Tendência dos indicadores epidemiológicos da hanseníase em um estado endêmico da região amazônica

Maria Eduarda de Macedo Basso Rosemary Ferreira de Andrade Rodrigo Luís Ferreira da Silva Sobre os autores

RESUMO

Objetivo

Caracterizar a tendência temporal dos indicadores epidemiológicos da hanseníase no Estado do Amapá.

Método

Estudo de série temporal, realizado no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Os indicadores analisados foram: taxa de detecção anual de casos novos, taxa de detecção de casos novos na população de 0 a 14 anos, taxa de casos novos com grau 2 de incapacidade, proporção de casos novos com grau 2 e proporção de casos novos multibacilares, entre 2005 e 2018. A análise da evolução temporal foi feita por meio de regressão linear.

Resultados

A taxa de detecção de casos novos e a taxa em menores de 15 anos apresentaram tendência decrescente. A taxa de casos novos com grau 2 de incapacidade e a proporção de casos com grau 2 apresentaram oscilação. As proporções de multibacilares mantiveram-se constantes.

Conclusão

Os indicadores epidemiológicos analisados sugerem transmissão ativa e diagnóstico tardio, sinalizando uma possível endemia oculta.

Palavras-chave
Hanseníase; Epidemiologia; Distribuição temporal; Saúde pública

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem Rua São Manoel, 963 -Campus da Saúde , 90.620-110 - Porto Alegre - RS - Brasil, Fone: (55 51) 3308-5242 / Fax: (55 51) 3308-5436 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: revista@enf.ufrgs.br