Contagens de células T CD4+ na co-infecção HIV-1 e HTLV-1: alta prevalência da paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV-1

INTRODUÇÃO: A possibilidade que a co-infecção pelo vírus da leucemia de células T humana do tipo 1 (HTLV-1) em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana do tipo 1 poderia falsamente elevar o número de linfócitos T CD4+ no momento do evento definidor de aids, inferindo que essa contagem poderia ser um marcador laboratorial incompleto nos pacientes com a co-infecção HIV-1/HTLV-1. OBJETIVO: Estudar a interação entre o HIV-1 e a co-infecção como o HTLV-1. MATERIAL E MÉTODO: Desde 1997, nosso grupo tem seguido uma coorte de pacientes para estudar a interação entre HIV e/ou vírus da hepatite C (HCV), como também pacientes assintomáticos ou com TSP/HAM. 150 pacientes infectados pelo HTLV-1, encaminhados à clínica de HTLV do Instituto de Infectologia Emilio Ribas, São Paulo, Brasil, foram estudados. Vinte e sete deles estavam co-infectados pelo HIV-1 e HTLV-1, usando dois ELISAs e confirmados tipados pelo WB ou PCR. Todos os pacientes foram avaliados por dois neurologistas, cegos para o status de HTLV e o diagnóstico de TSP/HAM foi baseado na classificação da Organização Mundial de Saúde, 1988. A primeira contagem de células T disponível antes da terapia anti-retroviral foi mostrada para comparar com os pacientes infectados pelo HIV no momento do evento definidor de aids de acordo com Classificação do Centro de controle de Doenças, 1988. RESULTADOS: Um total de 27 HIV-1/HTLV-1 co-infectados foram identificados na coorte, 15 já apresentavam aids e 12 permaneceram sem evento de aids. A mediana de células T CD4 foi de 189 (98-688) células/mm³ e 89 (53-196) células/mm³ nos co-infectados que tinham evento definidor de aids e naqueles com a infecção somente pelo HIV, respectivamente (p = 0,036). Oito dos 27 co-infectados (30%) foram diagnosticados tendo TSP/HAM símile, e três deles mostraram elevada contagem de células T CD4 e apresentaram infecções oportunistas no momento do evento definidor de aids. DISCUSSÃO: Nossos resultados indicam que a contagem de células T CD4+ entre os indivíduos com HIV-1/HTLV-1 foi somente discrepante em 12% desses pacientes e podem ser relacionados à progressão da infecção HTLV-1, e todos mostraram um quadro de TSP/HAM símile como a primeira manifestação de doença. Entretanto, essa taxa de ataque foi 20 vezes mais alta que a observada em pacientes somente infectados pelo HTLV-1 em área endêmica.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br