Rede social de cuidadores familiares de pacientes com incapacidades e dependência* *  Extraído da dissertação “Avaliação da rede e do apoio social de cuidadores familiares de pacientes dependentes”, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2013.

Cintia Hitomi Yamashita Jaqueline Correia Gaspar Fernanda Amendola Márcia Regina Martins Alvarenga Maria Amélia de Campos Oliveira Sobre os autores

Objetivo

Avaliar a rede social de 110 cuidadores familiares de pacientes dependentes atendidos por um Serviço de Assistência Domiciliária no município de São Paulo.

Método

Estudo transversal, que utilizou o Social Network Index e o genograma. Os dados foram analisados pelos testes U de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e correlação de Spearman. Foram considerados estatisticamente significantes quando p <0,05.

Resultados

Poucos cuidadores participavam de atividades extradomiciliares e o número médio de pessoas com quem mantinham vínculo era de 4,4 familiares e 3,6 amigos. Cuidadores que referiram dor no corpo e aqueles que possuíam companheiro apresentaram maior número médio de parentes em quem confiar. A média de amigos foi superior no grupo que referiu uso de medicamentos para depressão. As rendas total e per capita mostraram correlação com a rede social.

Conclusão

Verificou-se que os familiares são a principal rede social do cuidador.

Pessoas com deficiência; Família; Cuidadores; Assistência domiciliária; Relações familiares; Apoio social


Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 , 05403-000 São Paulo - SP/ Brasil, Tel./Fax: (55 11) 3061-7553, - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: reeusp@usp.br