Sepse neonatal tardia em recém-nascidos pré-termo com peso ao nascer inferior a 1.500g

Stella Marys Rigatti Silva Giordana de Cássia Pinheiro da Motta Cristiane Raupp Nunes Juliana Machado Schardosim Maria Luzia Chollopetz da Cunha Sobre os autores

Objetivo:

o objetivo da pesquisa foi caracterizar os recém-nascidos pré-termo nascidos com peso inferior a 1.500g e identificar a incidência de sepse neonatal tardia.

Métodos:

realizou-se um estudo de coorte prospectivo, cuja amostra foi composta por 30 recém-nascidos pré-termo com peso inferior a 1.500g, internados em UTI Neonatal de um hospital universitário. A coleta de dados ocorreu de janeiro a dezembro de 2013 por meio de instrumento estruturado.

Resultados:

foram incluídos 30 neonatos, dos quais 14 desenvolveram sepse neonatal tardia, prevalecendo o Staphylococcus Coagulase negativo.

Conclusões:

a incidência de sepse neonatal tardia indica a vulnerabilidade desses pré-termos, devido à imaturidade imunológica dessa população. Assim, o conhecimento do perfil dos RN internados na UTIN e os fatores de risco a que estão expostos são fundamentais para o planejamento dos cuidados de enfermagem desses pacientes. Futuros estudos são necessários para desenvolver estratégias para a prevenção da infecção nosocomial.

Recém-nascido; Prematuro; Sepse; Unidades de terapia intensiva neonatal; Enfermagem neonatal


Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem Rua São Manoel, 963 -Campus da Saúde , 90.620-110 - Porto Alegre - RS - Brasil, Fone: (55 51) 3308-5242 / Fax: (55 51) 3308-5436 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: revista@enf.ufrgs.br