Blatocystis hominis e outros parasitas intestinais em comunidade da cidade de Pitanga, Paraná, Brasil

O presente trabalho foi realizado no período de agosto a outubro de 2004 com o objetivo de se estimar a prevalência de Blastocystis hominis, avaliar a eficácia de diferentes técnicas para o seu diagnóstico assim como estimar a prevalência de outros parasitas intestinais na comunidade de Campo Verde, município de Pitanga. Amostras de fezes de crianças e adultos foram coletadas e submetidas às técnicas de exame direto, de flutuação em solução de sulfato de zinco, de sedimentação em tubo, de sedimentação em formol-éter e de coloração pelos métodos de Kinyoun e de hematoxilina férrica. Protozoários e/ou helmintos intestinais foram detectados em 128 (70,7%) das 181 amostras de fezes analisadas. As espécies mais prevalentes foram Endolimax nana (33,7%); B. hominis (26,5%); Giardia lamblia (18,2%); Entamoeba coli (17,1%); Ascaris lumbricoides (16,6%); Iodamoeba bütschlii (9,4%) e ancilostomídeos (7,7%). B. hominis foi identificado apenas pelas técnicas de exame direto, de sedimentação em formol-éter e de coloração pela hematoxilina férrica, sendo que esta última se mostrou menos sensível que às demais. A alta freqüência de B. hominis evidenciada por este estudo indica a necessidade de se incluir na rotina do laboratório técnicas que permitam a identificação deste parasita.


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br