Cisticercose animal em aldeias indígenas brasileiras

Samuel Carvalho de Aragão Germano Francisco Biondi Luis Gustavo Ferraz Lima Cáris Maroni Nunes Sobre os autores

A inspeção sanitária da carne bovina e suína tem sido a principal forma diagnóstica da cisticercose animal e da prevenção da teníase no Brasil. As aldeias indígenas Jaguapirú e Bororó estão localizadas próximo à área urbana do município de Dourados-MS, com condições precárias de saneamento básico, onde bovinos e suínos são criados como fonte de alimento para consumo próprio, bem como para comercialização externa, geralmente sem inspeção sanitária oficial. Neste estudo, 96 carcaças bovinas e 117 amostras de soro de suínos, criados nas aldeias indígenas, foram avaliadas para a presença de formas metacestóides à inspeção sanitária e de anticorpos anti-Taenia sp. ao teste ELISA, respectivamente. Observaram-se 18,75% de positividade para cisticercose bovina e 9,4% para cisticercose suína. A ocorrência do complexo teníase-cisticercose nas aldeias pode favorecer a ocorrência desta zoonose na população indígena. Condições adequadas de abate e inspeção sanitária dos animais destas aldeias se fazem urgente para o controle do complexo teníase-cisticercose na população indígena.

Taenia saginata; Taenia solium; cisticercose; população indígena


Colégio Brasileiro de Parasitologia Veterinária FCAV/UNESP - Departamento de Patologia Veterinária, Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Zona Rural, , 14884-900 Jaboticabal - SP, Brasil, Fone: (16) 3209-7100 RAMAL 7934 - Jaboticabal - SP - Brazil
E-mail: cbpv_rbpv.fcav@unesp.br