Hemorragia pulmonar como manifestação do lúpus eritematoso sistêmico

Os autores relatam o caso de uma paciente de 19 anos admitida para investigação de febre e anemia hemolítica, com dois meses de evolução. Durante a internação apresentou crises convulsivas tônico-clônicas e queda súbita no nível de consciência, evoluindo com hemoptise, hipoxemia e insuficiência respiratória. Os exames evidenciaram derrame pericárdico ao ecocardiograma e condensações alveolares bilaterais à radiografia de tórax. Foi levantada a hipótese diagnóstica de lúpus eritematoso sistêmico sendo solicitada a pesquisa do fator antinuclear e iniciada terapia com pulsos diários de metilprednisolona, a despeito da qual a paciente evoluiu para o óbito. Posteriormente o resultado do fator antinuclear mostrou-se positivo, em título de 1:5120, padrão puntiforme fino, preenchendo critérios para lúpus eritematoso sistêmico segundo o Colégio Americano de Reumatologia. A hemorragia pulmonar secundária a esta doença do tecido conjuntivo é uma forma incomum e grave de manifestação da doença que evolui com alta mortalidade, apesar do tratamento intensivo, conforme descrito na literatura.

Hemorragia alveolar; Lúpus eritematoso sistêmico; Capilarite pulmonar


Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Av. Ovídio Pires de Campos, 225 - 3 and., 05403-010 São Paulo SP - Brazil, Tel.: (55 11) 3069-6235 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.hc@hcnet.usp.br