Condições socioeconômicas estão associadas ao overbite e overjet? Uma avaliação utilizando fotografias digitais

OBJETIVO: estimar a associação entre fatores socioeconômicos e más oclusões do tipo overbite e overjet em escolares em fase de dentição permanente jovem. MÉTODO: trata-se de um estudo transversal realizado em 251 escolares de sete a 15 anos, de ambos os sexos, regularmente matriculadas no ensino fundamental de escolas públicas e privadas do município de São Luís, Maranhão, Brasil. Todos os sujeitos da amostra realizaram fotografias extrabucais padronizadas de face (frontal em repouso, frontal sorrindo e perfil) e intrabucais (frontal, lateral direita e lateral esquerda em oclusão, oclusal superior e oclusal inferior), para o diagnóstico das alterações. As fotografias foram avaliadas por três examinadores em regime cego e as discordâncias foram discutidas até a obtenção de consenso. Overbite e overjet foram diagnosticados segundo critérios de Angle. RESULTADOS: constatou-se que 35,4% das crianças apresentaram overbite e 18,3%, overjet. Houve associação estatisticamente significante entre a renda familiar com overbite (p=0.003) e com overjet (p=0.029), observando-se que a maioria das crianças que não possuíam overbite (69,4%) era de famílias com baixa renda (até 2 salários mínimos). De modo semelhante, a maioria dos portadores de overjet era de famílias com renda mais elevada, ao passo que a maioria daqueles sem overjet tinha renda familiar baixa. Para as demais variáveis não houve diferenças estatisticamente significante na distribuição de frequência de overjet e overbite. CONCLUSÃO: a prevalência de overbite e overjet nos escolares estudados é alta, especialmente entre aqueles com maior renda familiar.

Má Oclusão; Prevalência; Dimensão Vertical; Dentição Mista


ABRAMO Associação Brasileira de Motricidade Orofacial Rua Uruguaiana, 516, Cep 13026-001 Campinas SP Brasil, Tel.: +55 19 3254-0342 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistacefac@cefac.br