Polpa cítrica e complexo enzimático para suínos na fase de crescimento e terminação

Alessandro Borges Amorim Maria Cristina Thomaz Urbano do Santos Ruiz Juliana Freitas Martinez Leonardo Augusto Fonseca Pascoal Everton Daniel Pedro Henrique Watanabe David Luciano Rosalen Sobre os autores

Objetivou-se avaliar os efeitos de níveis de polpa cítrica (PC), com ou sem adição de um complexo enzimático nas rações, sobre o desempenho dos suínos e as características de carcaça. Utilizou-se 72 suínos, com 25,71 ± 7,51 e 98,81 ± 10,64kg de pesos inicial e final, respectivamente. As dietas foram formuladas para as fases: 1 - 70 aos 101; 2 - 102 aos 130; 3 - 131 aos 143 dias de idade. Como não houve redistribuição dos animais nos blocos no início das fases 2 e 3, os dados foram avaliados nos períodos: 1 - 70 aos 101; 2 - 70 aos 130 e 3 - 70 aos 143 dias de idade. A inclusão de até 15% de PC, com ou sem a adição do complexo enzimático nas dietas, diminuiu o consumo diário de ração nos Períodos 1 e 2, e melhorou a conversão alimentar no Período 2, porém, os animais apresentaram respostas adaptativas no Período 3. O rendimento de carcaça e a relação gordura/carne diminuíram linearmente, na medida em que aumentaram os níveis de PC, na ausência do complexo enzimático. Na presença do produto, a relação gordura/carne apresentou comportamento quadrático, e o nível de 7,78% de PC determinou a menor relação. A inclusão de até 15% de PC com ou sem a adição do complexo enzimático nas dietas para suínos, não proporciona diferenças no desempenho e pode ser uma alternativa alimentar, sem afetar as características de carcaça.

desempenho; enzimas exógenas; ingrediente alternativo; tipificação de carcaça


UFBA - Universidade Federal da Bahia Avenida Adhemar de Barros nº 500 - Ondina , CEP 41170-110 Salvador-BA Brasil, Tel. 55 71 32836725, Fax. 55 71 32836718 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: rbspa@ufba.br
Accessibility / Report Error