MODELO PARA DETERMINAÇÃO DE DENSIDADE ENERGÉTICA DE ESPÉCIES FLORESTAIS DO CERRADO

CARLOS JOSÉ DA SILVA AILTON TEIXEIRA DO VALE Sobre os autores

RESUMO

A madeira é a principal fonte de energia na matriz energética dos países subdesenvolvidos e nos países em desenvolvimento a participação é significativa, ocupando o quarto lugar no Brasil. Sendo assim, o objetivo desse trabalho foi determinar um modelo para determinação da densidade energética de espécies arbóreas do Cerrado. As amostras foram coletadas de árvores em uma área de cerrado de 10,15 hectares. Foram coletadas amostras de tronco e galhos de 34 espécies florestais para análise imediata (cinzas, material volátil, carbono fixo) e poder calorífico superior. Dados de massa seca e massa saturada foram obtidos para a determinação da densidade básica. As espécies apresentaram valores de teor de material volátil entre 77% e 85,5%, teor de cinzas entre 0 e 1% , teor de carbono fixo entre 14% e 23% . O poder calorífico superior ficou entre 18.282 GJ/ton e 20.121 GJ/ton. Quando testadas as relações entre as variáveis da análise imediata (MV, CZ e CF), e o poder calorífico superior (PCS), foi encontrada relação significativa entre MV e CF (R2 = 0.9927), enquanto o poder calorífico superior e a densidade básica das espécies não apresentaram relação significativa. O valor médio da densidade energética para as 34 espécies foi de 12.459 Mcal.m-3. A estimativa da densidade energética da área foi de 1.378.541 Mcal/ha. O modelo proposto para o cálculo de densidade energética em função da densidade básica facilita os levantamentos energéticos de áreas a serem exploradas, pois não há necessidade da análise de poder calorífico.

Palavras-chave:
Energia; Madeira; Savana

Universidade Federal Rural do Semi-Árido Avenida Francisco Mota, número 572, Bairro Presidente Costa e Silva, Cep: 5962-5900, Telefone: 55 (84) 3317-8297 - Mossoró - RN - Brazil
E-mail: caatinga@ufersa.edu.br