USO DO LICOR PIROLENHOSO NA PRODUÇÃO DE MUDAS IN VITRO E EX VITRO DE Oeceoclades maculata (Lindl). Lindl.

CARLOS JOSÉ DA SILVA ISANE VERA KARSBURG POLIANA COQUEIRO DIAS TATIANA PAULA MARQUES DE ARRUDA Sobre os autores

RESUMO

A fração pirolenhosa obtida com a carbonização da madeira pode ser utilizada para diversos fins. Sendo assim, este trabalho teve por objetivo testar o licor pirolenhoso extraído durante o processo de carbonização de resíduos florestais no desenvolvimento vegetativo da orquídea Oeceoclades maculata. As concentrações do licor pirolenhoso utilizadas nos tratamentos foram: T1 = 0 ml.L-1, T2 = 1 ml.L-1, T3 = 2 ml.L-1, T4 = 3 ml.L-1, T5 = 4 ml.L-1 e T6 = 5 ml.L-1, esses tratamentos foram testas com e sem carvão ativado no desenvolvimento in vitro e ex vitro da orquídea. As seguintes características dos protocórmos desenvolvidos in vitro foram avaliadas: com fungo, sem desenvolvimento, em desenvolvimento, presença de folhas e raízes. Para o desenvolvimento ex vitro foram avaliados: Tamanho das folhas, tamanho e número de raízes, altura total da planta, quantidade de gemas. Possíveis diferenças entre os tratamentos foram testada por meio de Análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey a 5% de significância. O uso do licor pirolenhoso em dosagem pequenas mostrou-se significativo no desenvolvimento dos tecidos vegetativos e na formação radicular e foliar de Oeceoclades maculata, uma vez que apresenta todos os elementos minerais essenciais ao desenvolvimento estrutural da planta.

Palavras-Chave:
Orquídea; Propagação vegetativa; Ácido pirolenhoso.

Universidade Federal Rural do Semi-Árido Avenida Francisco Mota, número 572, Bairro Presidente Costa e Silva, Cep: 5962-5900, Telefone: 55 (84) 3317-8297 - Mossoró - RN - Brazil
E-mail: caatinga@ufersa.edu.br