Accessibility / Report Error
Revista Brasileira de Terapia Intensiva, Volume: 20, Issue: 3, Published: 2008
  • RBTI is ambitious! Editorial

    Friedman, Gilberto
  • Comparative analysis of respiratory systems compliance in three different positioning (lateral, dorsal and sitting) in patients in prolonged invasive mechanical ventilation Artigos Originais

    Porto, Elias Ferreira; Castro, Antonio Adolfo Matos de; Leite, José Renato de Oliveira; Miranda, Saul Vitoriano; Lancauth, Auristela; Kumpel, Claudia

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: A realização deste estudo se justifica pelo fato que na prática clinica ocorrem constantes mudanças de decúbito do paciente no leito durante a hospitalização na terapia intensiva, sendo que necessita melhor entendimento sobre possíveis efeitos adversos principalmente sobre as condições do sistema respiratório que tais mudanças podem ocasionar. O objetivo deste estudo foi avaliar se o posicionamento do paciente no leito pode interferir na complacência pulmonar. MÉTODOS: Todos os pacientes incluídos neste estudo estavam em ventilação mecânica, e foram sedados e curarizados. Verificou-se a complacência do sistema respiratório de todos os pacientes em três diferentes posicionamentos: decúbito lateral (DL), decúbito dorsal (DD) e sentado (PS), para tanto, após a manobra de recrutamento alveolar os pacientes ficavam no posicionamento definido por 2 horas e nos últimos 5 min os dados eram colhidos do mostrador do ventilador mecânico. RESULTADOS: Vinte e oito pacientes foram prospectivamente analisados, Os valores de complacência do sistema respiratório no DL foram 37,07 ± 12,9 no DD 39,2 ± 10,5 e na PS 43,4 ± 9,6 mL/cmH2O. Houve diferença estatisticamente significativa quando a PS e a DD foram comparadas com a DL para complacência o sistema respiratório (p = 0.0052) e volume corrente (p < 0.001). Houve correlação negativa entre os valores médios de pressão expiratória final positiva e complacência do sistema respiratório (r = 0,59, p = 0,002). Para o DL a FIO2 foi 0,6, para o DD e posição sentada foi 0,5. (p = 0,049). CONCLUSÕES: O posicionamento dos pacientes no leito, em ventilação mecânica invasiva, ocasiona variação na complacência do sistema respiratório, volume corrente e saturação arterial de oxigênio. Na posição sentada a complacência do sistema respiratório é maior quando comparada aos decúbitos dorsal e lateral.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: This study is justified by the fact that in clinical practice, changes occur in patient's positioning in the bed during hospitalization in intensive care unity, it's necessary better understanding about possible adverse effects that such changes might cause mainly on the respiratory system condition. The objective this study was to evaluate if the patients positioning in bed can to alter the pulmonary complacency. METHODS: All included patients were submitted to mechanical ventilation and were sedated and curarized respiratory system compliance was assessed in three different positioning: lateral, dorsal and sitting. After an alveolar recruitment maneuver, patients were placed to a position throughout two hours, and in the last five minutes the data was collected from the mechanical ventilator display. RESULTS: twenty eight patients were prospectively assessed. Values of respiratory system compliance in the lateral position were 37,07 ± 12,9 in the dorsal were 39,2 ± 10,5 and in the sitting 43,4 ± 9,6 mL/cmH2O. There were a statistical difference when we compared to the sitting and dorsal with lateral positioning for respiratory system compliance (p = 0.0052) and tidal volume (p < 0.001). There was a negative correlation between mean values of positive end expiratory pressure a respiratory system compliance (r = 0.59, p = 0.002). The FIO2 administered was 0.6 for the lateral positioning and 0.5 for the dorsal and sitting positioning (p = 0.049). CONCLUSIONS: That body positioning in patients restrained to a bed and submitted to invasive mechanical ventilation leads to pulmonary compliance, tidal volume and SpO2 oscillations. In the sitting position the pulmonary compliance is higher than in others positions.
  • Cuff pressure analysis of intensive care unit patients with different inclinations of the head section of the bed Artigos Originais

    Ono, Fabiane Coelho; Andrade, Ana Paula Alves de; Cardoso, Flávia Perassa de Faria; Melo, Maria do Horto Obes de; Souza, Renata da Nóbrega; Silva, Gilmara Hussey Carrara da; Vieira, Bárbara Elisa Mattos

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: A correta insuflação do balonete permite ventilação adequada, além de ser uma das formas de prevenção de pneumonia aspirativa bem como de diversas complicações traqueais. O objetivo deste estudo foi avaliar as pressões de balonetes dos tubos traqueais e/ou cânulas de traqueostomia nas angulações de zero, 30 e 60 graus de inclinação da cabeceira do leito de pacientes internados em unidades de terapia intensiva adulta. MÉTODOS: Realizado estudo transversal, com análise da pressão de balonetes, do volume- corrente expirado (VC) e da pressão de pico das vias aéreas (PP) nas posições de zero, 30 e 60 graus. A angulação de 30 graus foi considerada posição de referência como controle para a análise do comportamento dos valores nas posições de zero a 60 graus, as quais foram escolhidas de forma aleatória. Utilizou-se o teste t de Student, sendo considerado significativo quando p < 0,05. RESULTADOS: Amostra composta por 12 mulheres e 12 homens, com média de idade de 51,29 ± 19,55 anos. Ao modificar a inclinação da cabeceira de 30º para 0º, houve redução média de 16,9% na pressão de balonete e um aumento médio de 11,8% na PP. Já na alteração de 30º para 60º, a pressão de balonete reduziu, em média 18,8% e a PP teve aumento médio de 13,3%. Os achados foram significativos (p < 0,05). CONCLUSÕES: São necessários a monitorização e os ajustes adequados da pressão de balonete, nos momentos em que o paciente for submetido a modificações na inclinação da cabeceira do leito, a fim de prevenir o escape aéreo e o risco de ocorrência de pneumonia por aspiração.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: Correct cuff inflation allows appropriate ventilation, and prevents aspiration pneumonia as well as several tracheal complications. The objective of this study was to evaluate endotracheal cuff pressure and/or tracheotomy tubes at zero, 30 and 60 degrees inclination of the patient's bed head section in adult intensive care units. METHODS: A cross sectional study was carried out evaluating the cuff pressure, the expiratory tidal volume (VT) and the peak airway pressure (PP) at inclinations zero, 30 and 60 degree of the head section of the patients' bed. The 30 degree inclination was considered the standard position used as control to analyze values in the zero and 60 degree positions, which were randomly ordered. The Student's t test was used and was considered significant when p < 0.05. RESULTS: A sample of 12 women and 12 men with a mean age of 51.29 ± 19.55 years was surveyed. When inclination of the bed head section was changed from 30 to zero degrees, there was a 16.9% mean reduction of the cuff pressure and 11.8% mean increase of the PP. On the other hand, changing the position from 30 to 60 degrees caused a mean reduction of 18.8% in the cuff pressure and a mean increase of 13.3% in the PP. Findings were significant when p < 0.05. CONCLUSIONS: To prevent air leak and risk of aspiration pneumonia, adequate adjustments and monitoring of the patients cuff pressure are necessary when inclination of the bed head section is changed.
  • Postoperative cardiac artery bypass graft complications in elderly patients Artigos Originais

    Vegni, Ronaldo; Almeida, Gustavo Ferreira de; Braga, Fabricio; Freitas, Marcia; Drumond, Luis Eduardo; Penna, Guilherme; Kezen, José; Nobre, Gustavo Freitas; Kalichsztein, Marcelo; Japiassú, André Miguel

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: Devido ao aumento de longevidade da população e a alta prevalência de doença coronariana em idosos, o procedimento de revascularização miocárdica se tornou mais freqüente nesta faixa etária. O objetivo deste estudo foi avaliar as características operatórias, tempo de internação, complicações e desfechos de curto prazo, observada nas cirurgias de revascularização miocárdica em idosos. MÉTODOS: Entre fevereiro de 2005 e outubro de 2007, 269 pacientes foram submetidos à revascularização miocárdica . Foram identificados dados demográficos, comorbidades, escores prognósticos (Euroscore, Ontário e APACHE II), caráter eletivo versus urgente da cirurgia, dados do intra-operatório, complicações no período pós-operatório e tempo de permanência e letalidade na unidade de terapia intensiva. Os pacientes foram divididos em 4 grupos de acordo com a faixa etária: grupo I (até 60 anos, n = 68), II (60-69, n = 86), III (70-79, n = 93) e IV (acima de 80, n = 22). RESULTADOS: Quando comparados a outros grupos etários, o grupo IV foi submetido a maior número de cirurgias combinadas com troca valvar e de caráter urgente, com maior tempo de Unidade de Terapia Intensiva (p < 0,01). A incidência de pelo menos uma complicação pósoperatória foi significativamente maior no grupo com mais de 80 anos (p < 0.001). A análise multivariada demonstrou que idade e tempo de circulação extracorpórea foram fatores associados independentemente com a ocorrência de complicações. A letalidade foi maior em pacientes com mais de 70 anos (p = 0,03). CONCLUSÕES: Pacientes com mais de 80 anos submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica apresentaram maior tempo de permanência na unidade de terapia intensiva, número de complicações e letalidade. Idade e tempo de circulação extracorpórea foram fatores de risco, independentemente associados com a incidência de complicações pós-operatórias.

    Abstract in English:

    PURPOSE: Due to the increasing longevity of the and high prevalence of coronary heart disease in the aged , coronary artery bypass graft surgery has become frequent in older patients. The purpose of this study is to describe operative features, length of stay, complications and short term outcomes after coronary artery bypass graft in such patients. METHODS: From February 2005 to October 2007, 269 patients underwent coronary artery bypass graft. Demographic data, comorbidities, prognostic scores, coronary artery bypass graft elective versus urgent indication, intensive care unit length of stay, postoperative complications and intensive care unit mortality were recorded. Intra-operative characteristics, such as total surgery time, use of bypass device, on-pump time, urine output, fluid balance, use of blood products and number of grafts, were analyzed. Patients were divided in four age groups: group I (< 60 n = 68), II (60 to 69 n = 86), III (70 to 79 n = 93) IV and older than 80 years (n = 22). RESULTS: Group IV patients were more frequently submitted to coronary artery bypass graft combined with valve replacement, emergency surgery, and had longer stay in the intensive care unit (p < 0.01). The incidence of at least one postoperative complication was also higher among patients older than 80 (p < 0.001). Multivariate analysis identified age and on-pump time as independent risk factors for development of complications. Mortality increased in patients older than 70 years (p = 0.03). CONCLUSIONS: Octogenarian patients undergoing coronary artery bypass graft have longer intensive care unit length of stay, incidence of complications and mortality. Age and on-pump time were independent risk factors associated with the incidence of postoperative complications.
  • Intensive care unit physicians: socio-demographic profile, working conditions and factors associated with burnout syndrome Artigos Originais

    Barros, Dalton de Souza; Tironi, Márcia Oliveira Staffa; Nascimento Sobrinho, Carlito Lopes; Neves, Flávia Serra; Bitencourt, Almir Galvão Vieira; Almeida, Alessandro de Moura; Souza, Ygor Gomes de; Teles, Marcelo Santos; Feitosa, Ana Isabela Ramos; Mota, Igor Carlos Cunha; França, Juliana; Borges, Lorena Guimarães; Lordão, Manuela Barreto de Jesus; Trindade, Maria Valverde; Almeida, Mônica Bastos Trindade; Marques Filho, Edson Silva; Reis, Eduardo José Farias Borges dos

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: A síndrome de Burnout é uma reação de estresse excessivo relacionada ao trabalho que se apresenta em três dimensões: exaustão emocional, despersonalização e ineficácia. O objetivo deste estudo foi descrever o perfil de médicos plantonistas de unidades de terapia intensiva e avaliar os fatores associados à presença de síndrome de Burnout nessa população. MÉTODOS: Estudo descritivo de corte transversal, avaliando os médicos que trabalham em unidades de terapia intensiva adulto de Salvador-BA com carga mínima de 12 horas de plantão semanal. Foi distribuído um questionário auto-aplicável dividido em duas partes: a primeira referente a características sóciodemográficas e a segunda composta da avaliação da síndrome de Burnout através do Maslach Burnout Inventory. RESULTADOS: Foram avaliados 297 plantonistas, sendo 70% homens. A média de idade e de tempo de formado foi de 34,2 e 9 anos, respectivamente. Níveis elevados de exaustão emocional, despersonalização e ineficácia foram encontrados em 47,5%, 24,6% e 28,3%, respectivamente. A prevalência da síndrome de Burnout, considerada como nível elevado em pelo menos uma dimensão, foi de 63,3%. Esta prevalência foi significativamente menor nos médicos que possuíam título de especialista em medicina intensiva, com mais de nove anos de formado e que ainda pretendem trabalhar por mais de 10 anos em unidades de terapia intensiva. A prevalência foi maior nos médicos com mais de 24 horas de plantão ininterrupto em terapia intensiva por semana. CONCLUSÕES: A prevalência de síndrome de Burnout foi elevada entre os médicos avaliados, sendo mais freqüente nos plantonistas mais jovens, com elevada carga de trabalho e sem especialização em medicina intensiva.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: Burnout syndrome is a response to prolonged occupational stress that involves three main dimensions: emotional exhaustion, depersonalization, and reduced personal accomplishment. The aim of this study was to describe socio-demographic characteristics of intensive care unit physicians and evaluate factors associated to the presence of Burnout syndrome in this population. METHODS: A cross-sectional study was performed to evaluate physicians who have worked in intensive care units from the city of Salvador (Bahia - Brazil) with a minimum weekly workload of 12-hour. An anonymous self-reported questionnaire was used and it was divided into two parts: socio-demographic characteristics and evaluation of Burnout syndrome through Maslach Burnout Inventory. RESULTS: We studied 297 physicians and most of them were male (70%). The mean age and time of graduation were, respectively, 34.2 and 9 years. High levels of emotional exhaustion, depersonalization, and reduced personal accomplishment were found in respectively, 47.5%, 24.6% and 28.3%. The prevalence of Burnout syndrome, considered as high level in at least one dimension, was of 63.3%. This prevalence was statistically lower in physicians specialized on intensive care, those with more than nine years of graduation and those who intend to continue working in intensive care units for more than 10 years. The prevalence was higher in the doctors with more than 24-hours of uninterrupted intensive care work per week. CONCLUSIONS: Burnout syndrome was common among intensive care physicians and it was more frequent in the youngest doctors, with higher workload and without specialization on intensive care.
  • Enteral nutritional therapy with pre, pro and symbiotic and gastrointestinal tract and inferior airway colonization in mechanically ventilated patients Artigos Originais

    Shinotsuka, Cássia Righy; Alexandre, Marta Ribeiro; David, Cid Marcos Nascimento

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: A sepse é a principal causa de morte nas unidades de terapia intensiva. Recentemente, têm sido pesquisadas novas formas de prevenção e tratamento de infecção nosocomial, tais como o uso de pré e pró e simbióticos, devido as suas propriedades imunomoduladoras. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da administração de pré, pro e simbióticos sobre a colonização de trato gastrintestinal e vias aéreas inferiores e sobre a incidência de infecções nosocomiais, particularmente pneumonia associada à ventilação mecânica. MÉTODOS: Pacientes em ventilação mecânica, internados na unidade de terapia intensiva do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho entre novembro de 2004 e agosto de 2006, foram aleatorizados em quatro grupos: controle (n = 16), prebiótico (n = 10), probiótico (n = 12) e simbiótico (n = 11). O tratamento foi administrado por 14 dias. Foram avaliados: a) colonização do trato gastrintestinal e traquéia; b) incidência de infecções nosocomiais, principalmente pneumonia associada a ventilação mecânica; c) tempo de terapia antibiótica, ventilação mecânica, internação e letalidade na terapia intensiva e hospitalar; d) incidência de disfunções orgânicas. RESULTADOS: Foram avaliados 49 pacientes. A letalidade na terapia intensiva foi de 34%, intra-hospitalar de 53% e a mediana do APACHE II de 20 (13 - 25). Os grupos foram comparáveis na admissão. Houve aumento não significativo da proporção de enterobactérias em relação à de não fermentadores no sétimo dia na secreção traqueal nos grupos pré e probiótico e diminuição não-significativa do número de amostras no estômago nos grupos pré, pró e simbiótico no sétimo dia. Não houve diferença na incidência de pneumonia associada a ventilação mecânica, infecção nosocomial ou nos demais parâmetros. CONCLUSÕES: O uso de pré, pró e simbióticos não foi eficaz na prevenção de infecções nosocomiais, porém houve uma tendência de redução da colonização da secreção traqueal por bactérias não fermentadoras.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: Sepsis is the main cause of death in the intensive care unit. New preventive measures for nosocomial infections have been researched, such as pre, pro and symbiotic usage, due to its immunoregulatory properties. The objective was to evaluate the effect of administration of pre, pro and symbiotic on gastrointestinal and inferior airway colonization and on nosocomial infections, particularly ventilator-associated pneumonia. METHODS: Patients who were admitted to the intensive care unit at Hospital Universitário Clementino Fraga Filho between November 2004 and September 2006 and mechanically ventilated were randomized in one of four groups: control (n = 16), prebiotic (n = 10), probiotic (n = 12) or symbiotic (n = 11). Treatment was administered for fourteen days. Outcomes measured were: a) Colonization of the gastrointestinal tract and trachea; b) incidence of nosocomial infections, particularly ventilator associated pneumonia; c) duration of mechanical ventilation, length of stay in the intensive care unit, duration of hospitalization, mortality rates, and d) development of organ dysfunction. RESULTS: Forty-nine patients were evaluated. intensive care unit's mortality was 34% and in-hospital mortality was 53%, APACHE II median was 20 (13 -25). The groups were matched at admission. There was no difference between the groups in relation to the incidence of ventilator associated pneumonia or nosocomial infection. There was a non-significant increase in the proportion of enterobacteria in the trachea at the seventh day in the pre and probiotic groups compared to control. There was a non-significant decrease in the number of bacteria found in the stomach in the pre, pro and symbiotic group at day 7. No significant difference, in regards to the remaining measured parameters, could be found. CONCLUSIONS: Probiotic therapy was not efficient in the prevention of nosocomial infection but there was a tendency to reduction in tracheal colonization by non-fermenting bacteria.
  • Characteristics of patients with systemic lupus erythematosus admitted to the intensive care unit in a brazilian teaching hospital Artigos Originais

    Couto, Denison de Oliveira; Feijó, Carlos Augusto Ramos; Aguiar, Sabrine Mustafa; Meneses, Francisco Albano de

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: Face à demanda de nosso serviço, buscamos descrever as características e a evolução dos pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES) internados na unidade de terapia intensiva do Hospital Universitário Walter Cantídio. MÉTODOS: Os pacientes foram, retrospectivamente, caracterizados quanto aos dados demográficos, tempo de diagnóstico da doença, disfunções orgânicas e exames laboratoriais à admissão, suportes terapêuticos usados durante a internação, tempo de internação hospitalar prévio à admissão, tempo de permanência na unidade, reinternações e desfecho evolutivo. Foram avaliados os escores Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity (SLEDAI) e Acute Physiological and Chronic Health Evaluation II (APACHE II) à admissão, a mortalidade prevista e a razão de mortalidade padronizada. RESULTADOS: No período de novembro de 2003 a outubro de 2006, 1.052 pacientes foram admitidos à UTI, 50 (4,75%) dos quais com LES. Houve predomínio do sexo feminino (88,2%), com média de idade de 30,3 ± 12,8 anos. A mediana do tempo de diagnóstico da doença foi de 67 meses. As disfunções mais prevalentes à admissão foram: renal (70,6%), cardiovascular (61,8%), respiratória (55,9%) e neurológica (55,9%). As principais disfunções motivadoras da admissão na unidade de terapia intensiva foram: respiratória (38,2%), cardiovascular (29,4%) e neurológica (29,4%). Os tratamentos mais utilizados foram: hemocomponentes (44,1%), fármacos vasopressores (41,2%), ventilação mecânica (35,3%) e diálise (23,5%). A média do SLEDAI foi 15 ± 12,2 pontos e a do APACHE II foi 19,3 ± 6,8 pontos, com mortalidade prevista de 37,6%. Registrou-se óbito de 20,6% após 48 horas na unidade de terapia intensiva e 8,8%, com menos de 48h. A razão de mortalidade padronizada foi 0,78. Os pacientes com APACHE II maior que 18 pontos, com mais de três disfunções orgânicas, leucopenia (menor que 4.000 mm³) e acometimento gastrintestinal ou metabólico faleceram significativamente mais. CONCLUSÃO: A despeito da gravidade à admissão na unidade de terapia intensiva, inferida pelo APACHE II e as disfunções agudas, a evolução dos pacientes analisados sugere susceptibilidade às medidas terapêuticas.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: Due to the high incidence in our service, we did object on this study describe the features and outcome of patients with systemic lupus erythematosus (SLE) admitted to the intensive care unit of Walter Cantídio University Hospital METHODS: Patients were restrospectively characterized according to demography parameters, time of diagnosis of SLE, organ dysfunction and laboratorial parameters at admission, supportive therapies during their stay, length of stay in the hospital before admission, length of stay in the unit, readmission to the unit and outcome. We also evaluated Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity (SLEDAI) score, Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II (APACHE II) score, expected mortality and standardized mortality ratio. RESULTS: From November 2003 to October 2006, 1,052 patients were admitted to the intensive care unit. Fifty patients had SLE and were included in this retrospective study. Of the 50 patients with SLE admitted to the ICU, 88.2% were female. The mean age was 30.3 ± 12.8 years. The median time of diagnosis of SLE was 67 months. The most common organ dysfunctions were renal (70.6%), cardiovascular (61.8%), respiratory (55.9%) and neurological (55.9%). The main reasons for admission to the ICU were respiratory (38.2%), cardiologic (29.4%) and neurological (29.4%) dysfunctions. Among the intensive care therapies, 44.1% of the patients needed blood products, 41.2% vasopressor agents and 35.3% mechanical ventilation, 23.5% dialysis. The mean SLEDAI score was 15.0 ± 12.2. The mean APACHE II score was 19.3 ± 6.8, with a predicted mortality rate of 37.6%. The actual mortality rate in ICU was 29.4%, with 8.8% before 48 hours. The standardized mortality ratio was 0.78. Patients with APACHE II > 18, with more than 3 acute organ involvements, leukopenia (< 4000 cells/mm3) and gastrointestinal or metabolic involvement had higher mortality in the intensive care unit. CONCLUSION: Although the severity of patients at admission to the ICU, demonstrated by APACHE II and the acute dysfunctions, the outcomes of analysed patients sugest susceptibility to the therapy.
  • Effects of different tidal volumes and positive end expiratory pressure on gas exchange in experimental bronchopleural fistula Artigos Originais

    Toneloto, Maria Gabriela Cavicchia; Terzi, Renato Giuseppe Giovanni; Silva, William Adalberto; Moraes, Ana Cristina de; Moreira, Marcos Mello

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: O presente estudo foi desenhado para identificar o efeito da pressão expiratória final positiva (PEEP) e o volume corrente pulmonar ideal para ventilar animais com fístula broncopleural produzida cirurgicamente, com o intuito de reduzir a vazão da fístula sem afetar a troca gasosa. MÉTODOS: Avaliação hemodinâmica e respiratória da troca gasosa foi obtida em cinco porcos jovens, saudáveis, da linhagem Large White, ventilados mecanicamente no modo ventilatório volume controlado com FiO2 de 0.4 e relação inspiração:expiração em torno de 1:2, com freqüência respiratória mantida em 22 cpm. A fístula broncopleural foi produzida pela ressecção da língula. Um sistema de drenagem a selo d'água foi instalado e o tórax foi hermeticamente fechado. A troca gasosa e o débito da fístula broncopleural foram medidos com animais ventilados sequencialmente com volumes correntes de 4 ml/kg, 7 ml/kg e 10 ml/Kg alternando zero de pressão expiratória final positiva (ZEEP) e PEEP de 10 cmH2O, sempre na mesma ordem. RESULTADOS: Esses dados são atribuídos à ventilação alveolar reduzida e às anormalidades da ventilação/perfusão que foram atenuadas com volumes correntes mais altos. PEEP aumentou o vazamento de ar pela fístula, mesmo com baixos volumes, de 2.0 ± 2,8mL para 31 ± 20,7mL (p= 0,006) e diminuiu a ventilação alveolar em todos os volumes correntes. A ventilação alveolar melhorou com altos volumes correntes, mas aumentou o débito da fístula (4 ml/kg - 2,0 ± 2,8mL e 10 mL/kg - 80,2 ± 43,9mL; p=0,001). Baixos volumes correntes resultaram em hipercapnia (ZEEP - 83,7± 6,9 mmHg e com PEEP 10 -93 ± 10,1mmHg) e diminuição significativa da saturação de oxigênio arterial, em torno de 84%. CONCLUSÃO: O volume corrente de 7 ml/kg com ZEEP foi considerado o melhor volume corrente, visto que, apesar da hipercapnia moderada, a saturação de oxigênio arterial é sustentada em torno de 90%. A ventilação alveolar melhora e o débito da fístula é reduzido quando comparado ao volume corrente de 10ml/Kg. Um baixo volume resulta em hipercapnia e grave dessaturação. Finalmente, em qualquer volume corrente, PEEP aumenta o débito da fístula e diminui a ventilação alveolar.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: The present study was designed to identify the effect of positive end expiratory pressure (PEEP) and the ideal pulmonary tidal volume to ventilate animals with a surgically produced bronchopleural fistula, aiming to reduce fistula output without affecting gas exchange. METHODS: Hemodynamic and respiratory assessment of gas exchange was obtained in five, healthy, young, mechanically ventilated Large White pigs under volume controlled ventilation with FiO2 of 0.4 and an inspiration:expiration ratio of 1:2, keeping respiratory rate at 22 cpm. A bronchopleural fistula was produced by resection of the lingula. Underwater seal drainage was installed and the thorax was hermetically closed. Gas exchange and fistula output were measured with the animals ventilated sequentially with tidal volumes of 4 ml/kg, 7 ml/kg and 10 ml/Kg alternating zero of positive end expiratory pressure (ZEEP) and PEEP of 10 cmH2O, always in the same order. RESULTS: These findings are attributed to reduced alveolar ventilation and ventilation/perfusion abnormalities and were attenuated with larger tidal volumes. PEEP increases air leak, even with low volume (of 2.0 ± 2.8mL to 31 ± 20.7mL; p= 0.006) and decreases alveolar ventilation in all tidal volumes. Alveolar ventilation improved with larger tidal volumes, but increased fistula output (10 mL/kg - 25.8 ± 18.3mL to 80.2 ± 43.9mL; p=0.0010). Low tidal volumes result in hypercapnia (ZEEP - Toneloto MGC, Terzi RGG, Silva WA, Moraes AC, Moreira MM 83.7± 6.9 mmHg and with PEEP 10 - 93 ± 10.1mmHg) and severely decreased arterial oxygen saturation, about of 84%. CONCLUSIONS: The tidal volume of 7 ml/Kg with ZEEP was considered the best tidal volume because, despite moderate hypercapnia, arterial oxygen saturation is sustained around 90%, alveolar ventilation improves and the fistula output is reduced when compared with a tidal volume of 10ml/Kg. A low tidal volume results in hypercapnia and severe desaturation. Finally, at any tidal volume, PEEP increases the fistula leak and decreases alveolar ventilation.
  • Factors that cause stress in physicians and nurses working in a pediatric and neonatal intensive care unit: bibliographic review Artigos Originais

    Fogaça, Monalisa de Cássia; Carvalho, Werther Brunow de; Cítero, Vanessa de Albuquerque; Nogueira-Martins, Luiz Antonio

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: Revisão de literatura sobre estresse ocupacional e síndrome de burnout em médicos e enfermeiros que trabalham em unidade de terapia intensiva pediátrica e neonatal. MÉTODOS: Os artigos foram identificados a partir das bases de dados MedLine, LILACS e SciElo, usando as palavras-chave estresse, burnout, médicos, enfermagem, unidade de terapia intensiva, unidade de cuidados intensivos pediátricos e unidades de cuidados intensivos neonatais. O período pesquisado foi de 1990 a 2007. RESULTADOS: Médicos e enfermeiros que trabalham em unidade de terapia intensiva pediátrica e neonatal são candidatos a apresentarem estresse, alterações psicológicas e síndrome de Burnout. Pesquisas sobre o tema identificaram alterações importantes que acometem médicos e enfermeiros intensivistas: sobrecarga de trabalho, burnout, desejo de abandonar o trabalho e níveis elevados de cortisol entre outros fatores. CONCLUSÕES: Os profissionais que trabalham em unidade de terapia intensiva pediátrica e neonatal , pela especificidade do seu trabalho, estão expostos ao risco do estresse ocupacional e, conseqüentemente ao Burnout. Estes dados sugerem a necessidade de serem feitas pesquisas, com o objetivo de desenvolver medidas preventivas e modelos de intervenção.

    Abstract in English:

    OBJECTIVES: Bibliographic review on occupational stress and burnout presence in physicians and nurses that work in pediatric and neonatal intensive care units. METHODS: The articles were selected from the MedLine, LILACS and SciElo data base using the key words: stress, burnout, physicians, nursing, intensive care unit, pediatric intensive care unit and neonatal intensive care unit. The studied period ranged from 1990 to 2007. RESULTS: Health professionals who work in pediatric and neonatal intensive care units are strong candidates for developing stress, psychological alterations and burnout syndrome. Researches on this subject identified important alterations suffered by these physicians and nurses, such as: work overload, burnout, desires of giving up their jobs, high levels of cortisol, among other alterations. CONCLUSIONS: Professionals, who work in pediatric and neonatal intensive care units, due to the specificity of their job, are liable to develop occupational stress, and consequently burnout. These results suggest the need for further research with the objective of developing preventive measures and intervention models.
  • Sepsis volume reposition with hypertonic saline solution Artigos Originais

    Friedman, Gilberto; Soriano, Francisco Garcia; Rios, Ester Correia Sarmento

    Abstract in Portuguese:

    Esta revisão discute os efeitos hemodinâmicos e imunomoduladores da solução hipertônica em choque experimental e em pacientes com sepse. Comentamos sobre os mecanismos de ação da solução hipertônica, recorrendo a dados sobre choque hemorrágico e séptico. Atuações específicas da solução salina hipertônica aplicáveis a sepse grave e choque séptico são enfatizadas. Os dados disponíveis corroboram os benefícios em potencial da infusão de solução salina hipertônica em vários aspetos da fisiopatologia da sepse, inclusive hipoperfusão dos tecidos, consumo reduzido de oxigênio, disfunção endotelial, depressão miocárdica e presença de um amplo elenco de citocinas próinflamatórias e várias espécies de oxidantes. Uma terapia que, ao mesmo tempo, bloqueie os componentes prejudiciais da sepse terá um impacto no seu tratamento. Estudos prospectivos adequadamente desenhados poderão no futuro comprovar o papel benéfico da solução salina hipertônica.

    Abstract in English:

    The present review discusses the hemodynamic and immune-modulatory effects of hypertonic saline in experimental shock and in patients with sepsis. We comment on the mechanisms of action of hypertonic saline, calling upon data in hemorrhagic and septic shock. Specific actions of hypertonic saline applicable to severe sepsis and septic shock are highlighted. Data available support potential benefits of hypertonic saline infusion in various aspects of the pathophysiology of sepsis, including tissue hypoperfusion, decreased oxygen consumption, endothelial dysfunction, cardiac depression, and the presence of a broad array of pro-inflammatory cytokines and various oxidant species. A therapy that simultaneously blocks the damaging components of sepsis will have an impact on the management of sepsis. Proper designed prospective studies may prove a beneficial role for hypertonic saline solution in the future.
  • Acute tumor lysis syndrome: a comprehensive review Artigos De Revisão

    Darmon, Michael; Malak, Sandra; Guichard, Isabelle; Schlemmer, Benoit

    Abstract in Portuguese:

    A síndrome de lise tumoral é caracterizada pela destruição maciça de células malignas e conseqüente liberação do seu conteúdo no espaço extracelular. Embora possa ocorrer de modo espontâneo, a síndrome de lise tumoral aparece em geral, logo após o início do tratamento com agentes quimioterápicos citotóxicos. Uma vez liberados, estes metabólitos podem subjugar os mecanismos homeostáticos resultando em hiperuricemia, hipercalemia, hiperfosfatemia, e hipocalcemia. Estas alterações biológicas podem levar à ocorrência de diversas manifestações clínicas, incluindo lesão renal aguda, convulsões e morte súbita, que podem requerer cuidados intensivos. Como a síndrome de lise tumoral está associada a um prognóstico reservado, prevenção de sua ocorrência per se e também de suas conseqüências é obrigatória. O objetivo desta revisão foi descrever os mecanismos fisiopatológicos, e as manifestações clínicas e biológicas da síndrome de lise tumoral aguda, e fornecer recomendações atualizadas para sua prevenção. Foram selecionados artigos sobre síndrome de lise tumoral publicados nos últimos 20 anos no PubMed www.pubmed.gov. Estudos referenciados nos artigos selecionados na busca, também foram utilizados. Resultados: A síndrome de lise tumoral é uma complicação grave e freqüente em pacientes com neoplasias de diagnóstico recente. Estratégias de prevenção incluem hidratação vigorosa, agentes uricolíticos, identificação dos fatores que predispõem à lesão renal aguda e, nos pacientes críticos, a indicação profilática de métodos de substituição da função renal necessários para prevenir ou limitar suas conseqüências. Entretanto, o momento adequado assim como as modalidades de prevenção a serem oferecidas ainda são desconhecidos e podem ser inclusive modificadas por alterações no espectro de pacientes em risco de desenvolvê-la. O desenvolvimento e a validação de estratégias baseadas no risco dos pacientes são necessários para limitar a alta morbidade e mortalidade desta complicação.

    Abstract in English:

    Tumor lysis syndrome is characterized by the massive destruction of malignant cells and the release in the extra-cellular space of their content. While Tumor lysis syndrome may occur spontaneously before treatment, it usually develops shortly after the initiation of cytotoxic chemotherapy. These metabolites can overwhelm the homeostatic mechanisms with development of hyperuricaemia, hyperkalaemia, hyperphosphataemia, and hypocalcaemia. These biological manifestations may lead to clinical manifestations including, acute kidney injury, seizure, or sudden death that require intensive care. Since clinical tumor lysis syndrome is associated with a poor prognosis both prevention of tumor lysis syndrome and prevention of clinical consequences of tumor lysis syndrome are mandatory. The objective of this review is to describe pathophysiological mechanisms, biological and clinical manifestations of tumor Lysis syndrome, and to provide upto-date guidelines to ensure prevention of tumor lysis syndrome. Review of selected studies on tumor lysis syndrome published at the PubMed database www.pubmed.gov during the last 20 years. Additional references were retrieved from the studies initially selected. Tumor lysis syndrome is a frequent and life-threatening complication of the newly diagnosed malignancies. Preventive measures, including hydration, uricolytic agents, eviction of factors predisposing to acute kidney injury and, in the more severe patients, on prophylactic renal replacement therapy, are required to prevent or limit clinical consequences of Tumor lysis syndrome. However optimal timing and modalities of prevention remains unknown and may be modified by the changing spectrum of patients at risk of tumor lysis syndrome. Development and validation of risk based strategies is required to limit the high morbidity and mortality of this complication.
  • Nutritional assessment of the severely ill patient Artigos De Revisão

    Maicá, Anahi Ottonelli; Schweigert, Ingrid Dalira

    Abstract in Portuguese:

    Considerando a importância e as dificuldades inerentes à avaliação do estado nutricional, assim como da interpretação dos resultados, além da inexistência de diretrizes específicas e validadas quanto aos métodos aplicados ao paciente crítico, o objetivo deste estudo foi contribuir para a análise e recomendação de métodos eficazes, passíveis de utilização e fidedignos do ponto de vista da interpretação no contexto do paciente grave. A presença de edema e alterações inespecíficas nas concentrações plasmáticas de proteínas; variáveis antropométricas alteradas, refletindo muito mais o rearranjo da água corporal total do que modificações do estado nutricional; estudos pouco conclusivos com a bioimpedância elétrica; ausência de dados relativos à aplicação da avaliação subjetiva global; indicadores bioquímicos alterados como conseqüência das mudanças metabólicas, entre outros, indicam as várias limitações dos métodos a esses pacientes. Na ausência de estudos que os validem, existem recomendações baseadas em evidências clínicas, observação e fundamentação nas alterações fisiopatológicas. Independentemente dos métodos, a observação clínica pela equipe de saúde é imprescindível em todas as etapas. Há necessidade de maiores estudos que identifiquem claramente os métodos e sua especificidade para a detecção, avaliação de risco ou monitorização.

    Abstract in English:

    Considering the importance and the difficulties inherent to nutritional state assessment, as well as the results interpretation and the inexistence of specific and validated guidelines related to applied methods to the severely ill patient, the present revision aims to contribute to the analysis and recommendation of efficient methods, which are suitable to use and reliable in terms of interpretation in the context of the severely ill patient. The presence of edema and unspecific alterations in the plasmatic concentrations of proteins; altered anthropometrics variables reflecting more the rearrangement of the total body water than the nutritional state changes; inconclusive studies with electric bioimpedance; absence of data related to the application of the global subjective assessment to severely ill patients; altered biochemical markers as a consequence of the metabolic changes that, among others, indicate several method limitations to these patients. Notwithstanding the lack of studies to validate the various methods, recommendations based on clinical evidences, observation and physiopathology alterations are available. Independent from the methods, clinical observation by the health staff at all stages is mandatory. It is crucial to dedicate more efforts to identify methods and their specificity to detection, risk assessment or monitoring.
  • How to conduct clinical research studies using high quality-clinical databases in the critical care Artigos De Revisão

    Francais, Adrien; Vesin, Aurélien; Timsit, Jean-François

    Abstract in Portuguese:

    As fontes de informação relacionadas à terapia intensiva e os meios de comunicá-la aumentam rapidamente. Neste artigo, apresentamos um panorama geral sobre o que deve ser feito para obter dados de alta qualidade nas unidades de terapia intensiva. Os princípios para a escolha da questão clínica da pesquisa, os desfechos, as variáveis explanatórias e os métodos estatísticos a serem utilizados para abordar a questão são comentados de forma geral, com ênfase nos erros e ciladas mais freqüentes que devem ser evitados.

    Abstract in English:

    The sources of intensive care-related information and the means of communication increase rapidly. We presented here an overview of what should be done to collect high quality database. In a second part, the principle of the choice of the research question, the outcome, the explanatory variables and the statistical methods to address the question are overviewed, emphasizing major and frequent pitfalls which should be avoided.
  • Hypertensive emergencies Artigos De Revisão

    Feitosa-Filho, Gilson Soares; Lopes, Renato Delascio; Poppi, Nilson Tavares; Guimarães, Hélio Penna

    Abstract in Portuguese:

    As urgências e as emergências hipertensivas são ocorrências clínicas que podem representar mais de 25% dos atendimentos a urgências médicas. O médico deverá estar habilitado a diferenciá-las, pois o prognóstico e o tratamento são distintos. Estima-se que 3% de todas as visitas às salas de emergência decorrem de elevações significativas da pressão arterial. Nos quadros relacionados a estes atendimentos, a emergência hipertensiva é a entidade clínica mais grave que merece cuidados intensivos. É caracterizada por pressão arterial marcadamente elevada e sinais de lesões de órgãos-alvo (encefalopatia, infarto agudo do miocárdio, angina instável, edema agudo de pulmão, eclâmpsia, acidente vascular encefálico). O objetivo deste estudo foi apresentar os principais pontos sobre o seu apropriado diagnóstico e tratamento. Foi realizada busca por artigos originais com os unitermos "crise hipertensiva" e "emergência hipertensiva" nas bases de dados Pubmed e MedLine nos últimos dez anos. As referências disponíveis destes artigos foram verificadas. Os artigos foram identificados e revisados e o presente estudo condensa os principais resultados descritos. Para esta revisão foram considerados ensaios clínicos em língua inglesa, estudos retrospectivos e artigos de revisão. A crise hipertensiva é a entidade clínica com aumento súbito da PA (> 180 x 120 mmHg), acompanhada por sintomas, que podem ser leves (cefaléia, tontura, zumbido) ou graves (dispnéia, dor precordial, coma e até morte), com ou sem lesão aguda de órgãos-alvo. Se os sintomas forem leves e sem lesão aguda de órgãos alvos, define-se a urgência hipertensiva. Se o quadro clínico apresentar risco de vida e refletir lesão aguda de órgãos-alvo têm-se, então, a emergência hipertensiva. Muitos pacientes também apresentam uma PA elevada demais, por não usarem suas medicações, tratando-se apenas de hipertensão arterial sistêmica crônica não controlada. Este conhecimento deve ser rotineiro ao emergencista e Intensivista no momento de decidir sobre a conduta.

    Abstract in English:

    Emergencies and hypertensive crises are clinical situations which may represent more than 25% of all medical emergency care. Considering such high prevalence, physicians should be prepared to correctly identify these crises and differentiate between urgent and emergent hypertension. Approximately 3% of all visits to emergency rooms are due to significant elevation of blood pressure. Across the spectrum of blood systemic arterial pressure, hypertensive emergency is the most critical clinical situation, thus requiring special attention and care. Such patients present with high blood pressure and signs of acute specific target organ damage (such as acute myocardial infarction, unstable angina, acute pulmonary edema, eclampsia, and stroke). Key elements of diagnosis and specific treatment for the different presentations of hypertensive emergency will be reviewed in this article. The MedLine and PubMed databases were searched for pertinent abstracts, using the key words "hypertensive crises" and "hypertensive emergencies". Additional references were obtained from review articles. Available English language clinical trials, retrospective studies and review articles were identified, reviewed and summarized in a simple and practical way. The hypertensive crisis is a clinical situation characterized by acute elevation of blood pressure followed by clinical signs and symptoms. These signs and symptoms may be mild (headache, dizziness, tinnitus) or severe (dyspnea, chest pain, coma or death). If the patient presents with mild symptoms, but without acute specific target organ damage, diagnosis is hypertensive urgency. However, if severe signs and symptoms and acute specific target organ damage are present, then the patient is experiencing a hypertensive emergency. Some patients arrive at the emergency rooms with high blood pressure, but without any other sign or symptom. In these cases, they usually are not taking their medications correctly. Therefore, this is not a hypertensive crisis, but rather non-controlled chronic hypertension. This type of distinction is important for those working in emergency rooms and intensive care unit. Correct diagnosis must be made to assure the most appropriate treatment.
  • Use of noninvasive positive pressure ventilation and spinal anesthesia during hip replacement arthroplasty in a patient with severe chronic obstructive pulmonary disease: case report Relatos De Casos

    Gonçalves, Geraldo Ângelo; Prezzi, Eduardo Della Valle; Carletti, Guilherme Marinho; Chindamo, Giuseppe; Rocha, Tito Henrique Noronha; Varella, Eduardo; Vianna, Arthur Oswaldo de Abreu

    Abstract in Portuguese:

    O manuseio anestésico de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica grave é extensamente discutido devido ao elevado número de complicações destes pacientes, quando submetidos à procedimentos cirúrgicos de médio e grande porte. O objetivo deste estudo foi relatar um caso de paciente idoso portador de doença pulmonar obstrutiva crônica grave e coronariopatia, submetido a artroplastia de quadril sob anestesia espinhal e suporte intra-operatório de ventilação mecânica não-invasiva - bilevel positive airway pressure.. Paciente do sexo masculino, 81 anos, doença pulmonar obstrutiva crônica grave (GOLD 4), submetido à artroplastia de quadril devido à fratura de fêmur sob anestesia espinhal e suporte intra-operatório de ventilação mecânica não invasiva - bilevel positive airway pressure, sob parâmetros de pressão expiratória de 7 cmH2O, pressão inspiratória 15 cmH2O e fluxo de O2 de 3 L/min. Apresentou um episódio de broncoespasmo, revertido farmacologicamente, sem apresentar complicações no pós-operatório. A combinação de técnica anestésica regional com ventilação mecânica não-invasiva é de fácil aplicação e pode ser útil no intraoperatório destes pacientes de alto risco anestésico. A interação entre a equipe clínica, cirúrgica e de anestesia propiciou benefícios e reduz a morbimortalidade associada a procedimentos de grande porte em pacientes graves.

    Abstract in English:

    Anesthetic management of patients with severe chronic obstructive pulmonary disease is extensively discussed, due to the high rates of complications in this subtype of patients submitted to medium and high complexity surgical procedures. The objective of this study is to report use of noninvasive positive pressure mechanical ventilation - bilevel positive airway pressure - and spinal anesthesia in a patient with severe chronic obstructive pulmonary disease during total hip arthroplasty. An 81 year old, male patient with severe chronic obstructive pulmonary disease (GOLD 4) was submitted to total hip arthroplasty due to a femoral bone fracture under spinal anestesia and noninvasive positive pressure mechanical ventilation-bilevel positive airway pressure with expiratory pressure of 7 cmH2O, inspiratory pressure of 15 cmH2O and O2 flow of 3 L/min. During the procedure, the patient had one episode of bronchospasm that was promptly reverted pharmacologically with no complications in the postoperative period. The combination of less invasive anesthetic and ventilation techniques is easy to apply and may be useful in the perioperative management of patients with high anesthetic morbidity. Interaction between clinical, surgical and anesthetic teams for these cases is very important to reduce the mortality associated with extensive procedures in severe patients.
  • Intra-arterial pulmonary thrombolysis at the postoperative period of brain aneurysm clamping: case report Relatos De Casos

    Rojas, Salomón Soriano Ordinola; Veiga, Viviane Cordeiro; Carvalho, Júlio César de; Campodônico, Luis Enrique Amaya; Assis, Fabrizio Rodrigues; Shimizu, Sandra Patrícia; Morais, Elaine Aparecida; Buesio, Roberto; Marchesini, Andréia Maria; Junqueira, Ligia Maria Coscrato; Holanda, Carlos Vanderlei

    Abstract in Portuguese:

    O tromboembolismo pulmonar (TEP) é uma importante causa de morbimortalidade nos pacientes submetidos a procedimentos neurocirúrgicos. O objetivo deste estudo foi apresentar um caso de trombólise intra-arterial pulmonar em pós-operatório recente de neurocirurgia. Paciente do sexo masculino, sendo submetido a clipagem de aneurisma de artéria comunicante anterior, apresentou como complicação no sétimo dia de pós-operatório, tromboembolismo pulmonar maciço, apresentando instabilidade hemodinâmica, sendo optado pela trombólise intra-arterial pulmonar com alteplase. Apresentou evolução satisfatória, sem complicações hemorrágicas, recebendo alta hospitalar. O tromboembolismo pulmonar é uma condição com alta morbi-mortalidade no pós-operatório de neurocirurgia, devendo ser a trombólise ser uma alternativa terapêutica nos casos refratários ao tratamento clínico.

    Abstract in English:

    Pulmonary thromboembolism is a major cause of morbidity and mortality of patients undergoing neurosurgical procedures. The purpose of this study was to present a case of intra-arterial pulmonary thrombolysis in recent neurosurgery postoperative period. Male patient, undergoing neurosurgery, presented as a complication on the seventh day of postoperative massive pulmonary embolism with hemodynamic instability and intraarterial pulmonary thrombolysis with alteplase was indicated. Evolution was satisfactory without bleeding complications and patient was discharged. Pulmonary thromboembolism is a high morbidity and mortality condition at neurosurgical postoperative period and thrombolysis should be an alternative therapy in cases refractory to clinical treatment.
  • Drotrecogin alfa (activated) in clinical practice and current evidences Cartas Ao Editor

    Büchele, Gustavo Luiz; Janiszewski, Mariano
  • Drotrecogin alfa (activated) in clinical practice and current evidences: reply Cartas Ao Editor

    Soares, Márcio; Machado, Fernando Osni; Torres, Viviane Bogado Leite; Salluh, Jorge Ibrain Figueira; Amaral, André Carlos Kajdacsy-Balla
Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Rua Arminda, 93 - Vila Olímpia, CEP 04545-100 - São Paulo - SP - Brasil, Tel.: (11) 5089-2642 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbti.artigos@amib.com.br