Overvaluation trend of the Brazilian currency in the 2000s: empirical estimation

ANDRÉ NASSIF CARMEM FEIJÓ ELIANE ARAÚJO Sobre os autores

O objetivo deste artigo é discutir a tendência à supervalorização da moeda brasileira na década de 2000, apresentando um modelo econométrico para estimar a taxa de câmbio real (TCR) e que deveria ser usada como nível de referência para orientar a política econômica de longo prazo . No modelo econométrico, consideramos componentes estruturais de curto prazo e longo prazo, sendo que ambos podem ser responsáveis para explicar a tendência à sobrevalorização da moeda brasileira. Nosso exercício econométrico confirma que a moeda brasileira havia sido persistentemente sobrevalorizado ao longo de quase todo o período em análise, e sugere que o nível da taxa de câmbio real de referência de longo prazo foi alcançado em 2004. Em julho de 2014, a taxa de câmbio nominal média deveria ter sido em torno de 2,90 reais por dólar (contra uma taxa nominal de 2,22 reais por dólar observada) para atingir o real nível de referência de 2004 (média do ano). Ou seja, de acordo com nossas estimativas, em julho de 2014, o real brasileiro estava sobrevalorizado em 30,6% em termos reais em relação ao nível de referência. Com base nestes resultados, concluímos o artigo sugerindo uma combinação de instrumentos políticos que deveriam ter sido utilizados, a fim de inverter essa tendência à sobrevalorização da taxa de câmbio, incluindo uma meta para se chegar, no médio e no longo prazo, à uma taxa de câmbio real que favoreceria a alocação de recursos para sectores tecnológicos mais intensivos.

Taxa de câmbio real; dilemas da política econômica; Brasil


Centro de Economia Política Rua Araripina, 106, CEP 05603-030 São Paulo - SP, Tel. (55 11) 3816-6053 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: cecilia.heise@bjpe.org.br