A resistência dos quatro mundos europeus do bem-estar desde o nascimento do euro

ANTÓN LOSADA CRISTINA ARES Sobre os autores

RESUMO

Este artigo compara as preferências parlamentares sobre gastos com bem-es­tar na Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Holanda, Portugal, Suécia e Reino Unido entre 1996 e 2013. A análise concentra-se na relação entre o tipo de regime de bem-estar e a oferta programática sobre o volume de gastos sociais. Foram calculados dois índices: gasto social e contenção social. Ao sair da recessão, detecta-se uma concepção cada vez mais homogênea das políticas sociais como subordinadas às políticas econômicas; a convergência ocorreu dentro de cada um dos mundos de bem-estar, mantendo a variação entre eles encontrada antes da Crise.

PALAVRAS-CHAVE:
Preferências políticas; Projeto Manifesto; gasto social; contenção social; regimes de bem-estar; reformas do estado de bem-estar

Centro de Economia Política Rua Araripina, 106, CEP 05603-030 São Paulo - SP, Tel. (55 11) 3816 6020 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: cecilia.heise@bjpe.org.br