Determinação da avidez de IgG em camundongos BALB/c experimentalmente infectados com Toxocara canis

Elizandra Roselaine Schoenardie Carlos James Scaini Luciana Farias da Costa de Avila Rita Leal Sperotto Sibele Borsuk Cristine Dias Pires Felicetti Michele Pepe Maria Elisabeth Aires Berne Sobre os autores

A toxocaríase é uma zoonose na qual os títulos de IgM podem permanecer elevados por longos períodos, tornando difícil a determinação do estágio em que a doença se encontra. O objetivo deste estudo foi investigar a aplicabilidade de um teste indireto de ELISA, associado com ureia, para fazer a discriminação entre as fases aguda e crônica da toxocaríase. A avidez de IgG foi avaliada em 25 camundongos BALB/c experimentalmente infectados com 1000 ovos embrionados de Toxocara canis. A cada duas semanas, amostras de sangue foram coletadas, o soro tratado com ureia 6M e realizado o ensaio pela técnica de ELISA. O percentual de avidez de IgG foi determinado, usando-se a média das absorbâncias dos soros tratados com ureia dividida pela média das absorbâncias dos soros não tratados. Nos primeiros 15 dias pós-inoculação, foi observado um baixo percentual de avidez de IgG, entre 7,25 e 27,5%, característico da fase aguda da infecção. Após 60 dias de infecção, todos apresentaram avidez de IgG entre 31,4 e 58%, indicando a fase crônica da infecção.

Larva migrans visceral; toxocaríase; infecção aguda e crônica; ELISA


Colégio Brasileiro de Parasitologia Veterinária FCAV/UNESP - Departamento de Patologia Veterinária, Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Zona Rural, , 14884-900 Jaboticabal - SP, Brasil, Fone: (16) 3209-7100 RAMAL 7934 - Jaboticabal - SP - Brazil
E-mail: cbpv_rbpv.fcav@unesp.br