SINDICALISMO E PRODUÇÃO FLEXÍVEL NO SETOR AUTOMOTIVO: COOPTAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO INSTITUCIONAL NO SUL FLUMINENSE1 1 Recebido em 24/08/2017, aprovado em 29/03/2018.

UNIONISM AND FLEXIBLE PRODUCTION IN THE AUTOMOTIVE SECTOR: COOPTATION AND INSTITUTIONAL FRAGMENTATION IN SOUTH-FLUMINENSE REGION

SINDICALISMO Y PRODUCCIÓN FLEXIBLE EN EL SECTOR AUTOMOTOR: COOPTACIÓN Y FRAGMENTACIÓN INSTITUCIONAL EN EL SUR FLUMINENSE

Pedro Luiz Maitan Filho Ana Lucia Guedes Sobre os autores

RESUMO

Os sindicatos dos trabalhadores do setor automotivo protagonizam, nas últimas décadas, discussões sobre a expansão do modelo de produção flexível e, concomitantemente, a ampliação de condições de trabalho desregulamentadas em subsidiárias de montadoras no sul fluminense. Pesquisas sobre a fragmentação institucional das centrais sindicais, a influência do lobby corporativo e a cooptação dos sindicalismos regionais em arranjos políticos, têm possibilitado um diálogo transversal entre pesquisadores de países anfitriões do regime automotivo da segunda metade do século XX. Delimitado a uma região distanciada dos maiores centros industriais brasileiros, o artigo tenciona aprofundar discussões sobre atuação dos sindicatos em regiões industrializadas a partir da redistribuição espacial das montadoras em território nacional. Os resultados produzidos por entrevistas com profissionais da subsidiária estão organizados em três subcategorias fundamentadas na revisão de literatura: (a) relação entre atuação sindical e recorte regional; (b) divergência de pautas entre sindicato metalúrgico e temas específicos da montadora, e (c) uso político do sindicato por meio de cooptação. Os resultados mostram, predominantemente, prejuízos para acordos coletivos e condições de trabalho; impressão de perfil profissional do sindicato desalinhado das demandas na subsidiária; e, desconfianças quanto a tratativas entre sindicato e empresa. Esses aspectos sugerem generalizações analíticas da pesquisa qualitativa no sul fluminense para outras subsidiárias em greenfields automotivos; sobretudo na identificação de mecanismos que dispersam a representação institucional dos sindicatos na indústria automotiva.

Palavras-chave:
Trabalho; Sindicato; Produção Flexível; Indústria Automotiva

Escola de Administração da UFRGS Escola de Administração da UFRGS, Rua Washington Luis, 855 - 2° Andar, 90010-460 Porto Alegre/RS - Brasil, Fone: (55 51) 3308-3823, Fax: (55 51) 3308 3991 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: read@ea.ufrgs.br