Uso de Corticosteróides e evolução de recém-nascidos com displasia broncopulmonar

Recém-nascidos (RN) pré-termo dependentes de ventilação mecânica são frequentemente, tratados com corticosteróides. Vários estudos demonstraram que o uso de corticosteróides melhora a complacência pulmonar e facilita a extubação. No entanto, o uso de corticosteróides é associado , também, a alguns efeitos colaterais, como alterações na curva de crescimento dos recém-nascidos. Nós realizamos um estudo retrospectivo, para avaliar os efeitos dos corticosteróides sobre a duração da ventilação mecânica, oxigenoterapia como também sobre o tempo de internação e mortalidade, em recém-nascidos com displasia broncopulmonar dependentes de ventilação mecânica (DBP) (definida como necessidade de suplementação de oxigênio até 28 dias de vida). Foram analisados 26 RN com DBP e divididos em 2 grupos: grupo I -- 14 RN, que não receberam dexametasona e grupo II -- 12 RN que receberam dexametasona a partir de 14 a 21 dias de vida, durante 9 a 42 dias ( média -- 31 dias). Administrou-se dexametasona, endovenosa, em uma dose inicial de 0,25 mg/kg dividida em duas tomadas durante 3 dias, e após diminuiu-se a dose até suspensão. RESULTADOS: Não se observou diferenças significantes em relação à duração da ventilação mecânica (grupo I- 37 dias e grupo II -- 35 dias), suplementação de oxigênio (grupo I -- 16 dias e grupo II -- 29 dias), tempo de permanência no hospital (grupo I -- 72 dias , grupo II -- 113 dias), e mortalidade (grupo I -- 35,7%, grupo II -- 41,6%). O grupo II tinha menor peso de nascimento ( PN- Grupo I -- 1154 gramas ± 302 e grupo II -- 791 gramas ± 165; p< 0,05) e menor comprimento ao nascimento (Comprimento- grupo I- 37,22 ± 3,3 e grupo II -- 33,5 ± 2,4; p < 0,05) em relação ao grupo I. Com 40 semanas, não se observou diferenças significantes entre os grupos com relação às medidas antropométricas. CONCLUSÃO: O uso de corticosteróides em RN com displasia broncopulmonar, pode influenciar o crescimento somático durante o seu uso. No entanto, após sua suspensão parece ocorrer uma recuperação do crescimento, sugerindo que sua influência pode ser transitória.

Dexametasona; Displasia broncopulmonar


Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Av. Ovídio Pires de Campos, 225 - 3 and., 05403-010 São Paulo SP - Brazil, Tel.: (55 11) 3069-6235 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.hc@hcnet.usp.br