Revista Brasileira de Terapia Intensiva, Volume: 33, Issue: 4, Published: 2021
  • What every intensivist should know about light sedation for mechanically ventilated patients Commentary

    Tanaka, Lilian Maria Sobreira; Serafim, Rodrigo Bernardo; Salluh, Jorge Ibrain Figueira
  • Pediatric delirium in times of COVID-19 Commentary

    Castro, Roberta Esteves Vieira de; Rodríguez-Rubio, Miguel; Magalhães-Barbosa, Maria Clara de; Prata-Barbosa, Arnaldo
  • Update of the recommendations of the Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos and the Infection and Sepsis Group for the approach to COVID-19 in Intensive Care Medicine Special Article

    Mendes, João João; Paiva, José Artur; Gonzalez, Filipe; Mergulhão, Paulo; Froes, Filipe; Roncon, Roberto; Gouveia, João

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução: A Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos e o Grupo de Infeção e Sépsis emitiram previamente recomendações visando à organização dos serviços de saúde e ao manejo dos doentes críticos com COVID-19. Em virtude da evolução do conhecimento, o painel de peritos voltou a se organizar para rever a atual evidência e emitir recomendações atualizadas. Métodos: Foi reunido um painel nacional de peritos que declararam não ter conflitos de interesse para o desenvolvimento das recomendações. Foram desenvolvidas perguntas operacionais conforme a metodologia PICO, e foi conduzida uma revisão sistemática rápida por meio da consulta de diferentes fontes bibliográficas. O painel determinou a direção e a força das recomendações com a utilização de duas rodadas de um método Delphi, conduzido seguindo princípios do sistema GRADE. Uma recomendação forte recebeu a redação “recomenda-se”, e uma recomendação fraca foi redigida como “sugere-se”. Resultados: Foram emitidas 48 recomendações e 30 sugestões abrangendo os seguintes tópicos: diagnóstico de infecção por SARS-CoV-2, coinfecção e superinfecção; critérios de admissão, cura e suspensão de isolamento; organização dos serviços; Equipamentos de Proteção Individual; terapêuticas de suporte respiratório e outras e terapêuticas específicas (antivirais, imunomodeladores e anticoagulação). Conclusão: Essas recomendações, especificamente orientadas para a realidade portuguesa, mas que podem se aplicar também aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e ao Timor-Leste, visam apoiar os profissionais de saúde no manejo de doentes críticos com COVID-19. Pretende-se que sejam constantemente revistas, de modo a refletir o avanço de nossa compreensão e o da terapêutica dessa patologia.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction: The Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos and the Infection and Sepsis Group have previously issued health service and management recommendations for critically ill patients with COVID-19. Due to the evolution of knowledge, the panel of experts was again convened to review the current evidence and issue updated recommendations. Methods: A national panel of experts who declared that they had no conflicts of interest regarding the development of the recommendations was assembled. Operational questions were developed based on the PICO methodology, and a rapid systematic review was conducted by consulting different bibliographic sources. The panel determined the direction and strength of the recommendations using two Delphi rounds, conducted in accordance with the principles of the GRADE system. A strong recommendation received the wording “is recommended”, and a weak recommendation was written as “is suggested.” Results: A total of 48 recommendations and 30 suggestions were issued, covering the following topics: diagnosis of SARS-CoV-2 infection, coinfection and superinfection; criteria for admission, cure and suspension of isolation; organization of services; personal protective equipment; and respiratory support and other specific therapies (antivirals, immunomodulators and anticoagulation). Conclusion: These recommendations, specifically oriented to the Portuguese reality but that may also apply to Portuguese-speaking African countries and East Timor, aim to support health professionals in the management of critically ill patients with COVID-19. They will be continuously reviewed to reflect the progress of our understanding and the treatment of this pathology.
  • Impact of liberal versus conservative saturation targets on gas exchange indices in COVID-19 related acute respiratory distress syndrome: a physiological study Original Article

    Dorado, Javier Hernán; Pérez, Joaquín; Navarro, Emiliano; Gogniat, Emiliano; Torres, Sebastían; Cagide, Sabrina; Accoce, Matías

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Comparar o comportamento dos índices de troca gasosa conforme o uso de alvos de oxigenação liberais em comparação a conservadores em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo moderada a grave secundária à COVID-19 e em uso de ventilação mecânica; avaliar a influência da FiO2 elevada na mecânica do sistema respiratório. Métodos: Foram incluídos prospectivamente pacientes consecutivos com idades acima de 18 anos, diagnóstico de COVID-19 e síndrome do desconforto respiratório agudo moderada e grave. Para cada paciente, aplicou-se aleatoriamente dois protocolos de FiO2 para obter SpO2 de 88% a 92% ou 96%. Avaliaram-se os índices de oxigenação e a mecânica do sistema respiratório. Resultados: Foram incluídos 15 pacientes. Todos seus índices foram significantemente afetados pela estratégia de FiO2 (p < 0,05). A proporção PaO2/FiO2 deteriorou, o PA-aO2 aumentou e o Pa/AO2 diminuiu significantemente com a utilização de FiO2 para obter SpO2 96%. Opostamente, a fração de shunt funcional foi reduzida. A mecânica respiratória não foi afetada pela estratégia de FiO2. Conclusão: Uma estratégia com alvos liberais de oxigenação deteriorou significantemente os índices de troca gasosa, com exceção do shunt funcional, em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo relacionada à COVID-19. A mecânica do sistema respiratório não foi alterada pela estratégia de FiO2. Registro Clinical Trials: NCT04486729.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To compare gas exchange indices behavior by using liberal versus conservative oxygenation targets in patients with moderate to severe acute respiratory distress syndrome secondary to COVID-19 under invasive mechanical ventilation. We also assessed the influence of high FiO2 on respiratory system mechanics. Methods: We prospectively included consecutive patients aged over 18 years old with a diagnosis of COVID-19 and moderate-severe acute respiratory distress syndrome. For each patient, we randomly applied two FiO2 protocols to achieve SpO2 88% - 92% or 96%. We assessed oxygenation indices and respiratory system mechanics. Results: We enrolled 15 patients. All the oxygenation indices were significantly affected by the FiO2 strategy (p < 0.05) selected. The PaO2/FiO2 deteriorated, PA-aO2 increased and Pa/AO2 decreased significantly when using FiO2 to achieve SpO2 96%. Conversely, the functional shunt fraction was reduced. Respiratory mechanics were not affected by the FiO2 strategy. Conclusion: A strategy aimed at liberal oxygenation targets significantly deteriorated gas exchange indices, except for functional shunt, in COVID-19-related acute respiratory distress syndrome. The respiratory system mechanics were not altered by the FiO2 strategy. Clinical Trials Register: NCT04486729.
  • Extracorporeal membrane oxygenation for respiratory failure in children: the years before and after the 2009 H1N1 pandemic Original Article

    Oliveira, Felipe Rezende Caino de; Araujo, Orlei Ribeiro de; Garros, Daniel; Colleti Junior, José; Carvalho, Werther Brunow de; Lequier, Laurance

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Avaliar o impacto no número de casos de oxigenação por membrana extracorpórea e as taxas de sobrevivência nos anos seguintes à pandemia de H1N1 de 2009. Métodos: Avaliaram-se dois períodos distintos de utilização de oxigenação por membrana extracorpórea como suporte para insuficiência respiratória em crianças, por meio da análise de conjuntos de dados da Extracorporeal Life Support Organization. Foram construídos modelos autorregressivos integrados de médias móveis para estimar os efeitos da pandemia. O ano de 2009 foi o ano de intervenção (epidemia de H1N1) em um modelo de séries temporais interrompidas. Os dados colhidos entre 2001 e 2010 foram considerados pré-intervenção e os obtidos entre 2010 e 2017 como pós-intervenção. Resultados: Em comparação com o período entre 2001 e 2010, o período entre 2010 e 2017 mostrou aumento das taxas de sobrevivência (p < 0,0001), com melhora significante da sobrevivência quando se realizou oxigenação por membrana extracorpórea nos casos de insuficiência aguda por pneumonia viral. Antes do ponto de nível de efeito (2009), o modelo autorregressivo integrado de médias móveis mostrou aumento de 23 casos de oxigenação por membrana extracorpórea ao ano. Em termos de sobrevivência, a curva mostra que não houve aumento significante das taxas de sobrevivência antes de 2009 (p = 0,41), porém o nível de efeito foi próximo à significância após 2 anos (p = 0,05), com aumento de 6% na sobrevivência. Em 4 anos, ocorreu aumento de 8% (p = 0,03) na sobrevivência, e, 6 anos após 2009, a sobrevivência mostrou aumento de até 10% (p = 0,026). Conclusão: Nos anos após 2009, ocorreu significante e progressivo aumento global das taxas de sobrevivência com oxigenação por membrana extracorpórea para todos os casos, principalmente em razão de melhoras tecnológicas e dos protocolos de tratamento para insuficiência respiratória aguda relacionada à pneumonia viral e a outras condições respiratórias.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To evaluate whether there was any impact on the number of pediatric extracorporeal membrane oxygenation runs and survival rates in the years subsequent to the 2009 pandemic. Methods: We studied two different periods of extracorporeal membrane oxygenation support for respiratory failure in children by analyzing datasets from the Extracorporeal Life Support Organization. Autoregressive integrated moving average models were constructed to estimate the effect of the pandemic. The year 2009 was the year of intervention (the H1N1 epidemic) in an interrupted time series model. Data collected from 2001 - 2010 were considered preintervention, and data collected from 2010 - 2017 were considered postintervention. Results: There was an increase in survival rates in the period 2010 - 2017 compared to 2001 - 2010 (p < 0.0001), with a significant improvement in survival when extracorporeal membrane oxygenation was performed for acute respiratory failure due to viral pneumonia. The autoregressive integrated moving average model shows an increase of 23 extracorporeal membrane oxygenation runs per year, prior to the point of the level effect (2009). In terms of survival, the preslope shows that there was no significant increase in survival rates before 2009 (p = 0.41), but the level effect was nearly significant after two years (p = 0.05), with a 6% increase in survival. In four years, there was an 8% (p = 0.03) increase in survival, and six years after 2009, there was up to a 10% (p = 0.026) increase in survival. Conclusion: In the years following 2009, there was a significant, global incremental increase in the extracorporeal membrane oxygenation survival rates for all runs, mainly due to improvements in the technology and treatment protocols for acute respiratory failure related to viral pneumonia and other respiratory conditions.
  • Correlation between syndecan-1 level and PELOD-2 score and mortality in pediatric sepsis Original Article

    Pudjiadi, Antonius Hocky; Saidah, Fatimah; Alatas, Fatima Safira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Analisar a correlação entre a lesão do glicocálix medida pelo nível sérico de sindecano 1 e as disfunções de órgãos avaliadas com o escore PELOD-2, assim como avaliar sua associação com a mortalidade em sepse pediátrica. Métodos: Realizou-se um estudo prospectivo observacional em um hospital terciário público. Sessenta e oito pacientes pediátricos, com diagnóstico de sepse segundo os critérios da International Pediatric Sepsis Consensus Conference, foram consecutivamente recrutados. Nos dias 1 e 5, realizaram-se dosagens dos níveis séricos de sindecano 1 e avaliação dos componentes do escore PELOD-2. Os pacientes foram seguidos por até 28 dias após o diagnóstico de sepse. Resultados: Em geral, o nível de sindecano 1 estava aumentado em todos os participantes, com nível significantemente mais elevado nos pacientes em choque (p = 0,01). O nível de sindecano 1 no dia 1 teve correlação positiva com o escore PELOD-2 no dia 1 e coeficiente de correlação de 0,35 (p = 0,003). Nos primeiros 5 dias após o diagnóstico de sepse, as alterações nos níveis de sindecano 1 tiveram correlação positiva com modificações no escore PELOD-2, com coeficiente de correlação de 0,499 (p < 0,001). Com utilização de um ponto de corte dos níveis de sindecano 1 no dia 1 ≥ 430ng/mL, a disfunção de órgãos (escore PELOD-2 ≥ 8) pôde ser predita com área sob a curva de 74,3%, sensibilidade de 78,6% e especificidade de 68,5% (p = 0,001). Conclusão: O nível de sindecano 1 no dia 1 teve correlação com o escore PELOD-2 no dia 1, porém não se associou com a mortalidade aos 28 dias. A disfunção de órgãos (PELOD-2 ≥ 8) pôde ser predita pelo nível de sindecano 1 nas primeiras 24 horas de sepse, sugerindo seu significante envolvimento na fisiopatologia da disfunção de órgãos associada à sepse.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To analyze the correlation between glycocalyx disruption measured via the serum syndecan-1 level and organ dysfunctions assessed by the PELOD-2 score and to evaluate its association with mortality in pediatric sepsis. Methods: We performed a prospective observational study in a tertiary public hospital. Sixty-eight pediatric patients diagnosed with sepsis according to International Pediatric Sepsis Consensus Conference criteria were consecutively recruited. We performed measurements of day 1 and day 5 serum syndecan-1 levels and PELOD-2 score components. Patients were followed up to 28 days following sepsis diagnosis. Results: Overall, the syndecan-1 level was increased in all subjects, with a significantly higher level among septic shock patients (p = 0.01). The day 1 syndecan-1 level was positively correlated with the day 1 PELOD-2 score with a correlation coefficient of 0.35 (p = 0.003). Changes in syndecan-1 were positively correlated with changes in the PELOD-2 score, with a correlation coefficient of 0.499 (p < 0.001) during the first five days. Using the cutoff point of day 1 syndecan-1 ≥ 430ng/mL, organ dysfunction (PELOD-2 score of ≥ 8) could be predicted with an AUC of 74.3%, sensitivity of 78.6%, and specificity of 68.5% (p = 0.001). Conclusion: The day 1 syndecan-1 level was correlated with the day 1 PELOD-2 score but not 28-day mortality. Organ dysfunction (PELOD-2 ≥ 8) could be predicted by the syndecan-1 level in the first 24 hours of sepsis, suggesting its significant pathophysiological involvement in sepsis-associated organ dysfunction.
  • Lung donation and donor lung management: a survey among health care professionals in Argentina Original Article

    Ruiz, Vanesa Romina; Terrasa, Sergio Adrián; Bauque, Susana; Rodriguez, Pablo Ezequiel; Morozovsky, Verónica Celia; Lozzo, Alejandro Gabriel Da; Midley, Alejandro Daniel

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Descrever o conhecimento de profissionais de saúde relacionado com doação de pulmão e manejo do doador. Métodos: Realizou-se estudo descritivo, transversal, com base em levantamento anônimo conduzido entre março e setembro de 2019 envolvendo profissionais de saúde registrados na Sociedad Argentina de Terapia Intensiva. Resultados: Dentre os 736 participantes, a média de idade foi de 30,5 anos (desvio-padrão de 8,9), sendo 61,3% do sexo feminino. Dentre os participantes, 60% eram médicos, 21,5% enfermeiros e 17,9% fisioterapeutas. Dentre os participantes, 68% se consideravam adequadamente informados com relação à procura de órgãos, e 79,8% afirmaram estar cientes do manejo de um potencial doador sob terapia intensiva. Os critérios relativos a um doador de pulmão foram respondidos corretamente por 71,3% dos participantes. Entretanto, após a morte cerebral do doador, 51% dos participantes não fariam modificações nos parâmetros de ventilação mecânica, 22,9% não sabiam quais parâmetros reprogramar, e 44,5% escolheriam um volume corrente de 6 - 8mL/kg e pressão positiva expiratória final de 5cmH2O. Para 85% dos profissionais de saúde, o tipo de teste de apneia escolhido foi desconexão do ventilador, e apenas 18,5% utilizariam um protocolo de controle. As intervenções mais frequentemente utilizadas no caso de pressão parcial de oxigênio/fração inspirada de oxigênio < 300 foram titulação da pressão positiva expiratória final, aspiração traqueal em circuito fechado e manobras de recrutamento. Conclusão: Os profissionais de saúde que participaram deste levantamento na Argentina responderam corretamente à maior parte das questões relacionadas aos critérios para o doador de pulmão. Contudo, faltou-lhes um conhecimento detalhado relativo aos parâmetros ventilatórios, às estratégias ventilatórias e aos protocolos para doadores de pulmão. Programas educacionais são fundamentais para otimizar a doação de múltiplos órgãos e devem focalizar a proteção dos pulmões do doador, com objetivo de incrementar o número de órgãos disponíveis para transplante.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To describe health care providers’ knowledge about lung donation and donor lung management. Methods: A descriptive, cross-sectional study based on an anonymous survey was conducted between March and September 2018 among health care professionals registered to Sociedad Argentina de Terapia Intensiva. Results: Of the 736 respondents, the mean age was 40.5 years (standard deviation 8.9), and 61.3% were female. Sixty percent were physicians, 21.5% were nurses, and 17.9% were physiotherapists. Seventy-eight percent considered themselves appropriately informed about organ procurement, and 79.8% stated that they knew potential organ donor critical care management. The lung donor criteria were answered correctly by 71.3% of the respondents. However, after the donor’s brain death, 51% made no changes to ventilator parameters, 22.9% were not aware of which parameters to reprogram, and 44.5% selected tidal volume of 6 - 8mL/kg and positive end expiratory pressure of 5cmH2O. For 85% of the health care providers, the type of apnea test chosen was disconnection from the ventilator, and only 18.5% used a lung management protocol. The most frequent interventions used in the case of arterial oxygen partial pressure/fractional inspired oxygen < 300 were positive end expiratory pressure titration, closed-circuit endotracheal suctioning, and recruitment maneuvers. Conclusion: Health care professionals surveyed in Argentina correctly answered most of the questions related to lung donor criteria. However, they lacked detailed knowledge about ventilatory settings, ventilatory strategies, and protocols for lung donors. Educational programs are key to optimizing multiorgan donation and should be focused on protecting the donor lungs to increase the numbers of organs available for transplantation.
  • Factors associated with functional decline in an intensive care unit: a prospective study on the level of physical activity and clinical factors Original Article

    Schujmann, Débora Stripari; Gomes, Tamires Teixeira; Lunardi, Adriana Cláudia; Fu, Carolina

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Identificar os fatores associados com o declínio do estado funcional em pacientes na unidade de terapia intensiva. Métodos: Foram incluídos neste estudo prospectivo pacientes com idade de 18 anos ou mais, sem doença neurológica ou contraindicações para mobilização, internados em uma unidade de terapia intensiva. Os critérios para exclusão foram pacientes com permanência na unidade de terapia intensiva inferior a 4 dias, ou com óbito durante o período do estudo. A avaliação do nível de atividade física dos pacientes foi realizada com acelerometria. Registraram-se idade, escore segundo o SAPS 3, dias de ventilação mecânica, fármacos utilizados, comorbidades e estado funcional por ocasião da alta da unidade de terapia intensiva. Segundo seu estado funcional na alta da unidade de terapia intensiva, os pacientes foram designados para os grupos “dependentes” ou “independentes”, segundo seu índice na escala de Barthel. As análises foram realizadas com regressão logística e cálculo da razão de chance. Resultados: Dos 112 pacientes incluídos, 63 foram atribuídos ao grupo “dependentes”. O índice de comorbidade de Charlson mediano foi de 3 (2 - 4). O SAPS 3 médio foi de 53 ± 11. Os pacientes permaneceram 94 ± 4% do tempo na unidade de terapia intensiva em condições de inatividade e 4,8 ± 3,7% em atividades leves. As análises de razão de chance mostraram que idade (RC = 1,08; IC95% 1,04 - 1,13) e tempo de inatividade (RC =1,38; IC95% 1,14 - 1,67) foram fatores associados ao declínio funcional. O tempo em atividades leves se associou com melhor estado funcional (RC = 0,73; IC95% 0,60 - 0,89). Conclusão: Idade e tempo em inatividade durante a internação na unidade de terapia intensiva se associaram com declínio do estado funcional. Por outro lado, a realização de atividades leves parece preservar a condição funcional dos pacientes.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To identify the factors associated with functional status decline in intensive care unit patients. Methods: In this prospective study, patients in an intensive care unit aged 18 years or older without neurological disease or contraindications to mobilization were included. The exclusion criteria were patients who spent fewer than 4 days in the intensive care unit or died during the study period. Accelerometry was used to assess the physical activity level of patients. We recorded age, SAPS 3, days on mechanical ventilation, drugs used, comorbidities, and functional status after intensive care unit discharge. After intensive care unit discharge, the patients were assigned to a dependent group or an independent group according to their Barthel index. Logistic regression and the odds ratio were used in the analyses. Results: Sixty-three out of 112 included patients were assigned to the dependent group. The median Charlson comorbidity index was 3 (2 - 4). The mean SAPS 3 score was 53 ± 11. The patients spent 94 ± 4% of the time spent in inactivity and 4.8 ± 3.7% in light activities. The odds ratio showed that age (OR = 1.08; 95%CI 1.04 - 1.13) and time spent in inactivity (OR = 1.38; 95%CI 1.14 - 1.67) were factors associated with functional status decline. Time spent in light activity was associated with a better functional status (OR = 0.73; 95%CI 0.60 - 0.89). Conclusions: Age and time spent in inactivity during intensive care unit stay are associated with functional status decline. On the other hand, performing light activities seems to preserve the functional status of patients.
  • Influences of assisted breathing and mechanical ventilator settings on tidal volume and alveolar pressures in acute respiratory distress syndrome: a bench study Original Article

    Vasconcelos, Renata Santos; Sales, Raquel Pinto; Lino, Juliana Arcanjo; Gomes, Luíza Gabriela de Carvalho; Sousa, Nancy Delma Silva Vega Canjura; Marinho, Liégina Silveira; Pinheiro, Bruno do Valle; Holanda, Marcelo Alcantara

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Avaliar a influência dos esforços musculares respiratórios e do ajuste da frequência respiratória no ventilador sobre o volume corrente e as pressões de distensão alveolar ao final da inspiração e expiração com ventilação sob os modos controle por volume e controle por pressão na síndrome do desconforto respiratório agudo. Métodos: Utilizou-se um simulador mecânico de pulmão (ASL 5000™) conectado a cinco tipos de ventiladores utilizados em unidade de terapia intensiva, em um modelo de síndrome do desconforto respiratório agudo. Os esforços musculares respiratórios (pressão muscular) foram configurados de três formas distintas: sem esforço (pressão muscular: 0cmH2O), apenas esforços inspiratórios (pressão muscular: - 5cmH2O, tempo inspiratório neural de 0,6 segundos) e esforços musculares inspiratórios e expiratórios (pressão muscular:-5/+5cmH2O). Foram configuradas ventilação sob os modos controle por volume e ventilação com controle por pressão para oferecer um volume corrente de 420mL e pressão positiva expiratória final de 10cmH2O. Avaliaram-se o volume corrente fornecido aos pulmões, as pressões alveolares no final da inspiração e as pressões alveolares no final da expiração. Resultados: Quando disparado pelo paciente simulado, o volume corrente mediano foi 27mL menor do que o volume corrente ajustado (variação-63 a +79mL), e ocorreu uma variação nas pressões alveolares com mediana de 25,4cmH2O (faixa de 20,5 a 30cmH2O). Nos cenários simulados com esforço muscular tanto inspiratório quanto expiratório e com frequência respiratória mandatória inferior à dos esforços do paciente simulado, o volume corrente mediano foi maior com ventilação controlada. Conclusão: O ajuste do esforço muscular respiratório e da frequência respiratória no ventilador em um valor acima da frequência respiratória do paciente nos modos de ventilação assistida/controlada gerou maiores variações no volume corrente e nas pressões pulmonares, enquanto o modo controlado não mostrou variações nesses desfechos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To evaluate the influences of respiratory muscle efforts and respiratory rate setting in the ventilator on tidal volume and alveolar distending pressures at end inspiration and expiration in volume-controlled ventilation and pressure-controlled ventilation modes in acute respiratory distress syndrome. Methods: An active test lung (ASL 5000™) connected to five intensive care unit ventilators was used in a model of acute respiratory distress syndrome. Respiratory muscle efforts (muscle pressure) were configured in three different ways: no effort (muscle pressure: 0cmH2O); inspiratory efforts only (muscle pressure:-5cmH2O, neural inspiratory time of 0.6s); and both inspiratory and expiratory muscle efforts (muscle pressure:-5/+5cmH2O). Volume-controlled and pressure-controlled ventilation modes were set to deliver a target tidal volume of 420mL and positive end-expiratory pressure of 10cmH2O. The tidal volume delivered to the lungs, alveolar pressures at the end of inspiration, and alveolar pressures at end expiration were evaluated. Results: When triggered by the simulated patient, the median tidal volume was 27mL lower than the set tidal volume (range-63 to +79mL), and there was variation in alveolar pressures with a median of 25.4cmH2O (range 20.5 to 30cmH2O). In the simulated scenarios with both spontaneous inspiratory and expiratory muscle efforts and with a mandatory respiratory rate lower than the simulated patient's efforts, the median tidal volume was higher than controlled breathing. Conclusion: Adjusting respiratory muscle effort and pulmonary ventilator respiratory rate to a value above the patient’s respiratory rate in assisted/controlled modes generated large variations in tidal volume and pulmonary pressures, while the controlled mode showed no variations in these outcomes.
  • Acute organ failure and risk of admission to intensive medical care in cancer patients: a single center prospective cohort study Original Article

    Coelho, Sara; Ribeiro, Teresa; Pereira, Isabel; Duarte, Delfim; Afonso, Ana; Meneses, Iolanda; Pinelas, Sofia; Pereira, Brigitte; Coelho, Fernando; Martins, Anabela; Sousa, Nuno; Faria, Filomena

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Determinar a incidência cumulativa de falência aguda de órgão e internamento em unidade de terapia intensiva em pacientes oncológicos. Métodos: Estudo de coorte prospectivo de pacientes oncológicos adultos em tratamento sistêmico antineoplásico, internados de forma não programada. Resultados: Entre agosto de 2018 e fevereiro de 2019, 10.392 pacientes foram submetidos a tratamento sistêmico antineoplásico, sendo que 358 necessitaram de internamento hospitalar não programado e foram elegíveis para inclusão; por fim, 258 desses pacientes foram incluídos. A média de idade foi de 60,9 anos, e 50,9% eram do sexo masculino; 17,9% dos pacientes tinham câncer hematológico. O risco acumulado de falência de órgãos foi de 39,6% (IC95% 35 - 44) e o risco de internamento na unidade de terapia intensiva em pacientes com falência aguda de órgão foi de 15,0% (IC95% 12 - 18). À admissão em internamento, 62,1% dos pacientes foram considerados não elegíveis para terapia de substituição artificial de órgãos. O tempo mediano de seguimento foi de 9,5 meses. A mortalidade hospitalar foi de 17,5%, na unidade de terapia intensiva de 58,8%. A mediana de sobrevivência da coorte foi de 134 dias (IC95% 106 - 162). Na análise multivariada, a falência aguda de órgão se associou com a mortalidade aos 6 meses após a alta (hazard ratio: 1,6; IC95% 1,2 - 2,2). Conclusão: O risco de falência aguda de órgão em pacientes oncológicos admitidos para tratamento hospitalar não programado durante o tratamento sistémico foi de 39,6% e o risco de internamento em unidade de terapia intensiva foi de 15,0%. A falência aguda de órgão em pacientes oncológicos foi um fator de prognóstico independente para maior mortalidade intra-hospitalar e menor sobrevivência aos 6 meses após a alta.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To ascertain the cumulative incidence of acute organ failure and intensive care unit admission in cancer patients. Methods: This was a single-center prospective cohort study of adult cancer patients admitted for unscheduled inpatient care while on systemic cancer treatment. Results: Between August 2018 and February 2019, 10,392 patients were on systemic treatment, 358 had unscheduled inpatient care and were eligible for inclusion, and 285 were included. The mean age was 60.9 years, 50.9% were male, and 17.9% of patients had hematologic cancers. The cumulative risk of acute organ failure was 39.6% (95%CI: 35 - 44), and that of intensive care unit admission among patients with acute organ failure was 15.0% (95%CI: 12 - 18). On admission, 62.1% of patients were considered not eligible for artificial organ replacement therapy. The median follow-up time was 9.5 months. Inpatient mortality was 17.5%, with an intensive care unit mortality rate of 58.8% and a median cohort survival of 134 days (95%CI: 106 - 162). In multivariate analysis, acute organ failure was associated with 6-month postdischarge mortality (HR 1.6; 95%CI: 1.2 - 2.2). Conclusion: The risk of acute organ failure in cancer patients admitted for unscheduled inpatient care while on systemic treatment was 39.6%, and the risk of intensive care unit admission was 15.0%. Acute organ failure in cancer patients was an independent poor prognostic factor for inpatient hospital mortality and 6-month survival.
  • Cross-cultural adaptation and translation of the Pediatric Intensive Care Unit-Quality of Dying and Death into Brazilian Portuguese Original Article

    Silva, Daiane Ferreira da; Paiva, Carlos Eduardo; Paiva, Bianca Sakamoto Ribeiro

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Traduzir e adaptar culturalmente o questionário Pediatric Intensive Care Unit-Quality of Dying and Death para o português do Brasil. Métodos: Realizou-se um processo de adaptação transcultural que incluiu equivalências conceitual, cultural e semântica. Esse processo foi composto de três etapas: Etapa 1 - autorização para realização da tradução e adaptação cultural; Etapa 2 - traduções independentes do inglês para o português do Brasil, síntese das traduções, retrotraduções e painel de especialistas; e Etapa 3 - pré-teste realizado com familiares cuidadores e equipe multiprofissional. Resultados: A avaliação pelo painel de especialistas resultou em concordância média de 0,8 em relação à equivalência semântica, cultural e conceitual. Os pré-testes de ambas as versões do questionário mostraram compreensão adequada dos participantes dos itens e opções de respostas. Conclusão: Após o processo de tradução e adaptação cultural da ferramenta Pediatric Intensive Care Unit-Quality of Dying and Death, as versões para cuidador e equipe multiprofissional foram consideradas culturalmente adaptadas, com boa compreensão dos itens por ambos os grupos. Os questionários incluem itens relevantes para avaliar o processo de morte e do morrer no ambiente de terapia intensiva e podem proporcionar mudanças no cuidado centrado no paciente e, principalmente, no familiar cuidador, perante a finitude de seus filhos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objectives: To translate and culturally adapt the Pediatric Intensive Care Unit-Quality of Dying and Death questionnaire into Brazilian Portuguese. Methods: This was a cross-cultural adaptation process including conceptual, cultural, and semantic equivalence steps comprising three stages. Stage 1 involved authorization to perform the translation and cultural adaptation. Stage 2 entailed independent translation from English into Brazilian Portuguese, a synthesis of the translation, back-translation, and an expert panel. Stage 3 involved a pretest conducted with family caregivers and a multidisciplinary team. Results: The evaluation by the expert panel resulted in an average agreement of 0.8 in relation to semantic, cultural, and conceptual equivalence. The pretests of both versions of the questionnaire showed that the participants had adequate comprehension regarding the ease of understanding the items and response options. Conclusion: After going through the process of translation and cultural adaptation, the Pediatric Intensive Care Unit-Quality of Dying and Death caregiver and multidisciplinary team versions were considered culturally adapted, with both groups having a good understanding of the items. The questionnaires include relevant items to evaluate the process of death and dying in the intensive care setting, and suggest changes in care centered on patients and especially family caregivers, given the finitude of their children.
  • How should dexmedetomidine and clonidine be prescribed in the critical care setting? Review Article

    Longrois, Dan; Petitjeans, Fabrice; Simonet, Olivier; Kock, Marc de; Belliveau, Marc; Pichot, Cyrille; Lieutaud, Thomas; Ghignone, Marco; Quintin, Luc

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O manejo cardíaco, ventilatório e renal no ambiente de terapia intensiva tem melhorado nas últimas décadas. Cognição e sedação representam dois dos últimos desafios a vencer. Como a sedação convencional não é ideal, e a sedação evocada por agonistas adrenérgicos alfa-2 (sedação “cooperativa” com dexmedetomidina, clonidina ou guanfacina) representa uma alternativa valiosa, este artigo abrange três tópicos práticos para os quais há lacunas na medicina baseada em evidência. O primeiro deles é a mudança de sedação convencional para sedação cooperativa (“mudança”): a resposta curta consiste em retirada abrupta de sedação convencional, implantação imediata de infusão de um agonista alfa-2 e uso de “sedação de resgate” (bolos de midazolam) ou “sedação agressiva” (haloperidol em bolos) para estabilizar a sedação cooperativa. O segundo tópico é a mudança de sedação convencional para sedação cooperativa em pacientes instáveis (por exemplo: delirium tremens refratário, choque séptico, síndrome do desconforto respiratório agudo etc.), pois, para evitar a hipotensão e a bradicardia provocadas por desativadores simpáticos, a resposta curta é manter o volume sistólico por administração de volume, vasopressores e inotrópicos. Por fim, para evitar essas mudanças e dificuldades associadas, os agonistas alfa-2 podem ser sedativos de primeira linha. A resposta curta é administrar agonistas alfa-2 lentamente desde a admissão ou intubação endotraqueal, até estabilização da sedação cooperativa. Dessa forma, conclui-se que os agonistas alfa-2 são, ao mesmo tempo, agentes desativadores simpáticos e sedativos, bem como a desativação simpática implica na manutenção do volume sistólico e na avaliação persistente da volemia. A medicina baseada em evidência deve documentar esta proposta.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Cardiac, ventilatory and kidney management in the critical care setting has been optimized over the past decades. Cognition and sedation represent one of the last remaning challenges. As conventional sedation is suboptimal and as the sedation evoked by alpha-2 adrenergic agonists (“cooperative” sedation with dexmedetomidine, clonidine or guanfacine) represents a valuable alternative, this manuscript covers three practical topics for which evidence-based medicine is lacking: a) Switching from conventional to cooperative sedation (“switching”): the short answer is the abrupt withdrawal of conventional sedation, immediate implementation of alpha-2 agonist infusion and the use of “rescue sedation” (midazolam bolus[es]) or “breakthrough sedation” (haloperidol bolus[es]) to stabilize cooperative sedation. b) Switching from conventional to cooperative sedation in unstable patients (e.g., refractory delirium tremens, septic shock, acute respiratory distress syndrome, etc.): to avoid hypotension and bradycardia evoked by sympathetic deactivation, the short answer is to maintain the stroke volume through volume loading, vasopressors and inotropes. c) To avoid these switches and associated difficulties, alpha-2 agonists may be considered first-line sedatives. The short answer is to administer alpha-2 agonists slowly from admission or endotracheal intubation up to stabilized cooperative sedation. The “take home” message is as follows: a) alpha-2 agonists are jointly sympathetic deactivators and sedative agents; b) sympathetic deactivation implies maintaining the stroke volume and iterative assessment of volemia. Evidence-based medicine should document our propositions.
  • Manual hyperinflation in children Review Article

    Lorena, Daiane Menezes; Frade, Maria Cecília Moraes; Silva, Thalis Henrique da

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A hiperinsuflação manual é utilizada em unidades de terapia intensiva neonatal e pediátrica para promover um flow bias expiratório, porém não há consenso sobre os benefícios da técnica. Assim faz-se necessária uma revisão que apresente suas evidências. Este estudo objetiva revisar a literatura sobre a manobra de hiperinsuflação manual em unidades de terapia intensiva neonatal e pediátrica, para analisar as evidências dessa técnica em relação às formas de aplicação (associadas ou não a outras técnicas), sua segurança, o desempenho dos ressuscitadores manuais e a influência da experiência do fisioterapeuta, além de avaliar a qualidade metodológica dos artigos encontrados. Realizou-se uma busca nas bases de dados: Web of Science, ScienceDirect, PubMedⓇ, Scopus, CINAHL e SciELO. Dois pesquisadores selecionaram os artigos de forma independente. Verificaram-se os estudos duplicados, avaliados por títulos, resumos e, então, leitura na íntegra. Analisou-se a qualidade dos artigos pela escala PEDro. Foram incluídos seis artigos, sendo dois com alta qualidade metodológica. Os principais resultados trouxeram informações sobre a contribuição da válvula de pressão positiva expiratória final no aumento dos volumes pulmonares e a utilização das compressões torácicas para otimizar o flow bias expiratório, a influência negativa da experiência do operador no aumento do pico de fluxo inspiratório, o desempenho de diferentes ressuscitadores manuais durante a realização da técnica e a segurança na aplicação, com manutenção da estabilidade hemodinâmica e aumento da saturação periférica de oxigênio. Os estudos disponíveis apontam para um efeito positivo da manobra de hiperinsuflação manual realizada em crianças internadas em unidades de terapia intensiva. Registro PROSPERO: CRD42018108056.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Manual hyperinflation is used in neonatal and pediatric intensive care units to promote expiratory flow bias, but there is no consensus on the benefits of the technique. Thus, a review that presents supporting evidence is necessary. This study aims to review the literature on the manual hyperinflation maneuver in neonatal and pediatric intensive care units to analyze the evidence for this technique in terms of the forms of application (associated with other techniques or not), its safety, the performance of manual resuscitators and the influence of the physical therapist’s experience, in addition to evaluating the methodological quality of the identified articles. A search was performed in the following databases: Web of Science, ScienceDirect, PubMedⓇ, Scopus, CINAHL and SciELO. Two researchers independently selected the articles. Duplicate studies were assessed, evaluated by title and abstract and then read in full. The quality of the articles was analyzed using the PEDro scale. Six articles were included, two of which had high methodological quality. The main results provided information on the contribution of the positive end-expiratory pressure valve to increasing lung volumes and the use of chest compressions to optimize expiratory flow bias, the negative influence of operator experience on the increase in peak inspiratory flow, the performance of different manual resuscitators when used with the technique and the safety of application in terms of maintaining hemodynamic stability and increasing peripheral oxygen saturation. The available studies point to a positive effect of the manual hyperinflation maneuver in children who are admitted to intensive care units. Registration PROSPERO: CRD42018108056.
  • Profile of adult intensive care units in Brazil: systematic review of observational studies Review Article

    Aguiar, Luciana Mara Meireles; Martins, Gabriela de Sousa; Valduga, Renato; Gerez, André Paz; Carmo, Eduardo Cunha do; Cunha, Katiane da Costa; Cipriano, Graziella França Bernardelli; Silva, Marianne Lucena da

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo: Identificar o perfil clínico e epidemiológico das unidades de terapia intensiva adulto no Brasil. Métodos: Foi realizada revisão sistemática, por meio de estratégia abrangente nas bases de dados PubMed®, Embase, SciELO e Biblioteca Virtual em Saúde. Os critérios de elegibilidade para esta revisão foram estudos observacionais que descreveram o perfil epidemiológico e/ou clínico de pacientes críticos, internados em unidades de terapia intensiva brasileiras e publicados no período entre 2007 e 2020. Resultados: Do total de 4.457 estudos identificados, 27 foram elegíveis para esta revisão, constituindo análise de 113 unidades de terapia intensiva e amostra final composta de 75.280 indivíduos. Observou-se predominância de pacientes do sexo masculino e idosos. As doenças cardiovasculares foram a principal causa de internação na unidade de terapia intensiva e o Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II foi o sistema de avaliação de gravidade da doença mais utilizado. O tempo de permanência e a mortalidade na unidade de terapia intensiva mostram grande variação entre as instituições. Conclusão: Estes resultados são relevantes para direcionar o planejamento e a organização nas unidades de terapia intensiva, promovendo subsídio para a tomada de decisões e implementações de intervenções que garantam melhor qualidade da assistência ao paciente. Registro PROSPERO: CRD4201911808.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective: To identify the clinical and epidemiological profile of adult intensive care units in Brazil. Methods: A systematic review was performed using a comprehensive strategy to search PubMed®, Embase, SciELO, and the Biblioteca Virtual em Saúde. The eligibility criteria for this review were observational studies that described the epidemiological and/or clinical profile of critically ill patients admitted to Brazilian intensive care units and were published between 2007 and 2020. Results: From the 4,457 identified studies, 27 were eligible for this review, constituting an analysis of 113 intensive care units and a final sample of 75,280 individuals. There was a predominance of male and elderly patients. Cardiovascular diseases were the main cause of admission to the intensive care unit. The Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II score was the most widely used disease severity assessment system. The length of stay and mortality in the intensive care unit varied widely between institutions. Conclusion: These results can help guide the planning and organization of intensive care units, providing support for decision-making and the implementation of interventions that ensure better quality patient care. Registration PROSPERO: CRD4201911808.
  • Super-refractory status epilepticus and ketogenic diet in intensive care: a series report Case Report

    Camões, João; Reis, Ana Hipólito; Sousa, Liliana; Gomes, Ernestina

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Define-se estado epiléptico super-refratário como ocorrência de crises epilépticas persistentes ou que ressurgem em condições de infusão endovenosa de anestésicos por mais de 24 horas. Nos últimos anos, chamou-se a atenção para os potenciais benefícios de uma dieta cetogênica para o controle de tais pacientes. Contudo, o papel específico dessa estratégia na população adulta, assim como o mecanismo de ação, a melhor ocasião para iniciar e o manejo das complicações, permanece como assunto amplamente debatível. Relatamos uma série de casos com três pacientes que foram internados em unidade de terapia intensiva em razão de estado epiléptico super-refratário e tratados com utilização de dieta cetogênica; também propomos uma abordagem clínica para início, transição e manejo das intercorrências clínicas desta intervenção.

    Abstract in English:

    Abstract Super-refractory status epilepticus is defined as seizures that persist or reemerge in the setting of an intravenous anesthetic infusion for more than 24 hours. In recent years, attention has been driven to the potential benefits of a ketogenic diet in the management of these patients. However, the specific role of this strategy in the adult population, as well as its underlying mechanism of action and optimal time for the initiation and management of complications, remain widely debatable. We report a case series of three patients admitted to an intensive care unit due to super-refractory status epilepticus who were managed with a ketogenic diet and propose a clinical approach to its initiation, transition, and management of clinical intercurrences.
  • Epistaxis as a complication of high-flow nasal cannula therapy in adults Letter To The Editor

    Veiga, Viviane Cordeiro; Silva, Lígia Maria Coscrato Junqueira; Sady, Érica Regina Ribeiro; Maia, Israel Silva; Cavalcanti, Alexandre Biasi
Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Rua Arminda, 93 - Vila Olímpia, CEP 04545-100 - São Paulo - SP - Brasil, Tel.: (11) 5089-2642 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbti.artigos@amib.com.br