu - SP - Brazil
E-mail: rbpm.sbpm@gmail.com