Avaliação morfológica da membrana basal das cordas vocais de adultos autopsiados e sua correlação com as causas de óbito

OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi identificar as possíveis alterações na espessura da membrana basal das cordas vocais e relacionar estas com a causa de morte. MÉTODO: Foram utilizadas laringes coletadas de adultos autopsiados, no período de 1993 até 2001. Realizamos as colorações da Hematoxilina- Eosina e Ácido Periódico de Schiff, onde foi medido o diâmetro da membrana basal. RESULTADOS: Foram analisadas 66 cordas vocais, o espessamento foi identificado em 14 casos (21,2%), sendo encontrado em proporções iguais entre os sexos, sendo freqüente em pacientes da cor branca (12 casos, 85,7%). Foram encontradas alterações respiratórias em 10 (71,4%) dos casos com espessamento. Entre os pacientes intubados, 7 (18,4%) apresentaram espessamento. Entre os fumantes 9 (19,63%) apresentavam espessamento. Não houve influência estatisticamente significativa do espessamento na doença que levou o indivíduo à morte. CONCLUSÃO: Em relação a causa de morte não há diferença estatisticamente significante entre os casos cuja causa de morte foi por doenças respiratórias ou por doenças não respiratórias e o diagnóstico de espessamento da membrana basal das cordas vocais. Sua etiopatogênese necessita de maiores estudos.

Adultos; Autopsia; Corda vocal; Espessamento; Membrana basal


Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Av. Ovídio Pires de Campos, 225 - 3 and., 05403-010 São Paulo SP - Brazil, Tel.: (55 11) 3069-6235 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.hc@hcnet.usp.br