Triagem auditiva neonatal: índice de passa/falha com relação a sexo, tipo de parto e tempo de vida

OBJETIVO: verificar em recém-nascidos (RNs) sem risco de perda auditiva o índice de passa/falha na Triagem Auditiva Neonatal Universal (TANU), relacionando-o com o sexo, o tipo de parto e o tempo de vida. MÉTODO: caracteriza-se como um estudo quantitativo, retrospectivo, transversal e de grupo, inserido na atenção secundária à saúde do hospital universitário onde foram analisados 1.526 prontuários de RNs, com analisador de Emissões Otoacústicas Transientes (EOAT) modelo Otoport Lite. Adotou-se como critério de inclusão RNs de ambos os sexos, nascidos a termo. Foram excluídos da pesquisa 355 RNs que apresentaram um dos indicadores de risco associados à perda auditiva, ou ainda se alguns dos dados coletados pela pesquisa estivessem incompletos. A amostra estudada foi de 1.171 prontuários. RESULTADOS: 88,3% dos RNs passaram na primeira triagem. Não foram encontrados achados significantes em relação ao índice de falha e aos fatores sexo e tipo de parto. Os RNs que realizaram a triagem até 28 horas após o nascimento falharam mais frequentemente, enquanto os com mais de 32 horas de vida passaram mais frequentemente na primeira triagem. CONCLUSÃO: o estudo demonstrou que houve um momento mais adequado para a realização da primeira triagem após 32 horas de vida.

Audiologia; Triagem Neonatal; Recém-Nascido


ABRAMO Associação Brasileira de Motricidade Orofacial Rua Uruguaiana, 516, Cep 13026-001 Campinas SP Brasil, Tel.: +55 19 3254-0342 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistacefac@cefac.br