Leishmaniose visceral no Piauí, 2007-2019: análise ecológica de séries temporais e distribuição espacial de indicadores epidemiológicos e operacionais

Leishmaniasis visceral en Piauí, Brasil, 2007-2019: análisis ecológico de series temporales y distribución espacial de indicadores epidemiológicos y operativos

André Felipe de Castro Pereira Chaves Igor Vinícius Soares Costa Matheus Oliveira de Brito Francisco Aragão de Sousa Neto Márcio Dênis Medeiros Mascarenhas Sobre os autores

Resumo

Objetivo

Analisar indicadores epidemiológicos e operacionais, a tendência temporal e a distribuição espacial da leishmaniose visceral (LV), bem como a coinfecção LV-HIV no estado do Piauí, Brasil, no período de 2007 a 2019.

Métodos

Estudo ecológico de séries temporais. Empregou-se a regressão de Prais-Winsten para analisar a tendência da incidência, letalidade e indicadores operacionais da LV.

Resultados

A incidência média de LV no estado foi de 6,03/100 mil habitantes, com tendência crescente na faixa de 40-59 anos [variação percentual anual (VPA) = 3,88; IC95% 0,49;7,40]; e nas regiões localizadas ao sul do estado: Tabuleiros do Alto Parnaíba (VPA = 14,19; IC95% 3,91;25,50); e Chapada das Mangabeiras (VPA = 12,15; IC95% 6,69;24,96). A letalidade média foi de 6,02%, mantendo-se estável. A taxa média de evolução para cura foi de 52,58%, com tendência decrescente (VPA = -5,67; IC95% -8,05;-3,23).

Conclusão

Houve tendência de aumento na incidência e de redução na taxa de cura da leishmaniose visceral.

Leishmaniose Visceral; Epidemiologia; Indicadores de Morbimortalidade; Notificação de Doenças; Sistemas de Informação em Saúde; Estudos de Séries Temporais

Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil SRTVN Quadra 701, Via W5 Norte, Lote D, Edifício P0700, CEP: 70719-040, +55 61 3315-3464, Fax: +55 61 3315-3464, Brasília - DF - Brazil - Brasília - DF - Brazil
E-mail: ress.svs@gmail.com