Estudo anatômico do sistema arterial dorsal da mão

Historicamente o sistema arterial dorsal da mão recebeu menos atenção em relação ao palmar. Os trabalhos que abordam a anatomia arterial dorsal apresentam pontos divergentes no que se refere a origem, a freqüência e a presença de ramos das artérias metacarpais dorsais. Este conhecimento se aplica, em especial, no planejamento cirúrgico de retalhos que tenham como área doadora o dorso da mão. O objetivo deste trabalho é o de estudar a anatomia do sistema arterial dorsal da mão, confrontando estes achados com os da literatura e desta maneira, definir parâmetros para o planejamento dos retalhos supridos pelas artérias metacarpais dorsais da mão. CASUÍSTICA E MÉTODO: Foram realizadas 26 dissecções na região dorsal da mão direita de 26 cadáveres, através de uma incisão em forma de U de base distal. Após a cateterização da artéria radial a nível do punho, foi injetado um corante plástico de baixa viscosidade e rápida solidificação que permitiu adequada visibilização até mesmo de pequenos vasos. A artéria radial e seus ramos, o arco dorsal, as artérias metacarpais dorsais, os ramos comunicantes distais e proximais do sistema palmar e os ramos cutâneos distais, foram cuidadosamente dissecados e identificados. RESULTADOS: Os ramos cutâneos distais provenientes das artérias metacarpais dorsais foram observados em todos os casos, em média, a 1,2 cm proximal a articulação metacarpo-falangeana. A primeira artéria metacarpal dorsal apresentou três padrões diferentes em relação ao seu trajeto no primeiro espaço intermetacarpal: fascial, subfascial e misto. O padrão de ramificação da artéria radial, no primeiro espaço intermetacarpal, foi o de sua divisão em três ramos. Observamos a presença do arco arterial dorsal em 100% dos casos, com sua origem na artéria radial. A distância entre a emergência do arco dorsal e o ponto de ramificação da artéria radial foi em média de 2 cm. As artérias primeira e segunda metacarpais dorsais estiveram presentes em todos os casos. As artérias terceira e quarta metacarpais dorsais estiveram presentes em 96,2% e 92,3% dos casos, respectivamente. Constatamos que houve uma comunicação proximal e distal do arco dorsal com o sistema palmar, através de ramos comunicantes que contribuíram para a formação das artérias metacarpais dorsais. CONCLUSÃO: Existe uma rica rede arterial no dorso da mão, que apresenta um grande número de anastomoses com o sistema arterial palmar, permitindo a utilização desta região como uma fonte potencial de retalhos cutâneos.

Sistema arterial; Dorsal; Mão; Anatomia; Retalhos fasciocutâneos


Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Av. Ovídio Pires de Campos, 225 - 3 and., 05403-010 São Paulo SP - Brazil, Tel.: (55 11) 3069-6235 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.hc@hcnet.usp.br