Síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica: estudo seccional dos casos e fatores associados aos óbitos durante a pandemia de COVID-19 no Brasil, 2020 * * O estudo contou com o apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico/Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (CNPq/MCTI) e do Ministério da Saúde, por meio de bolsa de profissional em treinamento, no âmbito do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EpiSUS): Processo nº 161970/2019-2.

Laís de Almeida Relvas-Brandt Caroline Gava Fernanda Sindeaux Camelo Victor Bertollo Gomes Porto Ronaldo Fernandes Santos Alves Marcela Santos Correa Da Costa Sandra Maria Deotti Carvalho Greice Madeleine Ikeda do Carmo Francieli Fontana Sutile Tardetti Fantinato Marcelo Yoshito Wada Yluska Myrna Meneses Brandão e Mendes Martha Gonçalves Vieira Roselle Bugarin Steenhouwer Klebia Magalhães Pereira Castello Branco Maria Verônica Câmara dos Santos Ivan Romero Rivera Luiz Henrique Nicoloso Marco Aurelio Palazzi Safadi Dalva Maria de Assis Sobre os autores

Resumo

Objetivo

Caracterizar o perfil clínico-epidemiológico da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica temporalmente associada à COVID-19 (SIM-P) e identificar fatores associados aos óbitos de SIM-P no Brasil, 2020.

Métodos

Estudo seccional, utilizando dados do monitoramento nacional da SIM-P. Empregou-se regressão logística para estimar razões de chances (OR, odds ratios ) brutas e ajustadas.

Resultados

Os casos (n=652) apresentaram mediana de idade de 5 anos; 57,1% eram do sexo masculino e 52,0% de raça/cor da pele parda; 6,4% evoluíram a óbito. A chance de óbito foi significativamente maior nos que apresentaram saturação de O2<95% (ORa=4,35 – IC95% 1,69;11,20) e resultado alterado de ureia (ORa=5,18 – IC95% 1,91;14,04); e menor na ausência de manchas vermelhas pelo corpo (ORa=0,23 – IC95% 0,09;0,62), com uso de anticoagulantes (ORa=0,32 – IC95% 0,12;0,89) e imunoglobulinas (ORa=0,38 – IC95% 0,15;1,01).

Conclusão

A letalidade foi maior entre casos que apresentaram saturação de O2<95% e ureia alterada; e menor nos que apresentaram manchas vermelhas, usaram imunoglobulinas e anticoagulantes.

Infecções por Coronavírus; Pediatria; Síndrome de Resposta Inflamatória Sistêmica; Morte; Monitoramento Epidemiológico; Estudos Transversais

Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil SRTVN Quadra 701, Via W5 Norte, Lote D, Edifício P0700, CEP: 70719-040, +55 61 3315-3464, Fax: +55 61 3315-3464, Brasília - DF - Brazil - Brasília - DF - Brazil
E-mail: ress.svs@gmail.com