SUPRESSÃO DE Urochloa brizantha e U. ruziziensis POR SUBDOSES DE GLYPHOSATE

SUZETE FERNANDES LIMA LEANDRO SPÍNDOLA PEREIRA GUSTAVO DORNELES DE SOUSA GUSTAVO SILVA DE OLIVEIRA ADRIANO JAKELAITIS Sobre os autores

RESUMO

O consórcio de espécies de Urochloa com milho é uma alternativa para viabilizar o Sistema Plantio Direto, além de influenciar na comunidade de plantas daninhas. Assim torna-se importante pesquisar subdoses do herbicida glyphosate para o manejo da gramínea no consórcio, para evitar perdas de produção de grãos e viabilizar o consórcio em áreas agrícolas. Objetivou-se avaliar subdoses de glyphosate na supressão de Urochloa brizantha cv. Marandu e Urochloa ruziziensis e o controle de plantas daninhas. Dois ensaios foram conduzidos em campo em delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições e oito tratamentos, formados por doses crescentes do herbicida glyphosate (0; 54; 108; 270; 378; 540; 756 e 1.080 g de e.a. ha-1). Em todos os tratamentos foram adicionados 1.200 g de i.a. ha-1 de atrazine. Foram realizadas avaliações de fitointoxicação de plantas de braquiária aos 7, 14, 21 e 28 dias após a aplicação. E aos 80 e 125 dias após a semeadura foram realizadas avaliações de produção de massa seca total, massa seca de folha, massa seca de colmos, relação folha:colmo e altura do dossel, além da densidade e produção de massa seca da comunidade de plantas daninhas. Subdoses de glyphosate abaixo de 238 e de 105 g de e.a. ha-1 possui potencial para serem pesquisadas visando o manejo de U. brizantha cv. Marandu e U. ruziziensis, respectivamente.

Palavras-chave:
Plantas daninhas; Sistema Plantio Direto; Cultivos consorciados; Integração lavoura pecuária

Universidade Federal Rural do Semi-Árido Avenida Francisco Mota, número 572, Bairro Presidente Costa e Silva, Cep: 5962-5900, Telefone: 55 (84) 3317-8297 - Mossoró - RN - Brazil
E-mail: caatinga@ufersa.edu.br