Composição química e cinética da degradação ruminal de aveia branca (“Avena sativa” L.) IPR 126

Silvonei Tiago RICACHESKI Douglas Sampaio HENRIQUE Lilian Regina Rothe MAYER Jhone Gleison de OLIVEIRA Jucemara Aparecida ROSLER Ana Carolina FLUCK Sobre os autores

RESUMO

O objetivo com este estudo foi determinar a qualidade nutricional da aveia (Avena sativa L.) IPR 126, a fim de produzir forragem para ruminantes. Foram utilizados quatro períodos entre os cortes: 14, 21, 28 e 35 dias, distribuídos em blocos casualizados com quatro repetições para cada tratamento. As variáveis avaliadas foram: a concentração de fibra insolúvel em detergente neutro (FDN), lignina, matéria seca (MS), cinzas, extrato etéreo (EE) e digestibilidade in vitro da matéria seca obtida pela medição da produção de gás. O perfil de produção de gás foi ajustado ao modelo logístico bicompartimental. As variáveis e os parâmetros ajustados às curvas de produção de gás foram analisados como medidas repetidas através do PROC MIXED do SAS (versão 9.0) e a máxima verossimilhança restrita (REML) como o método de estimação de parâmetros. A análise de regressão foi realizada para as variáveis: MS, PB, EE, FDN, cinzas, e para o parâmetro k2 do modelo bicompartimental. As concentrações de MS e FDN aumentaram linearmente, PB, cinza, e as estimativas do parâmetro k2 diminuíram de forma linear e a concentração de EE apresentou comportamento cúbico em função da idade de colheita. A lignina e outros parâmetros do modelo de Schofield não foram influenciados pela idade de colheita. O intervalo de colheita influenciou alguns componentes químicos e taxa de degradação de carboidratos de fibra, mas não na concentração de lignina. A forragem com 21 dias de intervalo de corte apresentou maior valor nutricional.

Palavras-chave:
digestibilidade; forragem; valor nutritivo

UFBA - Universidade Federal da Bahia Avenida Adhemar de Barros nº 500 - Ondina , CEP 41170-110 Salvador-BA Brasil, Tel. 55 71 32836725, Fax. 55 71 32836718 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: rbspa@ufba.br