Aspectos psicológicos da síndrome da fibromialgia juvenil: revisão de literatura

Rubens Goulart Cinthia Pessoa Império Lombardi JuniorSobre os autores

Resumo

A síndrome da fibromialgia juvenil (SFJ) é uma condição dolorosa não inflamatória crônica que ocorre principalmente em meninas entre nove e 15 anos. Pode ser caracterizada por dores generalizadas e constantes em várias regiões do corpo, distúrbios do sono, fadiga diurna e estado de humor alterado. Fatores psicológicos e biológicos concomitantes resultaram na diminuição da capacidade de lidar com a dor. A qualidade de vida das crianças que sofrem de dores crônicas, e a de seus cuidadores, é severamente prejudicada e a ocorrência de sintomas de ansiedade e depressão é mais comum nessa população. Este estudo objetivou fazer uma revisão sistemática da literatura dos fatores psicossociais relacionados com a SFJ. Os achados revelam uma percepção divergente entre pacientes e parentes em relação aos efeitos da condição. As mães dos pacientes tendem a classificar a doença com uma gravidade maior do que os próprios pacientes. Os pacientes com fibromialgia parecem compartilhar os mesmos traços de personalidade e parece existir um tipo de ambiente familiar favorável à ocorrência da doença. As implicações psicológicas e funcionais devem ser tratadas com métodos que ajudem pacientes e parentes a modificar suas estratégias de enfrentamento dos problemas cotidianos, a aliviar as consequências disfuncionais da dor e da fadiga e a diminuir o risco de catastrofização.

Palavras-chave:
Fibromialgia; Adolescentes; Crianças; Psicologia; Revisão

Sociedade Brasileira de Reumatologia Av Brigadeiro Luiz Antonio, 2466 - Cj 93., 01402-000 São Paulo - SP, Tel./Fax: 55 11 3289 7165 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sbre@terra.com.br