Pressões máximas inspiratórias e expiratórias no pré e pós-operatório de pacientes com hérnias incisionais abdominais corrigidas pela técnica de Lázaro da Silva

DANILO NAGIB SALOMÃO PAULO ECBC-ES ALCINO LÁZARO DA-SILVA ECBC-MG LUCAS NAGIB LEMOS PAULO ALEXANDRE OLIOSI CALIMAN MARCELA SOUZA LIMA PAULO MATHEUS NAGIB LEMOS-PAULO Sobre os autores

RESUMO

Objetivo:

verificar o efeito da herniorrafia incisional abdominal longitudinal na pressão dos músculos da respiração.

Método:

a técnica de herniorrafia incisional utilizada foi a proposta por Lázaro da Silva. Para aferir a pressão foi utilizado manômetro de água, em 20 pacientes, idade mediana 48,5 anos (mínimo 24, máximo 70). Foram analisadas a pressão máxima inspiratória no nível do volume residual (PIVR) e da capacidade residual funcional (PICRF) e a pressão máxima expiratória da capacidade residual funcional (PECRF) e da capacidade pulmonar total (PECPT), no pré-operatório e pós-operatório tardio (entre 40 e 90 dias), em 13 pacientes com hérnias incisionais grandes e em 7 pacientes com hérnias incisionais médias.

Resultados:

houve aumento significante da PICRF (p=0.027), da PIVR (p=0.011), da PECPT (p=0.003) nos pacientes com hérnias incisionais grandes. A PECRF aumentou, porém de forma não significante. Nos pacientes com hérnias incisionais médias as alterações não foram significantes.

Conclusão:

a correção cirúrgica da hérnia incisional grande melhora a função dos músculos da respiração, porém a cirurgia da hérnia incisional média não altera a referida função.

Palavras chave:
Hérnia Incisional; Hérnia Abdominal; Músculos Respiratórios; Testes Respiratórios

Colégio Brasileiro de Cirurgiões Rua Visconde de Silva, 52 - 3º andar, 22271- 090 Rio de Janeiro - RJ, Tel.: +55 21 2138-0659, Fax: (55 21) 2286-2595 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@cbc.org.br