Relação entre prevalência de anticorpos para arbovirus e virus de hepatite B na região do Vale do Ribeira, Brasil

280 escolares de 6 a 14 anos de idade, residentes em Iguape, Vale do Ribeira, sudeste do Estado de São Paulo, foram estudados com o objetivo de verificar possível associação entre a prevalência de anticorpos para hepatite B e a exposição a mosquitos hematófagos, avahada indiretamente pela prevalência de anticorpos de arbovirus. As crianças eram originárias de 4 áreas com características topográficas e fitográficas diferentes: 89 residiam em área urbana, 89 em área periurbana, 30 em área de cultivo extensivo de banana e hortaliças e 72 em área florestal. Estudos prévios mostraram significante maior prevalência de anticorpos de arbovirus nas áreas cultivada e florestal do que nas áreas urbana e periurbana. A pesquisa de anti-HBs foi feita por radioimunoensaio (Ausab, Laboratorio Abbott) e de anti-HBc por ensaio imunoenzimático (Roche). Observou-se que os escolares residentes na área florestal apresentaram mais alta prevalência (26/72 = 36.1%) de anticorpos para hepatite B de que os residentes nas áreas urbana (5/89 = 5,6%), periurbana (6/89 = 6.7%) e cultivada (0/30 = 0%). Os resultados sugerem a existência de fator comum na transmissão de arboviruses e de hepatite B, apoiando a hipótese que nas regiões tropicais com presença de mata mosquitos possam desempenhar importante papel na transmissão da hepatite B.

Hepatitis B transmission; Hepatitis B seroepidemiology; Arbovirus and Hepatitis B


Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 470, 05403-000 - São Paulo - SP - Brazil, Tel. +55 11 3061-7005 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revimtsp@usp.br