Controle de Strongyloides westeri por fungos nematófagos após trânsito gastrintestinal em jumentas

Juliana Milani Araujo Jackson Victor de Araújo Fabio Ribeiro Braga Alexandre de Oliveira Tavela Sebastião Rodrigo Ferreira Filippe Elias de Freitas Soares Giovanni Ribeiro Carvalho Sobre os autores

O Strongyloides westeri é o nematóide de maior prevalência entre equídeos com idade até quatro meses, causando distúrbios gastrintestinais. O objetivo do presente trabalho foi observar o controle de larvas infectantes (L3) de Strongyloides westeri pelos fungos nematófagos Duddingtonia flagrans (AC001) e Monacrosporium thaumasium (NF34) após trânsito gastrintestinal em jumentas. Foram utilizadas 12 jumentas, estabuladas e previamente vermifugadas. A seguir, dois grupos tratados, contendo cada um 4 animais receberam por via oral 100 g de péletes em matriz de alginato de sódio, contendo massa miceliana dos fungos D. flagrans (AC001) ou M. thaumasium (NF34). O grupo controle foi constituído de 4 animais que receberam péletes sem fungo. A seguir, amostras de fezes dos grupos de animais foram coletadas em distintos intervalos de horas (12, 24, 48 e 72). Essas fezes foram vertidas em placas de Petri contendo meio sólido ágar-água 2% e 1000 L3 de S. westeri. Os isolados AC001 e NF34 apresentaram capacidade de destruir as L3 após o trânsito, demonstrando sua viabilidade e atividade predatória.

Fungos nematófagos; Duddingtonia flagrans; Monacrosporium thaumasium; Strongyloides westeri; jumentas


Colégio Brasileiro de Parasitologia Veterinária FCAV/UNESP - Departamento de Patologia Veterinária, Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Zona Rural, , 14884-900 Jaboticabal - SP, Brasil, Fone: (16) 3209-7100 RAMAL 7934 - Jaboticabal - SP - Brazil
E-mail: cbpv_rbpv.fcav@unesp.br