Qualidade do mel de Apis mellifera L. relacionadas às boas práticas apícolas

Honey quality from "Apis mellifera" L. related to good apicultural practices

Resumos

Avaliou-se a qualidade do mel de abelhas Apis mellifera L. em função do nível de utilização das Boas Práticas Apícolas (BPA) no Piauí. Utilizaram-se 60 amostras de mel produzido na safra de 2009. O experimento foi montado com três tratamentos (níveis de utilização de BPA) e 20 repetições: apicultores que utilizam em um melhor nível as BPA, com unidades de extração de produtos apícolas (UEPA) dentro dos padrões exigidos pela legislação vigente, apicultores que não utilizam as BPA corretamente, com UEPA fora dos padrões exigidos pela legislação vigente e apicultores que não utilizam corretamente as BPA, não possuindo UEPA. As amostras foram analisadas quantos aos parâmetros físico-químicos e microbiológicos. Foram observadas diferenças (com exceção de cinzas) entre os tratamentos T1 e os demais, sendo que as amostras mantiveram-se dentro dos padrões da legislação vigente. Não foram observados coliformes a 37ºC e a 45ºC nem Salmonella spp. Fungos filamentosos e leveduras foram encontrados em valores superiores a 1,0 UFC/g (log10) em 50%, 90% e 80% das amostras para os tratamentos T1, T2 e T3, respectivamente. Conclui-se que a utilização das BPA é uma ferramenta eficiente para a manutenção da qualidade físico-química e microbiológica do mel de abelhas melíferas.

manipulation; microbiological quality; moisture; water activity


We have evaluated the quality of Apis mellifera L. honey depending on the level of use of Good Apicultural Practices (GAP) in Piauí. We used 60 samples of honey produced during the 2009 harvest. The experiment was conducted with three treatments and three levels of GAP and 20 repetitions: Beekeepers using the GAP on a higher level, with bee product extraction unit (BPEU) within the standards required by legislation; Beekeepers that do not use correctly the GAP, with BPEU out of the standards required by legislation, Beekeepers who do not use correctly the GAP, and do not possess BPEU. The samples were analyzed for physic-chemical and microbiological. Differences were observed (except ash) among treatment T1 and the others, the samples remained within the current legislation standards. Coliforms at 37 º C and 45 º C or Salmonella spp. were not observed in the samples. Values higher than 1.0 CFU / g (log 10) of filamentous mold and yeasts were found in 50%, 90% and 80% of the samples as for treatments T1, T2 and T3 respectively. It is concluded the use of GAP is an efficient tool to maintain the physic-chemical and microbiological quality of Apis mellifera L. honey.

manipulation; microbiological quality; moisture; water activity


  • ABRAMOVIC, H.; JAMNIK, M.; BURKAN, L.; KAC, M. Water activity and water content in Slovenian honeys. Food Control, v.19, p.1086-1090, 2008.
  • ARAÚJO, D.R.; SILVA, R.H.D.; SOUSA, J.S. Avaliação da qualidade físico-química do mel comercializado na cidade de Crato, CE. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v.6, n.1, 2006.
  • ASSOCIATION OF ANALYTICAL CHEMISTS -AOAC. Official Methods of Analysis 15th. ed. 1998. Supl 2.
  • BARROS, G.C.; MEBDES, E.S.; SILVA, L.B.G. Qualidade Físico- Química e microbiológica de méis comercializados na grande Recife, PE. Higiene Alimentar, v.17, n.112, p.53- 58, 2003.
  • BOFF, T.; ROSA, C.S.; SANTOS, R.C.V. Qualidade Físico-química e microbiológica de méis comercializados nos principais supermercados de Santa Maria, RS. Higiene Alimentar, v.22, n.162, p.57- 61, 2008.
  • BOGDANOV. Honey Composition. Bood of Honey. [s.l.] : Bee Product Science, August 2009. Disponível em:<fttp://www.bee-hexagon.net>. Acesso em: 23 fev. 2010.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura, Portaria SIPA n. 367. Diário Oficial da União, 08 de setembro de 1997. Seção1, p.19696.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura e Abastecimento. Instrução Normativa n. 11. Diário Oficial da União, 23 de outubro de 2000. Seção 1, p.16-17.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Instrução Normativa nº 62, de 26 de agosto de 2003. Métodos Analíticos Oficiais para Análises Microbiológicas para Controle de Produtos de Origem Animal e Água. Diário Oficial da União, de 18/09/2003, 2003. Seção 1, p14.
  • BRASIL. Programas de Controle de Resíduos e Contaminantes em Carne (Bovina, Aves, Suína e Eqüina), Leite, Mel, Ovos e Pescado do exercício de 2007. Instrução Normativa n. 9. Diário Oficial da União, 04 de abril de 2007. Seção 1, p.7.
  • CODEX ALIMENTARIUS COMMISSION -CAC. Revised codex standard for honey. Rev.2 [2001]. 24th session of the Codex Alimentarius in 2001. Disponível em: <http://www.codexalimentarius.net/downloadstadards/310/CXSO12e.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2014.
  • CHIRIFE, J.; ZAMORA, M.C.; MOTTO, A. The correlation between water activity and % moisture in honey: Fundamental aspects and application to Argentine honeys. Journal of Food Engineering, v.72, p.287–292, 2006.
  • CRANE, E. Constituintes e característica do mel. In: CRANE, E. O livro do Mel São Paulo: Nobel, 1983.
  • DENARDI, C.A.S.; NISHIMOTO, É.J.; BALIAN, S.C.; TELLES, E. Avaliação da atividade de água e da contaminação por bolores e leveduras em mel comercializado na cidade de São Paulo – SP, Brasil. Revis Instituto Adolfo Lutz, v.64, n.2, p.219-222, 2005.
  • FALLICO, B.; ZAPPALA, M.; AARENA, E.; VERZERA A. Effects of conditioning on HMF content in unifloral honeys. Food Chemistry, v.85, p.205-313, 2003.
  • GLEITER, R.A.; HORN, H.; ISENGARD, H.D. Influence of type and state of crystallization on the water activity of honey. Food Chemistry, v.96, p.441–445, 2006.
  • GOMES, S.; DIAS, L. G.; MOREIRA, L. L.; RODRIGUES, P.; ESTEVINHO, L. Physicochemical, microbiological and antimicrobial properties of commercial honeys from Portugal. Food and Chemical Toxicology, v.48, p544-548, 2010.
  • INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Produção da Pecuária Municipal disponível em:<http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 15 set. 2014
  • KAČÁNIOVÁ, M.; SUDZINA, M.; SUDZINOVÁ, J.; FIKSELOVÁ, M.; CUBON, J.; HASCIK, P. Microbiological and physic – chemical quality of honey collected from different Slovak habitats. Slovak Journal Animal Science, v.40, n.1, p.38-43, 2007 .
  • KÜCÜK, M.; KOLAYLI, S.; KARAOGLU, S.; ULUSOY, E.; BALTACI, C.; CANDAN, F. Biological activities and chemical composition of three honeys of different types from Anatolia. Food Chemistry, v.100, p.526-534, 2007.
  • MALIKA, N.; MOHAMED, F.C.E. A. Microbiological and Physico-Chemical Properties of Moroccan Honey. International Journal of Agriculture and Biology, v.7, n.5, p.773-776, 2005.
  • SEEMANN, P.; NEIRA, M. Tecnología de la producción apícola Valdivia: Universidad Austral de Chile/ Facultad de Ciencias Agrarias Empaste, 1988. 202p.
  • SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL - SENAI. Boas Práticas Apícolas no Campo Brasília, 2009a. 51p.
  • SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL - SENAI. Manual de Segurança e Qualidade para a Apicultura Brasília, 2009b. 86p.
  • SILVA, C.L.; QUEIROZ, A.J.M.; FIGUEIRÊDO, R.M.F. Caracterização físico-química de méis produzidos no Estado do Piauí para diferentes floradas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.8, n.2/3, p.260-265, 2004.
  • SILVA, L.R.; VIDEIRA, R.; MONTEIRO, A.P.; VALENTÃO, P.; ANDRADE, P.B. Honey from Luso region (Portugal): Physicochemical characteristics and mineral contents. Microchemical Journal, v.93, p.73-77, 2009.
  • SNOWDON, J.A.; CLIVER, D.O. Microorganisms in honey Internacional. Journal of Food Microbiology, v31, p.1-26, 1996.
  • SORIA, A.C.; GONZÁLEZ, M.; LORENZO.; MARTIìNEZ-CASTRO, I.; SANZ, J. Characterization of artisanal honeys from Madrid (Central Spain) on the basis of their melissopalynological, physicochemical and volatile composition data. Food Chemistry, v.85, p.121-130, 2004.
  • STATISTICAL ANALYSIS SYSTEM System for Linear Models Cary: SAS Institute, 1986. 211p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    03 Nov 2014
  • Data do Fascículo
    Set 2014

Histórico

  • Aceito
    23 Set 2014
  • Recebido
    20 Jan 2014
UFBA - Universidade Federal da Bahia Avenida Adhemar de Barros nº 500 - Ondina , CEP 41170-110 Salvador-BA Brasil, Tel. 55 71 32836725, Fax. 55 71 32836718 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: rbspa@ufba.br