Práticas preventivas de idosos e a vulnerabilidade ao HIV

Valéria Peixoto Bezerra Maria Angélica Pinheiro Serra Ijaly Patrícia Pinheiro Cabral Maria Adelaide Silva Paredes Moreira Sandra Aparecida de Almeida Anna Cláudia Freire de Araujo Patrício Sobre os autores

Objetivo:

Conhecer a vulnerabilidade de idosos à infecção pelo HIV no contexto das práticas preventivas.

Método:

Estudo exploratório com abordagem qualitativa, realizado com 37 idosos de Grupos de Convivência em João Pessoa-PB de dezembro de 2012 a maio de 2013. Elegeu-se o Grupo Focal como técnica de investigação, e o material empírico obtido foi submetido à Técnica de Análise de Conteúdo, modalidade temática.

Resultados:

Os idosos reconhecem a importância das práticas preventivas, porém, deparam-se com dificuldades para exercer essas práticas quando suas relações afetivas com o companheiro não favorecem comportamentos preventivos, determinando uma vulnerabilidade. Os idosos apontaram grupos populacionais mais vulneráveis ao HIV e não se reconhecem como tal.

Conclusão:

A complexidade dos diversos contextos vividos pelos idosos do estudo recomenda/exige outras pesquisas que permitam avanços na compreensão da subjetividade imposta nas relações que permeiam o processo de envelhecimento e a vivência da sexualidade nessa faixa etária.

HIV; Idoso; Vulnerabilidade em saúde


Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem Rua São Manoel, 963 -Campus da Saúde , 90.620-110 - Porto Alegre - RS - Brasil, Fone: (55 51) 3308-5242 / Fax: (55 51) 3308-5436 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: revista@enf.ufrgs.br