Distribuição da umidade da semente em uma planta de soja

É comum observa-se em plantas de soja que as sementes alcançam a maturação em diferentes períodos. Assim, o objetivo do presente estudo foi determinar a magnitude da distribuição da umidade das sementes, em diferentes estádios de maturação, em uma planta de soja. O estudo de campo foi conduzido no estado de Mato Grosso e estabelecido com sementes básicas da cultivar de soja MTBR-45. Na floração, 100 plantas no mesmo estádio, foram marcadas e a colheita iniciada quando as sementes ainda estavam com alto grau de umidade. Em oito colheitas, durante 16 dias, colhiam-se todas as vagens oriundas de duas plantas. Essas sementes, de cada vagem, foram debulhadas mecanicamente e sua umidade determinada. Os resultados revelaram que há uma grande amplitude na distribuição da umidade das sementes em uma planta de soja em que na maturidade fisiológica, pode alcançar mais de 30 pontos percentuais e, mesmo com uma umidade média inferior a 12%, há mais de 20% das sementes com umidade superior a 13%, por outro lado nesse período existem sementes que estão aguardando a colheita por mais de uma semana. Com base nos resultados, pode-se concluir e/ou recomendar que: 1 A grande amplitude do grau de umidade das sementes de soja recém colhidas, na maturação de campo, propicia a presença de sementes suscetíveis a danificação mecânica e com umidade não segura para armazenamento; 2- É recomendável colher as sementes com grau de umidade entre 15-18%, para minimizar os efeitos da deterioração de campo e as perdas com sementes muito úmidas; 3- É recomendável a utilização de secagem, mesmo em lotes de sementes colhidos em que a média da umidade esteja adequada para armazenamento .

Glycine max; distribuição umidade; semente soja


Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes R. Raja Gabaglia, 1110 , 86060-190 Londrina - PR Brasil, Tel./Fax: (55 43) 3025 5120 - Londrina - PR - Brazil
E-mail: abrates@abrates.org.br