Padrões de resistência antimicrobianos e da presença de stx1, stx2 e "eae" em "Escherichia coli"

Gustavo Lacerda Homem ASSUMPÇÃO Marita Vendovelli CARDOZO Lívia Gerbase BERALDO Renato Pariz MALUTA Joviany Talita SILVA Fernando Antonio de AVILA Douglas McINTOSH Everlon Cid RIGOBELO Sobre os autores

Objetivou-se com este estudo investigar se a resistência antimicrobiana (RAM) ou a presença de genes de resistência foi associada com a ocorrência dos genes de virulência, stx1, stx2 e eae e os sorogrupos deEscherichia coli isoladas a partir de vacas-vacas leiteiras. Três genes de virulência e 11 fenótipos RAM foram examinados através de PCR e testes de susceptibilidade aos antimicrobianos. Das 800 amostras colhidas neste estudo, 561 amostras foram isoladas cepas de E. coli, sendo: 90 (16,0%) portadoras de stx1, 97 (17,3%) de stx2 e 45 (8,0%) dos genes eae, separadamente. Trinta e sete (6,6%) isolados foram portadores de stx1 e stx2, 110 (19,6%), foram portadores destx1 e eae e 67 (11,9%) foram portadores de stx2 e eae. O gene de virulência mais comum detectado foi stx1 seguido por stx2. O sorogrupo predominante entre os isolados portadores de stx1 foi O119. Entre as cepas portadoras de stx2, eae e também estirpes com nenhum fator de virulência, o sorogrupo predominante foi O9. O RAM dos isolados, medido fenotipicamente, não foi associado com a presença ou ausência de genes de virulência na população saudável de vaca leiteira-nem a sua ocorrência a qualquer um dos sorogrupos foi associada com genesstx1 e stx2 e eae.

Escherichia coli; resistência antimicrobiana; sorogrupos; STEC; vaca leiteira


UFBA - Universidade Federal da Bahia Avenida Adhemar de Barros nº 500 - Ondina , CEP 41170-110 Salvador-BA Brasil, Tel. 55 71 32836725, Fax. 55 71 32836718 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: rbspa@ufba.br