Paradaemonia balsasensis sp. nov. da Serra do Penitente, Balsas, Maranhão, Brasil (Lepidoptera, Saturniidae, Arsenurinae)

Paradaemonia balsasensis sp. nov. from Serra do Penitente, Balsas, Maranhão, Brazil (Lepidoptera, Saturniidae, Arsenurinae)

Resumos

Descreve-se uma nova espécie de Paradaemonia Bouvier, 1925.

Distribuição; neotropical; taxonomia


A new species of Paradaemonia Bouvier, 1925 is described.

Distribution; Neotropical; taxonomy


Paradaemonia balsasensis sp. nov. da Serra do Penitente, Balsas, Maranhão, Brasil (Lepidoptera, Saturniidae, Arsenurinae)

Paradaemonia balsasensis sp. nov. from Serra do Penitente, Balsas, Maranhão, Brazil (Lepidoptera, Saturniidae, Arsenurinae)

Carlos G. C. MielkeI; Eurides FurtadoII

ICaixa Postal 1206, 84145-000 Carambeí, Paraná, Brasil. E-mail: cmielke1@uol.com.br

IICaixa Postal 97, 78400-000 Diamantino, Mato Grosso, Brasil. E-mail: efurtado@uaivip.com.br

RESUMO

Descreve-se uma nova espécie de Paradaemonia Bouvier, 1925.

Palavras chave: Distribuição, neotropical, taxonomia.

ABSTRACT

A new species of Paradaemonia Bouvier, 1925 is described.

Key words: Distribution, Neotropical, taxonomy.

Paradaemonia Bouvier, 1925 inclui 12 espécies, todas da região neotropical, que ocorrem desde o México até a Bolívia, Paraguai, norte da Argentina e sul do Brasil (LEMAIRE 1980, 1996). Ainda, de acordo com o mesmo autor, oito espécies são endêmicas das regiões guiano-amazônica, sudeste e nordeste do Brasil, enquanto que quatro possuem uma distribuição ampla. De todas as espécies conhecidas, apenas P. gravis (Jordan, 1922) não foi registrada em território brasileiro, embora ocorra na Guiana Francesa.

Aqui se descreve mais uma Paradaemonia Bouvier, 1925, passando a treze o número de espécies.

Paradaemonia balsasensis sp. nov.

Figs 1-8





Macho (Fig. 1). Asa anterior 59 mm, envergadura 104 mm com a margem posterior da asa anterior em ângulo reto com a linha longitudinal do corpo (parátipos: asa anterior 54-63 mm). Externamente difere de P. platydesmia (W. Rothschild, 1907), a espécie mais próxima, pelos seguintes caracteres: pela menor relação entre a largura e a altura das asas estendidas, menor curvatura da faixa pós-mediana da asa anterior, pela coloração geral castanho-avermelhada, uniformidade da coloração ventral de ambas as asas, ausência das áreas marginais mais claras entre CuA2-M2 na asa anterior e entre CuA1-3A na asa posterior. A genitália (Figs 5-8) difere da genitália de P. platydesmia (Alto Rio Arinos, Diamantino, Mato Grosso, Brasil) (Figs 9-12) pela extremidade mais aguda da valva e pelo sacculus com maior curvatura, bifurcação do uncus pouco mais aberta, com as extremidades dos ramos voltadas internamente e o aedeagus curvado com vesica quadrilobada.

Fêmea (Fig. 2). Asa anterior 69 mm. Semelhante ao macho, com as margens das asas mais arredondadas, a coloração de fundo mais escura com as faixas e as cores secundárias mais evidentes.

Holótipo macho com as seguintes etiquetas: /Holotypus, Paradaemonia balsasensis C. Mielke e Furtado det. 2005/. Brasil, Maranhão, Balsas, Serra do Penitente, 500 m, 24-25.X.2003, C. Mielke leg. /DZ 9036/. Depositado na Coleção de Entomologia Padre Jesus Moure, Departamento de Zoologia, Setor de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil. Parátipos: 1 fêmea, mesma localidade e coletor do holótipo, 550 m, 25-30.XI.2000, depositada na Coleção C. Mielke sob número 13.866; 4 machos com a mesma localidade, data e coletor do holótipo, Coleção C. Mielke 8.125, 8.173, 8.351 e 8.414; 1 macho, idem, 25-30.XI.2000, Coleção C. Mielke 14.183; 1 macho, idem, 480 m, 2.XI.2002, Coleção C. Mielke 2.135; 2 machos, idem, 20.X.2001, Coleção C. Mielke 13.837 e 13.850; 1 macho, idem, 5-6.XI.2004, Coleção C. Mielke 16.768; 1 macho, Brasil, Goiás: Alto Paraíso (1.100 m), V.O. Becker leg., Coleção C. Mielke 13.611. 3 machos, idem, 20.X.2001, depositados na Coleção Eurides Furtado sob números 11.961, 11.962 e 11.963; 1 macho, V.O. Becker leg., depositado na Coleção Vitor O. Becker sob número 64.525.

Etologia. Os machos geralmente chegam à fonte luminosa entre 21:30 e 22:30 h, raramente após este horário com exceções, então estas ao amanhecer.

Etimologia. O nome específico é alusivo à localidade tipo, Balsas.

Discussão. A nova espécie é facilmente separada de P. platydesmia por sua coloração castanho-avermelhada, ausência das áreas marginais mais claras na face ventral das asas anterior e posterior e pela vesica quadrilobada da genitália masculina. Até o presente momento, apenas esta nova espécie possui registro de ocorrência em Balsas, MA, Brasil.

AGRADECIMENTOS

Agradecemos à bióloga Patrícia Milano pelos desenhos.

Recebido em 09.XI.2004; aceito em 05.VIII.2005.

  • LEMAIRE, C. 1980. Les Attacidae Americains. The Attacidae of America (= Saturniidae), Arsenurinae. Neuvilly-sur-Seine, Ed. C. Lemaire, 199p.
  • LEMAIRE, C. 1996. Saturniidae, p. 28-49. In: J. B. HEPPNERS (Ed.). Atlas of Neotropical Lepidoptera. Gainesville, Part 4B, XLIX+87p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    31 Out 2005
  • Data do Fascículo
    Set 2005

Histórico

  • Aceito
    05 Ago 2005
  • Recebido
    09 Nov 2004
Sociedade Brasileira de Zoologia Caixa Postal 19020, 81531-980 Curitiba PR Brasil, Tel./Fax: +55 41 3266-6823, - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: sbz@bio.ufpr.br