O trabalho da enfermagem hospitalar: o cuidado de si e o cuidado do outro

El trabajo de enfermería en el hospital: el cuidado de sí mismo y del otro

Hospital nursing work: the self-care and the care of the other

Resumos

Entende-se o cuidado de si como pré-requisito e condição necessária ao cuidado do outro, de modo que este cuidado prestado não implique em renúncia e mortificação de quem cuida ou de quem é cuidado. Objetiva-se verificar como o trabalho das enfermeiras, que atuam em hospitais têm se constituído, ou não, em meio e instrumento para o cuidado de si, assim como, para o cuidado dos clientes. Realizaram-se entrevistas semi-estruturadas com enfermeiras egressas de duas universidades públicas de dois municípios do estado do Rio Grande do Sul, que atuavam em instituições hospitalares dos respectivos municípios. Verificou-se que estes sujeitos verbalizam a necessidade de realizarem práticas de cuidado de si para posterior cuidado do outro; constatou-se, porém, que assumem responsabilidades de outros profissionais e se submetem à falta de recursos humanos e materiais, com repercussões negativas tanto para o seu próprio cuidado quanto para o cuidado dos clientes. Considera-se necessária a implementação, por parte das enfermeiras, de estratégias de enfrentamento das relações de poder no trabalho hospitalar, a partir da suas crenças, valores e saberes, de modo a alcançarem condições adequadas de trabalho, o que significa garantir o seu cuidado, como pessoa e profissional, e possibilidade para o exercício do cuidado do outro.

trabalho da enfermagem; cuidado de si; ética na enfermagem


Se entiende el cuidado de sí mismo como una condición previa y necesaria para el cuidado del otro, de tal modo que ese cuidado no implique en renunciación y mortificación de quien cuida y del que es cuidado. Verifica como el trabajo de las enfermeras que actúan en hospitales se ha constituido, o no, en medio e instrumento para el cuidado de sí mismo y el de los enfermos. Se han realizado entrevistas semi estructuradas con enfermeras egresas de dos universidades públicas de dos municipios de Rio Grande do Sul, quienes actuaban en los hospitales de esas ciudades. En sus relatos se constata que asumen responsabilidades de otros profesionales y se someten a la falta de recursos humanos y materiales, en detrimento de su propio cuidado y de los clientes. Finalmente, se considera necesaria la implementación - por parte de las enfermeras- de estrategias de enfrentamiento de las relaciones de poder en el trabajo hospitalario, teniendo por base sus conocimientos, creencias y valores, para así alcanzar unas condiciones de trabajo mejores, para sí mismas y para el ejercicio del cuidado del otro.

trabajo de enfermería; cuidado de sí mismo; ética en enfermería


The self-care of nurses is a requirement for the care of the patient, so that the care provided will not imply on the resignation of the nursing professional or the client. The objective of the present study is to verify how the work of hospital nurses has been done, regarding the self-care of these professionals and the care provided to patients. Semi-structured interviews were carried out with nurses from two different districts in Rio Grande do Sul, who had graduated from public universities in the same state and worked in hospitals of the respective districts. Results showed that these professionals expressed the need of taking care of themselves in order to provide care for their patients. It was also reported that nurses assume responsibilities of other professionals and lack, in their professional environment, human and material resources. This situation generates negative consequences for the nurse's self-care, as well as for the care of the patients. It is important that nursing professionals implement strategies to deal with asymmetric power relations in the hospital, based on their beliefs, values and knowledge. This can lead to more appropriate conditions of work, which can guarantee a more qualified self-care of the professional, and a better care for the patient.

nursing work; self-care; ethic in nursing


PÁGINA DO ESTUDANTE

O trabalho da enfermagem hospitalar: o cuidado de si e o cuidado do outro1 1 Projeto financiado pela FAPERGS, desenvolvido no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Saúde- NEPES-FURG.

Hospital nursing work: the self-care and the care of the other

El trabajo de enfermería en el hospital: el cuidado de sí mismo y del otro

Regina Ledo BeneriI; Letícia Rosa SantosII; Valéria Lerch LunardiIII

IAcadêmica do 7° semestre do curso de Enfermagem e Obstetrícia da Fundação Universidade Federal do Rio Grande - Bolsista FAPERGS

IIAcadêmica do 7° semestre do curso de Enfermagem e Obstetrícia da Fundação Universidade Federal do Rio Grande - Bolsista CNPq

IIIProfessora Adjunta do Departamento de Enfermagem da Fundação Universidade Federal do Rio Grande - Doutora em Enfermagem

RESUMO

Entende-se o cuidado de si como pré-requisito e condição necessária ao cuidado do outro, de modo que este cuidado prestado não implique em renúncia e mortificação de quem cuida ou de quem é cuidado. Objetiva-se verificar como o trabalho das enfermeiras, que atuam em hospitais têm se constituído, ou não, em meio e instrumento para o cuidado de si, assim como, para o cuidado dos clientes. Realizaram-se entrevistas semi-estruturadas com enfermeiras egressas de duas universidades públicas de dois municípios do estado do Rio Grande do Sul, que atuavam em instituições hospitalares dos respectivos municípios. Verificou-se que estes sujeitos verbalizam a necessidade de realizarem práticas de cuidado de si para posterior cuidado do outro; constatou-se, porém, que assumem responsabilidades de outros profissionais e se submetem à falta de recursos humanos e materiais, com repercussões negativas tanto para o seu próprio cuidado quanto para o cuidado dos clientes. Considera-se necessária a implementação, por parte das enfermeiras, de estratégias de enfrentamento das relações de poder no trabalho hospitalar, a partir da suas crenças, valores e saberes, de modo a alcançarem condições adequadas de trabalho, o que significa garantir o seu cuidado, como pessoa e profissional, e possibilidade para o exercício do cuidado do outro.

Palavras-chave: trabalho da enfermagem, cuidado de si, ética na enfermagem

ABSTRACT

The self-care of nurses is a requirement for the care of the patient, so that the care provided will not imply on the resignation of the nursing professional or the client. The objective of the present study is to verify how the work of hospital nurses has been done, regarding the self-care of these professionals and the care provided to patients. Semi-structured interviews were carried out with nurses from two different districts in Rio Grande do Sul, who had graduated from public universities in the same state and worked in hospitals of the respective districts. Results showed that these professionals expressed the need of taking care of themselves in order to provide care for their patients. It was also reported that nurses assume responsibilities of other professionals and lack, in their professional environment, human and material resources. This situation generates negative consequences for the nurse's self-care, as well as for the care of the patients. It is important that nursing professionals implement strategies to deal with asymmetric power relations in the hospital, based on their beliefs, values and knowledge. This can lead to more appropriate conditions of work, which can guarantee a more qualified self-care of the professional, and a better care for the patient.

Keywords: nursing work, self-care, ethic in nursing

RESUMEN

Se entiende el cuidado de sí mismo como una condición previa y necesaria para el cuidado del otro, de tal modo que ese cuidado no implique en renunciación y mortificación de quien cuida y del que es cuidado. Verifica como el trabajo de las enfermeras que actúan en hospitales se ha constituido, o no, en medio e instrumento para el cuidado de sí mismo y el de los enfermos. Se han realizado entrevistas semi estructuradas con enfermeras egresas de dos universidades públicas de dos municipios de Rio Grande do Sul, quienes actuaban en los hospitales de esas ciudades. En sus relatos se constata que asumen responsabilidades de otros profesionales y se someten a la falta de recursos humanos y materiales, en detrimento de su propio cuidado y de los clientes. Finalmente, se considera necesaria la implementación - por parte de las enfermeras- de estrategias de enfrentamiento de las relaciones de poder en el trabajo hospitalario, teniendo por base sus conocimientos, creencias y valores, para así alcanzar unas condiciones de trabajo mejores, para sí mismas y para el ejercicio del cuidado del otro.

Palavras clave: trabajo de enfermería, cuidado de sí mismo, ética en enfermería

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ACIOLY, C. M. C. Condições de trabalho de enfermeiras de uma instituição da rede hospitalar pública. CEPEn- Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABEn v. XVII, 1999. Resumo.

BRASIL. Lei 7498 de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Diário oficial da União de 9 de junho de 1987, Seção I, Fes. 8853-8855.

CAMPIGLIA, Mª. C. D. Ambiguidade de uma profissão: o sofrimento psíquico na enfermagem. CEPEn-Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABEn, v. XVII, 1999. Resumo.

CESTARI, M. E. Vivenciando um processo educativo: um caminho para ensinar-aprender e pesquisar. 1999, Dissertação (Mestrado em Assistência de Enfermagem) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 179 p.

FERNANDES, B. M. Enfermeira no olhar das clientes: representações da sua prática profissional. CEPEn- Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem. Brasília: ABEn, v. XVII, 1999. Resumo.

FIGUEIREDO, N. M. A. O corpo da enfermeira: instrumento do cuidado de enfermagem - um estudo sobre representações de enfermeiras. CEPEn- Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABEn, v. XIII, 1995. Resumo.

FOUCAULT, M. História da sexualidade II. O uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1994.

______. Tecnologias deiyo y otros textos afines. Barcelona: Paidós Ibérica, 1990a.

______. Microfísica do Poder; 9. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1990b.

______. Hermenêutica del sujeto. Madrid: La Piqueta, 1987.

GONZALES, R. M. B. Na busca da auto-percepção: um trajeto vivenciado por enfermeiras. CEPEn-Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABen, v. XIV, 1996. Resumo.

LANDIM, F. L. P. Exercício da enfermagem e poder: profissionais entre o desconforto e o bem-estar. CEPEn- Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABEn, v. XVII, 1999. Resumo.

LANGE, C. Significados de autocuidado segundo as enfermeiras. CEPEn - Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem, Brasília: ABEn, v. XVI, 1998. Resumo.

LIMA, M. A. D. S. A formação do enfermeiro e a prática profissional: qual a relação? CEPEn-Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem -ABEn, Brasília, v. XIV, 1996. Resumo.

LUNARDI, V. L. A Ética como cuidado de si e o poder pastoral na Enfermagem. Pelotas: Universitária - UFPEL, 1999.

______. História da Enfermagem: rupturas e continuidades. Pelotas: Universitária - UFPEL, 1998.

LUNARDI FILHO, W. D. O Mito da subalternidade do trabalho da Enfermagem à Medicina. 1998. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

______. W. D. O prazer e sofrimento no trabalho: contribuições à organização do processo de trabalho da enfermagem. CEPEn - Informações sobre pesquisa e pesquisadores em emfermagem. Brasília: ABEn, XIII, 1995. Resumo.

MINAYO, M. C.S. et al. Pesquisa Social - Teoria, método e criatividade. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

MIRANDA, A. F. Estresse ocupacional inimigo invisível do enfermeiro? CEPEn - Informações sobre pesquisa e pesquisadores em enfermagem. Brasília: ABEn, v. XVII, 1999. Resumo.

WALDOW, V. R. et al. Maneiras de cuidar maneiras de ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

Recebido em janeiro de 2000

Aprovado em julho de 2001

  • BRASIL. Lei 7498 de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Diário oficial da União de 9 de junho de 1987, Seção I, Fes. 8853-8855.
  • FOUCAULT, M. História da sexualidade II. O uso dos prazeres Rio de Janeiro: Graal, 1994.
  • ______. Tecnologias deiyo y otros textos afines. Barcelona: Paidós Ibérica, 1990a.
  • ______. Hermenêutica del sujeto. Madrid: La Piqueta, 1987.
  • LUNARDI, V. L. A Ética como cuidado de si e o poder pastoral na Enfermagem Pelotas: Universitária - UFPEL, 1999.
  • ______. História da Enfermagem: rupturas e continuidades. Pelotas: Universitária - UFPEL, 1998.
  • LUNARDI FILHO, W. D. O Mito da subalternidade do trabalho da Enfermagem à Medicina 1998. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.
  • MINAYO, M. C.S. et al. Pesquisa Social - Teoria, método e criatividade. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.
  • WALDOW, V. R. et al. Maneiras de cuidar maneiras de ensinar Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

  • 1
    Projeto financiado pela FAPERGS, desenvolvido no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Saúde- NEPES-FURG.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    15 Ago 2014
  • Data do Fascículo
    Mar 2001

Histórico

  • Aceito
    Jul 2001
  • Recebido
    Jan 2000
Associação Brasileira de Enfermagem SGA Norte Quadra 603 Conj. "B" - Av. L2 Norte 70830-102 Brasília, DF, Brasil, Tel.: (55 61) 3226-0653, Fax: (55 61) 3225-4473 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: reben@abennacional.org.br