Caroço de algodão em dietas à base de palma forrageira para vacas leiteiras: síntese de proteína microbiana

Whole cottonseed in forage cactus based diets: synthesis of microbial protein

Objetivou-se avaliar o efeito da inclusão de caroço de algodão em substituição parcial à silagem de sorgo e ao farelo de soja em dietas à base de palma forrageira sobre a produção de proteína microbiana, a eficiência de síntese de proteína microbiana e as concentrações de uréia na urina e de uréia e N-uréia no plasma e no leite de vacas holandesas em lactação. Foram utilizados cinco animais aos 50 dias de lactação, distribuídos em quadrado latino 5 × 5. Os tratamentos consistiram de cinco níveis (0,0; 6,25; 12,50; 18,75 e 25,00%) de inclusão de caroço de algodão na MS da dieta. A inclusão de caroço de algodão na dieta não influenciou a síntese de nitrogênio ou proteína microbiana, cujos valores médios foram 295,08 e 1.844,27 g/dia, respectivamente. As eficiências de síntese de nitrogênio e proteína microbiana diminuíram linearmente, em proporções de 0,30 e 1,43 g para cada 1% de caroço de algodão na dieta, respectivamente. Os níveis de uréia na urina e de uréia e N-uréia no plasma e no leite não foram afetados pela inclusão de caroço de algodão na dieta. Portanto, em dietas à base de palma forrageira, a inclusão de caroço de algodão em níveis de até 25% da MS não interfere na síntese de proteína microbiana e nas concentrações de uréia.

amostra spot; creatinina; derivados de purina; semi-árido


Sociedade Brasileira de Zootecnia Universidade Federal de Viçosa / Departamento de Zootecnia, 36570-900 Viçosa MG Brazil, Tel.: +55 31 3612-4602, +55 31 3612-4612 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: rbz@sbz.org.br