Revista Contabilidade & Finanças, Volume: 22, Issue: 55, Published: 2011
  • Relação entre concentração e rentabilidade no setor bancário Brasileiro Artigos

    Dantas, José Alves; Medeiros, Otávio Ribeiro de; Paulo, Edilson

    Abstract in Portuguese:

    O estudo da rentabilidade bancária envolve duas linhas de discussão: (1) a performance dos bancos é importante para garantir a solidez da instituição e a estabilidade do sistema e (2) rentabilidade elevada pode indicar comportamento oportunista dos bancos, associado a um mercado concentrado. O propósito deste estudo é avaliar a evolução do grau de concentração da indústria bancária no Brasil e verificar se há relação entre o nível de rentabilidade das instituições e o grau de concentração do setor, utilizando ativos totais, operações de crédito e depósitos bancários, entre janeiro/2000 e dezembro/2009. Tendo como benchmark os parâmetros das autoridades antitruste brasileiras, não foram encontradas evidências de concentração no setor, embora o indicador de concentração tenha aumentado substancialmente a partir do final de 2008. Utilizando os parâmetros considerados nos EUA, foi constatado que, no final do período analisado, os indicadores mostram uma situação de "concentração moderada". Como um segundo objetivo do trabalho, foram testadas hipóteses baseadas no paradigma estrutura - conduta - performance, que pressupõe que menor competição decorrente de maior concentração resultaria em maior rentabilidade das instituições. Os resultados não corroboram as hipóteses em nenhuma das combinações de testes realizadas, seja porque os parâmetros são não significativos ou porque são negativos. Não são confirmadas, portanto, as previsões de que a maior concentração do mercado explicaria uma maior rentabilidade das instituições financeiras, conforme a hipótese estrutura - conduta - performance (HCP). Ao contrário, foram obtidas evidências de que a hipótese de estrutura eficiente (HEE) explica, mais adequadamente, a rentabilidade no setor bancário nacional.

    Abstract in English:

    The study of bank profitability involves two lines of discussion: (1) bank performance is important to guarantee the strength of the institution and the stability of the banking industry; and (2) a greater profitability might indicate that banks have an opportunistic behavior, associated to a concentrated market. This study is aimed at evaluating the degree of concentration of the Brazilian banking industry and verifying whether there is a relationship between the level of bank profitability and the sector's degree of concentration, based on total assets, credit operations and bank deposits from January 2000 to December 2009. Taking the parameters of Brazilian antitrust authorities as benchmarks, we cannot find evidence of concentration in the Brazilian banking industry, although it should be mentioned that the concentration indicator has increased substantially from the end of 2008 onwards. When we take the concentration parameters used in the US, we find that, by the end of the period, the indicators fall within the "moderate concentration" range. As a second aim of the paper, we test hypotheses based on the structure - performance paradigm, which assumes that less competition associated to higher concentration results in higher bank profitability. The results do not corroborate the hypotheses in any of the combined tests performed, because the parameters are either statistically insignificant or negative. Expectations that higher market concentration would explain higher bank profitability, according to the structure - performance hypothesis, are not confirmed. On the contrary, we find evidence that the efficient structure hypothesis explains the profitability of the Brazilian banking industry more adequately.
  • O índice de sustentabilidade empresarial (ISE) e os impactos no endividamento e na percepção de risco Artigos

    Teixeira, Evimael Alves; Nossa, Valcemiro; Funchal, Bruno

    Abstract in Portuguese:

    Este estudo investigou se a forma de financiamento das empresas é afetada pela participação das firmas no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). Como objetivo complementar, foi analisada a relação entre o ISE e o risco. A fundamentação partiu da teoria da sinalização que apresenta possíveis soluções para mitigar problemas de adverse selection causados pela assimetria de informações e usada no caso de haver necessidade de tomada de decisões sobre investimentos em ambientes de incerteza. Foi utilizado um Experimento Natural, a partir de uma amostra de 378 empresas, divididas em dois grupos: um de tratamento e outro de controle, com dados em painel e duplo efeito fixo. Os resultados encontrados indicam, estatisticamente, que empresas que sinalizaram Responsabilidade Social Corporativa (RSC) tiveram uma relação negativa com o endividamento e o risco, quando comparadas com aquelas que não sinalizam. Esses resultados ajudam a entender a relevância dos índices de sustentabilidade como um canal de informação crível do comprometimento da empresa com a RSC.

    Abstract in English:

    This study investigated whether the way firms fund themselves is affected by their participation in the Corporate Sustainability Index (CSI). As a complementary objective, we analyzed the relationship between the CSI and risk, based on signaling theory, which presents possible solutions to mitigate adverse selection problems caused by asymmetric information, used when there is a need to make decisions about investments in uncertain settings. We used a natural experiment based on a sample of 378 firms, divided into a treatment and a control group, with panel data and double fixed effect. The results indicate that the signaling of corporate social responsibility (CSR) was negatively related to indebtedness and risk when compared with firms that did not engage in such signaling. These results shed light on the relevance of sustainability indexes as a credible way for firms to indicate their commitment to CSR.
  • Um índice de avaliação da qualidade da governança corporativa no Brasil Artigos

    Correia, Laise Ferraz; Amaral, Hudson Fernandes; Louvet, Pascal

    Abstract in Portuguese:

    O objetivo deste artigo foi construir um índice para medir a qualidade da governança das empresas brasileiras e validá-lo, mediante confronto com indicadores da confiança dos investidores quanto à boa gestão dos seus fundos pelas empresas. Esse índice foi composto pelos critérios de eficiência de um conjunto de mecanismos de redução dos problemas de agência, integrantes das dimensões: composição do Conselho de Administração, estrutura de propriedade e de controle, modalidades de incentivo aos administradores, proteção dos acionistas minoritários e transparência das informações publicadas. Ele foi, em seguida, validado, em uma amostra de empresas com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) entre 1997 e 2006, mediante o confronto com indicadores que refletem a confiança dos investidores quanto à boa governança dos seus recursos pelas empresas como a performance financeira das empresas. O índice de governança foi obtido mediante a técnica de componentes principais, o que consistiu em calcular a média ponderada de todos os componentes gerados, sendo as ponderações representadas pelas suas respectivas variâncias. A análise do comportamento desse índice revelou uma tendência efetiva de incremento na qualidade da governança das empresas brasileiras no período estudado. Em termos de validação externa, os resultados mostraram uma associação positiva e significativa entre o índice de governança e o Q de Tobin. Melhor ainda, eles revelaram um relacionamento inverso e significativo entre a taxa de retorno ajustada ao risco das ações e o índice de governança. Todas essas relações atestam que a confiança do mercado associa-se, fortemente, à qualidade da governança expressa pelo índice. De maneira geral, a análise empírica valida em grande parte o índice de governança proposto. A boa governança possui, portanto, um valor para o mercado.

    Abstract in English:

    The purpose of this paper is to build an index to measure the quality of governance of Brazilian companies. We also sought to validate this index by confronting it with other indicators that reflect the confidence of investors in companies' good management of their capital. This index encompasses a set of mechanisms implemented in firms to reduce agency problems, concerning the dimensions: board of directors' composition, ownership structure, manager's compensation, protection of minority shareholders, and transparency. It was then validated in a sample of companies listed on São Paulo Stock Exchange (Bovespa) between 1997 and 2006. In fact, the index was confronted with indicators of financial investors' trust in a company regarding good governance of their resources, such as financial performance. The quality of governance index was developed by means of the principal components multivariate technique. Actually, the index was constructed as a weighted average of all components generated in this procedure, where the weights are given by their respective variances. The analysis of our index exhibited an effective accrue in the governance levels of the analyzed Brazilian companies. In terms of external validation, we find a positive and significant relationship between Tobin's Q and the governance index. Better, we also document an inverse relationship between the governance index and the risk-adjusted stock return, suggesting that investors require a higher rate of return from firms that present worse governance levels. All of these relationships evidence that financial investors' trust in a company strongly relates to the governance quality expressed by the index. Therefore, the empirical analysis largely validates the proposed governance index. We conclude from the empirical evidence reported in this paper that good governance is of value to the market.
  • Perfil das redes de cooperação científica: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade - 2001 a 2009 Artigos

    Cruz, Ana Paula Capuano da; Espejo, Márcia Maria dos Santos Bortolocci; Costa, Flaviano; Almeida, Lauro Brito de

    Abstract in Portuguese:

    Este estudo objetivou delinear o perfil das redes de cooperação configuradas entre os pesquisadores envolvidos no Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, mapeando, a partir da estrutura de relacionamento, a forma de cooperação manifestada no período 2001-2009. Trata-se de um artigo descritivo, de natureza quantitativa que, a partir de conceitos de redes sociais de colaboração, mapeou a estrutura de relações configurada entre os 1.120 autores envolvidos nos 882 artigos científicos veiculados em 9 edições do Congresso. Os dados foram coletados dos anais do evento e tratados trienalmente com auxílio do software Ucinet 6.0. Os achados evidenciaram que parte dos atores ocupou posição privilegiada na estrutura da rede, mostrando-se abertos a outros grupos e assumindo posições de pontes que ligaram pesquisadores que não estariam conectados sem a sua presença. Em linhas gerais, o perfil das redes de cooperação mostrou-se predominantemente caracterizado pela presença de laços fortes. Embora se tenha identificado um perfil de redes de cooperação deficiente em alguns quesitos, o universo explorado apresentou sinais de desenvolvimento. A rede teve sua densidade aumentada no último período e houve diminuição das relações fortes. Porém, poucos autores responderam por parcela significativa da produção científica, além de baixa persistência de pesquisadores ao longo do período analisado. As maiores sub-redes de cada um dos triênios analisados reuniram os atores relevantes em termos de número de artigos selecionados e centralidades de grau e de intermediação. Diante de um grande número de pesquisadores que têm metas comuns e vislumbra a internacionalização como necessidade premente, o estudo instiga reflexões sobre a coordenação de esforços que se poderia instaurar no sentido de promover a colaboração científica, em seu sentido amplo, como forma de cooperar para a manutenção e evolução de um empreendimento tão relevante na comunidade acadêmica: a pesquisa em Contabilidade.

    Abstract in English:

    The study aimed to define the profile of cooperation networks set up between researchers involved in Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, mapping based on the structure of relationships, the cooperation form manifested in the period 2001-2009. Starting from the social nets of collaboration concepts, this descripitive and quantitative study mapped the structure of relationships establishead among the 1120 authors involved in 882 scientific papers transmitted in nine editions of the Congress. The data were collected from the annals of the event and analyzed each three years with the aid of Ucinet 6.0 software. The findings indicated that part of the actors occupied a privileged position in the network structure, being receptive to other groups and assuming positions of bridges that connected researchers who would not be connected without their presence. In general, the profile of cooperation networks proved to be predominantly characterized by strong ties. While a deficient profile of cooperation networks was identified in some cases, the research universe showed signs of development. The network had its density increased in the last period and there was a decrease in string relations. Few authors were responsible for a significant portion of scientific production though, besides low persistence along the analyzed period. The largest sub-networks of each of the analyzed three-year periods gathered the most relevant actors in terms of number of selected papers and degree of centralities and intermediation. In view of a large number of researchers who have common goals and see internationalization as an urgent need, the study encourages reflection on the coordination of efforts that could be introduced in order to promote scientific collaboration in its broadest sense as a way to cooperate towards the maintenance and evolution of an enterprise so important in the academic community -Accounting research.
  • Empresas que se destacam pela qualidade das informações a seus usuários externos também se destacam pela utilização de artefatos modernos de contabilidade gerencial? Artigos

    Guerreiro, Reinaldo; Cornachione Júnior, Edgard Bruno; Soutes, Dione Olesczuk

    Abstract in Portuguese:

    Estudos empíricos têm indicado baixo grau de utilização de artefatos modernos de Contabilidade Gerencial propostos pela literatura. No âmbito teórico, a teoria da contabilidade engloba o pressuposto de que a contabilidade deveria atender eficazmente os seus usuários externos e internos. Este estudo tem dois objetivos principais: avaliar se (a) empresas brasileiras que se destacam pelo seu porte na economia brasileira utilizam artefatos modernos de Contabilidade Gerencial e (b) empresas que se destacam pela qualidade de suas informações aos usuários externos, também, se destacam pela maior utilização de artefatos modernos de Contabilidade Gerencial de apoio a usuários internos. Uma amostra de 90 empresas foi examinada, selecionadas dentre empresas listadas entre as 500 maiores empresas (edição de 2005 de Melhores e Maiores) e dentre o rol de empresas que foram indicadas ao Prêmio ANEFAC-FIPECAFI-SERASA, Troféu Transparência, entre os anos-base de 1996 a2004. Dados foram coletados por meio de questionário endereçado ao gestor da área de Contabilidade Gerencial, contendo questões relativas ao grau de utilização de artefatos tradicionais e modernos de Contabilidade Gerencial. Os resultados do estudo demonstram que (a) as empresas da amostra utilizam artefatos modernos de Contabilidade Gerencial e (b) a amostra de empresas indicadas para o prêmio não se diferencia, em termos de utilização de artefatos modernos de Contabilidade Gerencial, do grupo das demais empresas pesquisadas.

    Abstract in English:

    Empirical studies have indicated low levels of adoption of modern management accounting artifacts, as suggested by the literature. Accounting theory encompasses the assumption that accounting should effectively assist both internal and external users. The present study aims at two main goals: to evaluate whether (a) large Brazilian companies actually use modern management accounting artifacts; and (b) companies that stand out by the quality of information disclosed to external users also stand out in terms of how they assist their internal users. A sample of 90 companies is examined, selected from the 500 largest companies in Brazil (2005 edition of "Melhores e Maiores") and from the nominees for the ANEFAC-FIPECAFI-SERASA Transparency Award (from 1996 to 2004). Data was collected from a survey submitted to the head of management accounting area, with items related to the level of use of both traditional and modern management accounting artifacts. Findings demonstrate that (a) the sample companies do use modern management accounting artifacts; and (b) the companies nominated to the award do not differ from the other companies in terms of use of such artifacts..
Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Contabilidade e Atuária Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 - prédio 3 - sala 118, 05508 - 010 São Paulo - SP - Brasil, Tel.: (55 11) 2648-6320, Tel.: (55 11) 2648-6321, Fax: (55 11) 3813-0120 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: recont@usp.br