As atitudes dos agricultores face à política agrícola comum e ao projecto de regadio de alquev

Maria José Palma Lampreia dos Santos Pedro Damião de Sousa Henriques Rui Manuel de Sousa Fragoso Maria Leonor Silva Carvalho Sobre os autores

O principal objectivo deste artigo é conhecer as atitudes dos agricultores face à produção agrícola, ao apoio político e ao projecto de rega de Alqueva numa micro-região mediterrânica do Sul de Portugal, no contexto da Política Agrícola Comum (PAC) de 2003 e do Health-Check. Simultaneamente, pretende-se conhecer as intenções comportamentais destes agricultores frente à inovação tecnológica e ao futuro regadio público neste contexto político. Os resultados destacam que a grande maioria destes agricultores constituem um grupo relativamente homogéneo face às suas atitudes. Este cluster mantém uma mentalidade muito produtivista, um forte desejo de manter um foco agrícola, rejeitando veementemente noções de liberalização política. Apesar de possuírem elevada capacidade inovadora e de estarem conscientes da importância do seu contributo na defesa do mundo rural, reconhecem que as futuras condições institucionais da PAC, do fornecimento da água do regadio de Alqueva e das condições de acesso ao crédito, lhes poderá comprometer os seus planos inovadores no futuro. Por isso, conclui-se que é necessário compreender as especificidades da agricultura regional nos diversos países da União Europeia para que as políticas tenham êxito local. No caso português, são necessários estudos mais abrangentes de forma a encontrar resultados mais consistentes.

agricultura Portuguesa; PAC; atitudes; tipologias de explorações; Regime de Pagamento único


Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Av. W/3 Norte, Quadra 702 Ed. Brasília Rádio Center Salas 1049-1050, 70719 900 Brasília DF Brasil, - Brasília - DF - Brazil
E-mail: sober@sober.org.br
Accessibility / Report Error